A compra de um novo carro demanda muita logística. E muitos são aqueles que querem te aconselhar nesse momento, dando pitacos e dicas para a melhor compra ou fazer o melhor negócio. Mas quem você deve levar para comprar um carro com você? Na verdade, você deve levar alguém com você para comprar um carro? Depende da situação e de seu perfil.

O conselho que funciona para todos é que nunca você deve comprar um veículo na primeira vez que vai vê-lo e nem deve levar ao contigo nessa primeira visita. Primeiro porque é muito interessante você aprender a controlar sua ansiedade na compra de um novo veículo. Além desse controle, ao sair sozinho você vai pelo menos tentar aprender sobre coisas que deve perguntar ao vendedor, coisas a observar no veículo, como negociar valores e até noções de mecânica. Muitos também passam a fazer uma lista dos opcionais que desejam em seus novos meios de transporte apenas após darem uma primeira olhada no que está em oferta no mercado. E isso pode facilitar bastante na hora de limitar um orçamento para a compra.

Em casa, é ideal que você encontre um mecânico de confiança para conversar sobre o que viu e deixou de ver nos veículos que analisou. A partir daí, você já está “levando” alguém com você. Alguns mecânicos cobram uma taxa ou fazem até mesmo de graça uma revisão em um veículo usado para seus clientes. Mas é legal conversar com ele para ter sugestões de veículos. Muitos carros apresentam problemas após a garantia vencer e quem tem noção de quais são esses carros é o próprio mecânico. Já vi muita gente comprar um carro e depois se arrepender profundamente no primeiro dia que foram na oficina, quando o mecânico disse que aquele seria o primeiro problema de muitos. Seja levando o mecânico com você ou ouvindo os conselhos dele para uma compra, ele é praticamente uma companhia obrigatória até para compra de veículos novos.

Carros para serem escolhidos

Cada pessoa tem um perfil de carro com o qual se adapta melhor e com o qual vai ter maior afinidade. Por isso, seguir conselhos de outros pode ser arriscado, se você não souber como fazê-lo. (Foto: sunsailsea.com)

Seus amigos e as experiências deles e até de familiares mais próximos são outras fontes de informações que fazem a diferença na escolha de um veículo. Ao saber que um deles não passou por situações boas com um veículo, você já pode cortá-lo de sua lista de desejos. Além disso, eles podem te conhecer melhor do que você mesmo e te aconselharem a veículos que se adequem mais ao seu perfil. O cuidado que você deve ter é com aquele amigo que acha que sabe tudo sobre o mundo automobilístico e quer tomar a rédeas da compra por você, indo contigo para todos os cantos. Fuja desse perfil de amigo, pois eles normalmente tentarão te vencer pela desistência e não estarão realmente se importando com sua satisfação na compra.

Em último lugar e de preferência, após já ter escolhido pelo menos 3 perfis de veículos que te atendem, você deve buscar os conselhos de sua família próxima, como pai, mãe, irmãos, marido e/ou esposa e filhos. Inclusive, deve levá-los com você para a compra, caso também sejam pessoas que utilizarão do transporte que será comprado. E a não ser que sua esposa e/ou marido esteja fazendo a compra contigo, seu estilo de pilotagem e também desejos devem ser mais levados em conta do que o de qualquer outra pessoa. Nas últimas etapas de sua compra, eles devem sim, estar envolvidos para que você analise fatores que não foram levados em consideração previamente, como espaço interno do veículo, segurança para os demais membros da família e o conforto quando o veículo estiver lotado.

No final das contas, seus gostos e necessidades devem estar acima de todas as companhias, mas não de todos os conselhos. Você tem que formar sua opinião e aprender um pouco mais sobre veículos. Assim, mesmo quando comprar um carro novo, saberá tudo que tem que ser levado em conta, evitando problemas futuros e dores de cabeça desnecessárias.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)