Aqui descreveremos e discutiremos o sensor de pressão absoluta múltiplo do motor (MAP – manifold absolute pressure). Esta parte é comumente referida como o sensor MAP. Então, o artigo abaixo explica sobre a função do sensor MAP, o princípio de funcionamento e os sintomas que você pode procurar se fosse ruim.

Qual a função do sensor MAP?

O sensor MAP pode ser encontrado na maioria dos motores de injeção de combustível feitos hoje. Estes são motores que usam alta pressão para bombear a gasolina, que depois se vaporiza. O que o sensor MAP faz é que ele ajuda o motor a descobrir o que precisa para obter a melhor combustão possível. Isso é feito calculando a quantidade de ar que entra no motor, o número de rotações no motor por minuto e a temperatura do ar. Uma vez que tudo isso é descoberto, a unidade de controle eletrônico do motor calcula a densidade do ar dentro da mistura de combustível. Com base neste cálculo, a unidade de controle eletrônico irá regular o fluxo de combustível e o fluxo de ar em conformidade para que a melhor combustão possível possa ser realizada.

Sintomas comuns de sensor MAP com defeito

Você saberá quando você tiver um mau sensor de MAP porque os sinais serão facilmente visíveis. Você pode experimentar um desempenho fraco do motor ao acelerar, desacelerar ou ao deixar o carro em marcha lenta. Abaixo está uma descrição maior dos principais sinais.

Potência Reduzida

Se o seu sensor MAP estiver com defeito, pode determinar erroneamente que a pressão do coletor de admissão é baixa. Isso indicará ao módulo de controle que há uma carga de motor muito menor. Como resultado, o motor terá menos injeção de combustível nele. Isso pode parecer bom porque ajudará na economia de combustível. No entanto, o seu motor não será tão poderoso porque não tem combustível suficiente injetado. Isso também faz com que as temperaturas na câmara de combustão aumentem e a quantidade de óxidos de nitrogênio que está sendo gerada no motor. Isso também cria poluição atmosférica.

Sensor MAP

O sensor MAP é um importante componente de veículos com injeção eletrônica e sua manutenção garante um bom funcionamento do veículo. (Foto: amazon.com)

Economia de combustível baixa

Se o seu sensor MAP estiver com defeito, pode determinar erroneamente que a pressão do coletor de admissão é alta. Isso indicará ao módulo de controle que há uma carga de motor muito maior. Como resultado, o motor terá mais combustível injetado. Isso significa que você precisará bombear mais combustível para acompanhar esta demanda aumentada de combustível do seu veículo. Não só a sua economia de combustível diminuirá como a quantidade de emissões de monóxido de carbono e hidrocarbonetos aumentará. Esses componentes químicos são o que compõem o smog, uma forma de poluição causada por veículos.

Não passa no teste de emissão

Se você tiver um sensor de MAP defeituoso em seu veículo, então não passará um teste de emissões. As emissões que saem do seu tubo de escape terão muitos hidrocarbonetos, monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio neles.

Como funciona o sensor MAP?

A pressão barométrica externa é semelhante à pressão do coletor de admissão quando o motor está desligado. Mas quando você liga o motor, o interior do coletor de admissão tem um vácuo criado lá por causa do movimento de bombeamento dos pistões e as placas do acelerador criando mais restrições. Se o motor estiver funcionando e há um acelerador totalmente aberto, então praticamente não há pressão de vácuo no interior do coletor de admissão. Isso faz com que a pressão seja igual à pressão barométrica externa.

A quantidade exata de pressão barométrica depende de onde você está localizado e das condições atuais do clima. Você terá pressão de ar mais baixa em locais com maiores elevações e maior pressão do ar em locais com elevações mais baixas.

Esse vácuo que é criado no interior do colector de admissão pode ter de 0 a 60 cm de mercúrio. Dependendo das condições de operação, este número pode ser maior. Um vácuo ocioso na maioria dos carros terá entre 41 e 51 cm de mercúrio. Você terá um vácuo em um nível ainda maior se o acelerador estiver fechado enquanto você está desacelerando. Isso acontece porque os pistões não podem trazer mais ar através do acelerador fechado. Isso resulta em uma formação de vácuo muito maior no interior do coletor de admissão. Quando você acelera e o acelerador abre, grandes quantidades de ar são trazidas para o motor e o nível de vácuo cai até zero. À medida que o acelerador se fecha gradualmente, o vácuo gradualmente aumenta.

À medida que você vira chave de ignição antes do início do motor, o módulo de controle recebe uma leitura do sensor MAP. Isso indica ao módulo qual é a pressão barométrica (também conhecida como pressão atmosférica). O módulo de controle leva essas informações em consideração ao regular a mistura de combustível e ar. Isso é útil quando a pressão do ar fora muda devido ao clima ou à elevação da localização. Você pode ter um veículo que use um sensor BARO para medir isso enquanto outros veículos usam um sensor BMAP para medir ambos.

Como testar o sensor MAP?

Localize o sensor MAP no seu veículo através do manual do proprietário, manual de serviços ou guias pela internet.

Verifique a mangueira de vácuo ligada ao sensor e certifique-se de que está em boas condições e livre de obstruções. Certifique-se de que não haja fios soltos e o conector elétrico do sensor esteja em boa forma.

Determine o tipo de sensor MAP instalado no seu veículo, se é do tipo de tensão ou frequência. Se você tiver um tipo de tensão, você usará um voltímetro para este teste; Se for um tipo de frequência, você usará um tacômetro. Consulte seu manual de serviço do veículo se você não tem certeza do tipo que você possui.

Desconecte o conector elétrico do sensor MAP e ligue a chave de ignição, mas não comece o motor. Com um voltímetro, meça a tensão de referência tocando o fio de referência com o cabo positivo do medidor e o fio negativo para o fio preto, que está na extremidade do conector que vem da central. Se a tensão de referência – cerca de 5 volts – estiver fora de especificação, você encontrou a origem do problema. Reconecte o sensor MAP e desligue a chave de ignição. Leve seu veículo para um profissional para testes adicionais.

Conecte a sonda negativa do voltímetro ou do tacômetro ao fio de terra (preto) e a sonda positiva ao fio do sinal. O conector do sensor deve ser conectado. O terceiro fio – o fio de referência – produz apenas um sinal constante de 5 volts. Consulte o diagrama de fiação no manual de serviço do seu veículo, se necessário. Você pode querer inserir pinos nos fios para conectar as sondas para este teste.

Desconecte a mangueira de vácuo do sensor MAP e prenda uma bomba de vácuo manual. Ligue a chave de ignição, mas não ligue o motor.

Leia a tensão ou rpm. Com zero cm de vácuo de mercúrio (in-Hg), você deve obter entre 4,5 e 5 volts, ou entre 300 e 320 rpm.

Aplique 13 cm-Hg de vácuo. Você deveria ler agora cerca de 3,75 volts, ou entre 275 e 295 rpm.

Aplique 51 cm-Hg de vácuo agora. Desta vez, você deve ler aproximadamente 1,1 volts, ou entre 200 e 215 rpm. Compare suas leituras com as especificadas no manual do serviço do veículo. Se os valores estiverem fora de especificação, substitua o sensor MAP.

Consulte o diagrama de fiação do manual de serviço para o seu veículo específico para localizar facilmente componentes e identificar fios. Você pode comprar um manual de serviço do veículo na maioria das lojas de peças automotivas ou consultar um gratuitamente na internet.

Se você não tem ou não pode comprar uma bomba de vácuo ou tacômetro de mão, você pode alugar uma.

Você já teve problemas no sensor MAP? Quais? Como fez o diagnóstico?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)