No ano de 1951, os técnicos da Daimler Benz, acompanhada por especialistas brasileiros, realizou estudos para analisar a viabilidade de veículos produzidos no Brasil. Dois anos depois, em 7 de outubro de 1953, a Mercedes-Benz do Brasil foi fundada oficialmente, tendo como seu primeiro presidente Alfred Jurzykowski. A planta foi então construída em São Bernardo do Campo (uma cidade vizinha à cidade de São Paulo) no Estado de São Paulo. Em 28 de setembro 1956, a fábrica foi inaugurada na presença do então Presidente do Brasil, Juscelino Kubitschek. Esta data marca o nascimento da indústria brasileira dos veículos Mercedes-Benz, principalmente os de carga.

Os caminhões da Mercedes Benz no Brasil

Até 1958 apenas caminhões foram produzidos na fábrica brasileira, e construtores de corpo locais utilizavam chassis dos caminhõs para fazer ônibus. Em 1958, o ônibus integral Mercedes-Benz O321H também começou a ser produzido no Brasil, abastecendo o mercado brasileiro, bem como o mercado de outros países sul-americanos. Por exemplo, foram exportadas 550 unidades de ônibus O321 brasileiros feitas para Argentina em 1961, e outras 300 unidades foram exportadas para a Venezuela em 1965. Aqui temos o primeiro exemplo dos números que se seguiram para os caminhões e ônibus da Mercedes Benz no Brasil.

A indexação e os números dos caminhões da Mercedes Benz

Em 1963, a simplificação introduziu um novo sistema de indexação. Os primeiros um ou dois dígitos indicam a capacidade do modelo arredondado em toneladas, e as em dezenas seguintes em dezenas de cavalos de potência. De acordo com o novo sistema de indexação, o modelo L323 tornou-se L710, L328 tornou-se L911, L322 tornou-se L1113 e L327 tornou-se L1413. Inovação na construção principal estava em usar motores a diesel com injeção direta de combustível. O primeiro motor diesel com injeção direta OM352 (5675 cm³, 130 cv) foi introduzido em 1967 na série L/LP  1113B e, em seguida, usado em outras versões. Em 1968 foi introduzido o motor 8,2 litros com uma potência 170-190 cv para os modelos 1017/1919. O design externo dos caminhões quase não mudou, tornando os modelos uma visão mais do que comum até os dias de hoje nas estradas brasileiras. A faixa L foi produzida no Brasil até 1982, quando uma ligeira reestilização cosmética foi feita.

Durante os anos 1970 a fábrica de São Bernardo do Campo foi sendo ampliada para atender com a crescente demanda para a produção de veículos comerciais. Até o final da década, a Mercedes-Benz produziu mais de 500.000 veículos comerciais na planta brasileira, cerca de 4.000 dos quais foram modelos de ônibus integrais.

História do caminhão 1113

Um caminhão já clássico pelas estradas brasileiras, o Mercedes Benz 1113 fez história por aqui. (Foto: www.flashminas.com.br)

Números e modelos de ônibus Mercedes Benz

Em 1970, o motor traseiro OH1313 e o motor dianteiro OF1313 de chassis de ônibus foram revelados. Um ano depois, um novo integrante foi revelado: O 362, apresentando um Compartimento de bagagem maior do que seu antecessor, o O321. Ainda um outro ônibus integrante foi apresentado pela Mercedes-Benz do Brasil, o O 355. Em 1974, O OH 1517 de chassis de motor traseiro também foi apresentado. Um ano após o primeiro ônibus de três eixos ser construído no Brasil, baseado no Mercedes-Benz LPO 1113 de chassis com motor dianteiro, fez a sua estreia em 1977, o novo ônibus O364 em duas versões: um com um motor de 130 cv, e outro com um motor de 170 cv. Além disso, em 1978, a produção do S362 foi interrompida, depois de mais de 35.100 unidades serem produzidas no Brasil.

Uma vez que a demanda por ônibus estava crescendo por esse tempo, uma nova fábrica foi inaugurada em Campinas, dedicada apenas para a produção de ônibus. Esta planta foi considerada a maior e mais moderna fábrica dedicada à produção de ônibus no mundo ocidental. Enquanto isso, a fábrica de São Bernardo do Campo ainda estava sendo expandida.

Um clássico que começou em 1964

Em 1964 começou a fabricação do modelo MB 1111. A partir daí, ao longo das décadas de 70 e 80, tivemos os modelos 1113, 1313, 1513 e 2013 utilizando a mesma cabine mas com capacidade de tração do motor e de transporte de carga diferentes. Ainda tivemos na década de 70 o L608, usado mais dentro de cidades por sua menor capacidade e potência.

Caminhão Baú, Caminhão Toco e Caminhão Truck/Trucado

Informalmente, os caminhões recebem ainda algumas denominações que facilitam aos leigos compreenderem melhor a estrutura sobre a qual o caminhão foi montada.

Um caminhão baú é um caminhão com uma carroceria fechada. Geralmente é utilizado para transporte de cargas delicadas e ou perecíveis, podendo ou não ter a carroceria refrigerada.

Um caminhão toco tem uma carroceria menor, carregando menos peso e tendo apenas um eixo. Já um caminhão truck tem uma carroceria maior, tendo mais de um eixo.

Você pode encontrar os Mercedes-Benz clássicos em qualquer uma destas configurações, atendendo à diversas necessidades dos transportadores brasileiros. São veículos que hoje já estão bem idosos, mas que ainda foram modelo de inspiração para quase todos os caminhões que vieram depois e ainda hoje são muito procurados no mercado.

Você conhece mais alguma coisa sobre a história dos caminhões e ônibus da Mercedes Benz? Compartilhe nos comentários!

4 comentários para “Caminhão 1113, 1513, 1313… etc. O que significam os números?”

  1. Walcyr

    Gostei, sou admirador destas historias.

    Responder
  2. Evandro

    Legal.bacana.

    Responder
  3. Leonardo

    Lindo de mais, há Estrela sempre brilha. Sim porque é MB sonho que tenho de Ter um 1513 é muito.

    Responder
  4. Carlos Eduardo

    Legal.mas pra mim o top da mercede ainda é o 1518 sensacional…

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)