Na hora de adquirir um carro usado, observar e pesquisar são itens fundamentais. Agora, em se tratando de jipes e veículos 4×4, deve ser dada mais atenção ainda porque muitos deles são submetidos à esforços excessivos e podem apresentar vários problemas.

Quem pretende comprar um veículo offroad usado tem que ter em mente que, dependendo do modelo, é um veículo com custo de manutenção e seguro alto. Muitas vezes, há dificuldade para conseguir peças.

Se mesmo assim você decidiu que quer ser proprietário de um veículo off-road mas não tem grana para adquirir um 0 km, siga as dicas abaixo e aproveite:

  • Dê preferência aos veículos de pessos conhecidas ou com indicação.
  • Dê uma olhada geral no conjunto motriz.
  • Observe se não há manchas de ferrugem perto da bomba d’água e manchas escuras nos coletores de escape.
  • Verifique se há vazamentos na bomba d’água, no carburador, nas mangueiras, na bomba de gasolina, nos filtros e nos coxins.
  •  Ligue o veículo e observe se ele solta muita fumaça logo no início (isso pode indicar folga nos anéis).
  • Dê uma volta com ele e veja se a marcha lenta não varia de rotação e não engasga. Teste uma marcha mais alta e observe se durante a aceleração o giro é constante e não há “estouros” no escapamento.
  • Se o modelo tiver servo-freio, ao pisar no pedal o veículo não deve morrer.
  • Teste a direção hidraúlica e o ar condicionado enquanto estiver dirigindo o veículo e de preferência na marcha lenta. Também observe a temperatura da água e fique atento à barulhos.
  • Observe se o chassi está alinhado e se não há soldas e trincas. Nos modelos que possuem chassi “aberto” (perfil em U), dê atenção especial nas regiões próximas aos jumelos e molas.
Jipes e veículos 4x4

Veículos 4x4 usados podem valer a pena quando estão com a manutenção em dia

  • Veja se as buchas de fixação são de borracha. As buchas feitas de poliuretano são mais resistentes mas, transferem mais esforço e trepidações o que pode causar trincas. Ao balançar o veículo, observe se ele não apresenta rangidos.
  • Se o modelo foi desenvolvido no sistema monobloco (ex. Niva), cheque as alavancas (de engate do bloqueio de diferencial e de reduzida) e veja se não estão trepidando demais.
  • Verifique a folga da direção, esta não deve ser acima de 1/16 de volta. Aproveite para checar o número de voltas e se o volante não fica duro. Verifique também se os pneus não encostam no conjunto de suspensão e em nenhum ponto da carroceria.
  • Verifique os terminais de roda, os pivôs de direção e, quando houver, a barra estabilizadora.
  • Observe o desgaste dos pneus, se há algum desalinhamento e desgaste irregular.
  • Verifique o estado das molas, amortecedores, buchas e jumelos. Veja se o veículo está reto, se não está tendendo para algum lado.
  • Verifique os freios, discos e pastilhas e se eles sofreram adaptação. Caso tenha sido adaptado (muitas pessoas colocam freio à disco na dianteira), verifique se o sistema usado é um kit de adaptação pré-existente ou se foi feito de outro veículo. Teste o veículo numa rua reta e pouco movimentada. Dê uma boa acelerada e depois freie forte para verificar se as rodas não travam ou o veículo puxa para algum dos lados.
  • Verifique se não há vazamento no câmbio, tração, reduzida, diferenciais, cardãs e eixos.
  • Observe se não há folga nas coifas e rodas.
  • Faça uma inspeção geral no sistema elétrico: verifique fios, conexões, fusíveis, bateria, alternador e motor de arranque. Teste os fárois, lanternas, luzes, voltímetro e amperímetro.
  • Verifique se a documentação do veículo está em dia e se não há nenhum problema junto ao Detran.

Havendo algum problema na hora da verificação dos itens acima, não se desespere, pode ser algo simples de resolver. Por isso, sempre é bom levar um mecânico de confiança com você. Assim, ele pode te falar se o veículo precisará de algum conserto, o valor aproximado do gasto e se vale a pena ou não.

Tente conseguir o maior número de informações possíveis sobre o veículo: se as peças são originais, se sofreu alterações, etc. Qualquer informação a mais pode ajudar na hora da decisão de compra, na negociação e no futuro (evitando problemas).

Enfim, independente do ano de fabricação do modelo, é possível encontrar offroads usados que valem a pena. Se ele foi bem cuidado e está com a manutenção em dia, não se preocupe. Aproveite e tenha ótimas experiências!

Se você procura um veículo 4×4 que não seja para trilhas, o novo RAM 2500 e a Ford Ranger podem ser uma boa opção.

 

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)