Depois de um tempo sumido, o gás natural veicular (GNV) vem voltando a conquistar pessoas, principalmente devido ao aumento do preço dos combustíveis.

Apesar da conversão ser simples e ser realizada em qualquer veículo, há prós e contras que devem ser levados em consideração antes de realizar o procedimento.

Atualmente, os kits disponíveis no mercado estão mais modernos e utiizam injetores a gás. Alguns veículos, como o Palio Weekend, vêm de fábrica com o sistema.

A seguir, mais informações que devem ser analisadas antes de converter o seu veículo para GNV:

  • Apesar da possibilidade de conversão para qualquer veículo, os que são movidos à álcool se adaptam melhor.
  • O carro perde potência então, dê preferência para veículos com motor acima de 1.6.
  • Apesar de ser mais econômico e render mais, só compensa para quem se desloca muito mensalmente.
  • O porta-malas perderá boa parte da capacidade de bagagem.

    Gás natural

    Converter o carro para GNV nem sempre vale a pena

  • O carro fica mais pesado e sua estrutura sofre mais. Então será preciso reforçá-la e trocar as molas.
  • Há maior desgaste do amortecedor, das velas de ignição, cabos e embreagem.
  • O risco de combustão é menor e é ecologicamente correto.
  • O intervalo de troca de óleo e a vida útil do motor é prolongado.
  • Não há possibilidade de adquirir combustível batizado.
  • Após adquirir o kit, ele pode ser transferido para qualquer outro veículo no futuro.
  • Se o carro estiver na garantia de fábrica e houver problemas no motor, o fabricante não cobre. Você terá que acionar a empresa que instalou o kit ou a fabricante do mesmo.
  • Não há muitos postos que oferecem esse tipo de combustível.

Se você decidir fazer a adaptação do sistema, saiba que custa em média 3.500 reais e deve ser realizada por uma oficina autorizada pelo Inmetro. Após o serviço, exija a nota fiscal e o certificado de homologação.  Depois agende uma visita para vistoria, leve todos os documentos exigidos e pronto.

Saiba também sobre peças mais baratas e o que compensa mais, consórcio ou financiamento.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)