O que tem de tão incrível no motor Flex? Como funciona? Como ele consegue distinguir dois tipos tão diferentes de combustíveis? Todas as respostas desta pergunta você encontra neste artigo, confira tudo isso a seguir:

A eletrônica

A possibilidade de criar o motor flex veio do advento do gerenciamento eletrônico do motor. Tudo isso foi evoluindo ao longo dos anos, mas teve um início bem lento na segunda metade dos anos 1970.

Para o motor flex tornar-se realidade, foi preciso ser adicionado um sensor para identificar o tipo de combustível no tanque. Isso é possível de acontecer, devido à condutividade elétrica que é bem diferente da gasolina e do álcool.

Este sensor foi colocado estrategicamente no interior do tanque, ele é responsável por enviar o valor da resistência à passagem de corrente ao ECM. A partir deste processo é possível identificar qual o combustível está lidando.

A evolução

A parte mais difícil de todo novo sistema, certamente é o seu período inicial, os erros aparecem sempre neste período e várias reformulações são feitas até chegar ao resultado ideal.

No início, este sistema de identificação de combustível tinha um problema de ser muito lento. Às vezes o veículo chegava a andar 2 Km até que a relação ar-combustível fosse totalmente corrigida. Durante este percurso, o dono do carro tinha que conviver com um mau funcionamento do veículo, além de aumentar as emissões de gases pelo escapamento.

Como funciona o motor Flex?

Quais as vantagens do motor Flex?

Apenas no início dos anos 2000 que a indústria conseguiu desenvolver uma maneira eficaz de determinar o combustível que está no tanque. Eles aproveitaram o mesmo sensor de oxigênio que existe no escapamento. Este sensor teve sua função ampliada para a circunstância atual de haver álcool ou gasolina no tanque.

Este sensor detecta a mistura ar-combustível que está combustada. Ele é capaz de fazer isso, devido a maior ou menor presença de oxigênio, depois de ter feito isso, ele vai passar a informação ao ECM quem em seguida providencia o ajuste necessário. Todo este processo ocorre em segundos.

As principais diferenças do carro flex

Você certamente vai ter o mesmo carro a gasolina, mas com algumas pequenas mudanças. Confiram as principais mudanças a seguir:

  • O carro terá um software do módulo de controle eletrônico para maior capacidade de processamento.
  • O motor vai receber alterações nos materiais das válvulas e de suas sedes. Tudo isso é necessário já que o álcool não tem as mesmas propriedades lubrificantes da gasolina.
  • A bomba de combustível que geralmente fica imersa no combustível do tanque foi projetada para ficar sempre em contato com o álcool.
  • Existe um sistema que torna possível ligar o motor nas condições de baixas temperaturas. Este sistema consiste num pequeno reservatório de gasolina no compartimento do motor e uma bomba elétrica.

Para entender ainda melhor o funcionamento de um motor flex, confira este incrível vídeo a seguir:

Novos estudos estão feitos para minimizar ainda mais este tipo de problemas com as partidas em baixas temperaturas. Novos sistemas estão sendo projetados para permitir esta ação com temperaturas de até 8 graus.

Estamos encerrando aqui o nosso artigo sobre o motor flex. Esperamos que tenham gostado das informações e que todas as suas respostas tenham sido respondidas.

6 comentários para “Como funciona o motor Flex?”

  1. Mauricio Pietro

    Gostei muito da sua explicação, só queria saber uma coisa, eu tenho um corsa flex percebi que ele esta gastando muito na gasolina deve estar fazendo uns 7 k com litro e no álcool o mesmo, será que e por que eu usei muito tempo só álcool e o modulo só está reconhecendo Álcool, e se tem perigo de estragar o motor usando gasolina, o que devo fazer, abração e muito obrigado

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Pode ser que o módulo está reconhecendo só álcool sim, Mauricio. Vale a pena levar seu carro para um mecânico que tenha um scanner, para verificar se há algum erro no sistema.

      Responder
      • Guilherme

        Mas tem sentido? Porque por ele reconhcer, vai mandar uma quantia diferente de combustível, mas a mistura de ar dai? Não teria que mudar? Ou minha linha de raciocínio esta equivocada?

      • Equipe Carro de Garagem

        Guilherme, o sistema faz todo esse cálculo a partir da queima do combustível. É Bem simples, na prática.

  2. Ricardo

    Bom dia. Quando tenho meio tanque de gasolina posso completar com alcool. Qual o combustível é utiliado primeiro.

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Ricardo, tanto faz. O tanque fará a mistura à medida em que o veículo se movimenta.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)