É seguro dizer que o motociclismo pode não existir sem o motor monocilíndrico. De alguma forma, ele consegue fornecer energia aos modelos de motocicletas mais vendidos da história, com transporte diário confiável. Muitos cortadores de grama e outras ferramentas usam também o motor monocilíndrico. Mas o que ele significa? Como funciona?

Características gerais do motor de 1 cilindro

Um design simples com menos peças móveis torna a produção mais barata e a manutenção mais fácil. As versões de dois tempos produzem alta potência. As versões de quatro tempos alcançam durabilidade, torque e usabilidade.

Os motores de dois tempos produzem altos níveis de emissões e sofrem com faixas de potência estreitas, razão pela qual seu uso agora é principalmente limitado a scooters e modelos de aprendizagem. As máquinas monocilíndricas de quatro tempos produzem menos potência do que as alternativas de dois tempos ou multicilindros. Eles tinham altos níveis de vibração até que as motocicletas modernas introduziram eixos balanceadores para mitigar o problema.

O motor monocilíndrico é simples e leve

O projeto de um motor monocilíndrico é simples, pequeno e leve; todos os três atributos se prestam ao motociclismo, particularmente nas eras anteriores e, mais recentemente, em corridas off-road competitivas.

Um design mais simples significa manutenção e reparos mais fáceis, mas também é mais fácil resfriar do que um motor multicilindros, em que todos os cilindros estão empilhados juntos.

Apenas monocilíndricos e V-Twins tendem a ser puramente refrigerados a ar nas motos modernas e geralmente apenas nas categorias de baixo desempenho.

Se você combiná-lo com um projeto de dois tempos, usará menos peças móveis e produzirá mais potência para a capacidade e o peso, porque o pistão completa um ciclo de potência (para cima e para baixo), conforme o virabrequim gira uma vez.

Mas crie uma versão de quatro tempos, em que o virabrequim precisa girar duas vezes e você obtém um motor com maior eficiência de combustível, torque sólido e confiabilidade. É por isso que os motores de cilindro único desempenharam um papel tão importante nos primeiros 70 ou 80 anos de motociclismo.

Motor de 1 cilindro

Os motores de 1 cilindro são muito comuns em motocicletas e diversas ferramentas movidas a gasolina. (Foto: The Tinkertown)

Limite para o motor monocilíndrico

No entanto, os motores monocilíndricos têm um limite de capacidade inerente, razão pela qual raramente encontrará algo além da gama de 600 cc-700 cc e porque a grande maioria está na outra extremidade em torno de 125 cc.

Quanto maior é um cilindro individual, mais peso deve ser movido para cima e para baixo a cada rotação do virabrequim.

Isso torna cada explosão de força maior e produz mais vibração em geral, razão pela qual os monocilíndricos maiores tem barulhos característicos.

Evolução do motor de 1 cilindro

Todos os maiores fabricantes de motocicletas tenderam a começar com criações de cilindro único no início do século XX. As primeiras versões eram frequentemente designs de quatro tempos de empresas como BMW, Norton, Triumph, Harley-Davidson e mais.

Se parece que alguém inseriu um pequeno motor no quadro de uma bicicleta, há uma boa chance de que seja um único. Isso continuou à medida que o ciclismo evoluiu para os Café Racers do pós-guerra dos fabricantes britânicos e para a era moderna.

Um século depois de tudo ter começado e a atual safra de motos de corrida Moto 3 ainda usa um motor monocilíndrico para um dos níveis mais altos das corridas de moto. E a maior parte do mundo do motocross e off-road ainda depende de motores de um ou dois cilindros em todo o mercado.

Desvantagens e vantagens dos motores de 1 cilindro

Enquanto os monocilíndricos de dois tempos diminuíram, a versão de 4 tempos continua a prosperar. É o que ajudou a impulsionar o Honda Super Cub a vender mais de 100 milhões de modelos de 49-124 cc.

O atual campeonato de Moto 3 corre com motores KTM 250cc a quatro tempos e exemplos recentes incluem a KTM 690 Duke, a Yamaha MT-03 e a Honda Monkey.

Dois exemplos populares que demonstram as características do único poço de quatro tempos são a linha BMW G650 e a Suzuki DRZ400. Ambos usam um motor de quatro tempos, que oferece uma gama de potência muito mais ampla do que um dois tempos, particularmente baixa na faixa de rotação.

Você pode caminhar pesadamente ao longo de pistas verdes o dia todo, pegando sua moto após as quedas e ainda saber que você chegará ao seu destino eventualmente com um DR-Z400 ou um G650GS.

O fornecimento de energia mais suave também significa que você pode usar melhor a saída mais modesta com muitos monocilíndricos de quatro tempos, Mas também é suave, amigável e fácil de dirigir. Algo compartilhado com o Yamaha MT-03 menor e o BMW F650CS de aparência francamente bizarra e de vida curta.

Se você está procurando uma máquina de peso médio ou de pista verde sensata, a opção de quatro tempos de cilindro único sempre vale a pena considerar, por exemplo, Rally Honda CRF250.

Modelos exóticos com um cilindro

Se você tem um grande orçamento e quer escolher uma das máquinas monocilíndricas mais incomuns já feitas, você pode querer dar uma olhada na Ducati Supermono. Apenas 65 foram feitas entre 1993 e 1995, para disputar a European Supermoto Cup, que apoiava as Superbikes Mundiais.

Com uma velocidade máxima de 141 mph e pesando apenas 121 kg, a máquina Pierre Terblanche pode muito bem ter influenciado as motos de corrida atuais da Moto3, que usam motores monocilíndricos de 250 cc limitados a 55 hp e atingem velocidades máximas de cerca de 244 km/h a um limite de 14.000 rpm.

Por que os motores de dois tempos desapareceram?

A natureza relativamente poderosa do motor simples de cilindro único de dois tempos o tornou popular em corridas em estradas ou terra. No entanto, desde a década de 1990, eles praticamente desapareceram, exceto por ciclomotores e scooters de pequena capacidade.

Existem algumas razões para o desaparecimento dos motores de dois tempos.

Difícil de andar: A potência de saída estará sempre concentrada em uma parte bastante pequena da faixa de rotação e isso significa que você está constantemente trabalhando para tentar manter sua motocicleta se movendo em um ritmo decente.

Fora da faixa de potência, você verá outros pilotos se afastando de você enquanto você espera que as rotações aumentem: algumas pessoas acham que é divertido, principalmente se você estiver andando em um circuito de corrida ou pista de terra. Mas nas estradas, é mais complicado, apesar do som incrível de uma vespa furiosa presa em uma lata de biscoito a 15.000 rpm.

Emissões: lubrificação de cilindro de perda total é a razão técnica pela qual você deve abastecer com uma mistura de gasolina e óleo. É também por isso que cada duas pancadas é acompanhada por uma nuvem de fumaça azul. Nem todo mundo aprecia o aroma da pré-mistura e, como as preocupações ambientais se tornaram mais importantes, fez mais sentido para os fabricantes se concentrarem em motores multicilindros.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)