É normal que a cada dia surjam novas tecnologias que ajudem a melhorar a performance dos carros  já que o setor automotivo permanece em constante evolução.

Foi o caso do carburador que ficou ultrapassado e deu lugar ao sistema de injeção eletrônica.

Este sistema foi desenvolvido com o intuito de diminuir os níveis de emissão dos gases poluentes mas, também proporcionou mais potência, economia de combustível, respostas mais rápidas e outras vantagens.

A injeção eletrônica é um sistema que tem como função alimentar e gerenciar eletronicamente um motor a combustão. Permite que o motor receba somente a quantidade necessária de combustível, proporcionando uma mistura estequiométrica (combustível e ar) mais eficaz em diversas faixas de rotação.

O sistema realiza a leitura de vários sensores espalhados pelo motor e depois examina as informações. Com base nestas e outras informações gravadas na central (memória), ele envia comandos para os diferentes atuadores que também compõem o motor. Esse processo é realizado inúmeras vezes por minuto baseado nos movimentos do virabrequim.

Sistema de injeção

Além de economia de combustível, o sistema de injeção eletrônica proporciona muitas outras vantagens

Os sensores que fazem parte do sistema de injeção têm a função de captar as informações e enviá-las para a central. Eles transformam pressões, movimentos e outros em sinais elétricos. Assim, a central pode analisar e determinar qual estratégia aderir.

São eles: sensor de temperatura do ar, sensor de posição da borboleta de aceleração, sensor de pressão do coletor, sensor de temperatura do líquido de arrefecimento, sensor de velocidade, sensor de rotação, sonda lambda (ou sensor de oxigênio) e sensor de detonação.

Já os atuadores têm a função de controlar o motor. Eles recebem os sinais elétricos enviados pela central e com isso, controlam as reações do motor. São eles: bobinas, bomba de combustível, eletroventilador de arrefecimento, bicos injetores, motor de passo, válvula purca canister e luz de avaria do sistema.

O sistema de injeção eletrônica do veículo deve ser inspecionado a cada 40 mil km e, caso necessário, deve ser realizada a limpeza dos bicos injetores. Além da manutenção preventiva é necessário usar combustível de qualidade para que não haja nenhum problema no futuro.

 

6 comentários para “O que é injeção eletrônica?”

  1. Luiz Carlos Teixeira

    Tenho uma fiorino ano 2010. Algum tempo ela vem dando um defeito.quando o carro esfriar.ele liga uns 30 segundo ele apaga isso é todos os dias poderia com seu conhecimento qual é a peça que está com defeito. Porque cada mecânico fala uma peça diferente. Tenho um pouco de conhecimento mais não sou mecânico.obrigado

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Já tentou verificar a sonda lambda e a válvula termostática? Um mecânico com um bom scanner pode ver no relatório de erros se essas peças estão com defeito.

      Responder
  2. Suelen

    Tenho um HONDA FIT 2003, está com acendimento na injeção eletrônica. Está na concessionária a dias e eles não acham o problema. Isso é possível? Obrigada.

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Suelen, é possível sim. Eles tem que usar um scanner apropriado para conseguir detectar o problema.

      Responder
  3. Alex Souza

    Olá, meu nome é Alex, tenho um Fiat palio ele 1.0 16 válvulas, e recentemente andei com ele e mais 2 amigos no carro, quando já estava indo para casa ele perdeu potência em uma ladeira e não quis subi-la, sendo que ele já tinha subida a mesma ladeira no dia anterior, a capacidade máxima dele é 400 kg e estava muito abaixo disso, poderia, por favor, me dar uma indicação do que possa ser?
    Ops: a luz da injeção está ficando acesa!

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Alex, coloque o carro em um scanner automotivo para verificar. Pode ser vários motivos causando essa perda de potência.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)