Além de pneus e assentos do seu carro, a suspensão é o mecanismo principal que separa você do chão na estrada. Ele também impede que imperfeições da estrada cheguem até você e seus passageiros, pois não importa o quão boa uma estrada é, sempre existem imperfeições no asfalto. Por isso, todos os veículos dependem de suspensão. Metros e trens tem suspensão e você já deve ter notado o quão dura é uma viagem por esses meios: é porque falta também os pneus de borracha, que ajudam ainda mais no trabalho da suspensão. Mas quais são os tipos de suspensão de carros?

Partes de uma suspensão automotiva

Em sua forma mais básica, suspensão consiste em três componentes básicos: molas, elementos absorventes de impacto, e coxins.

Molas: podem ser helicoidais, barras de torção e molas de lâminas. As molas helicoidais são as mais conhecidas, e são uma “barra de torção” enrolada na forma de uma mola. Molas de lâmina eram mais comuns na maioria dos carros até o fim da década de 80/início da década de 90, enquanto quase todos os veículos pesados ainda usam esse tipo de sistema de suspensão. Elas se parecem com camadas de metal conectados ao eixo. A barra de torção é um pouco de engenharia trabalhada, que tem o desempenho em espiral de uma mola só que usando como base as propriedades de torção de uma barra de aço. É usada na suspensão de Fuscas e Karmann Ghia, Porsches refrigerados a ar mais antigos, entre outros carros. Em vez de ter uma mola em espiral, o eixo está ligado a uma extremidade de um cabo de aço. A outra extremidade tem um encaixe para um tubo e mantido lá por ranhuras. Como os movimentos de suspensão, o eixo se torce ao longo do comprimento do tubo que, por sua vez, resiste à torção. Essa resistência e movimento funciona, fisicamente, como um sistema de molas, amortecendo impactos e imperfeições da estrada.

Elementos absorventes de impacto: são os pistões, braços oscilantes, e batentes, que ajudam as molas a absorverem os impeactos. Se seu veículo tivesse apenas uma suspensão independente com molas, você perderia o controle do veículo e/ou ele ficaria muito mais instável para dirigir. Além disso, sem os amortecedores, seu carro absorverá diretamente tantas vibrações que ele poder até desmontar na estrada sozinho. Amortecedores tem duas funções básicas, sendo uma a de absorver impactos que a mola não reduz a força o suficiente e preservar a integridade do sistema de suspensão.

Coxins: peças de borracha que separam a suspensão do chassi e lataria do veículo. São peças de borracha, poliuretano ou outros materiais muito resistentes que se deformam ao lidar com impactos. Dessa forma, o coxim impede que os impactos absorvidos pelas molas e amortecedores quebrem seu chassi ou lataria, pois a sua suspensão vai se “assentar” nestas “almofadas”, evitando danos ao veículo. Se seu veículo está trepidando muito ou parece muito duro, pode ser um sinal de um coxim “estourado”.

Um resumo do trabalho dos três componentes básicos da suspensão

As molas servem para “adaptar” suas rodas às imperfeições das ruas e estradas (subindo e descendo), mas mantendo o seu carro em uma linha reta; e os amortecedores absorvem os impactos, impedindo que as vibrações das imperfeições passem para o motorista. E o coxim dá o suporte necessário no veículo à essas peças. Existem sistemas mais modernos, que unem a mola e o amortecedor em uma só peça, mas deixaremos esse tipo de modernidade para um outro artigo.

Partes de um tipo de suspensão

No sistema da foto, temos as molas, os amortecedores e o eixo sobre o qual o sistema da suspensão é construído. Apesar de muitas molas serem montadas ao redor do próprio amortecedor, veja que no exemplo são dois elementos separados. (Foto: www.circulaseguro.pt)

Tipos de suspensão automotiva

Muitos nomes usados pelas fabricantes nada são além de uma variação de um mesmo tipo de suspensão. Por exemplo, existem certos tipos de suspensão traseira que podem usar a mesma engenharia, mas ter nomes complicados em outras línguas apenas para “vender” melhor o sistema. Lembramos também que a suspensão dianteira e traseira podem ser de dois tipos diferentes de suspensão. Para escolher um sistema de suspensão para carros off-road, a coisa é diferente, e sistemas independentes de suspensão são uma obrigação na hora de aprender como escolher o veículo off-road certo para você.

Vamos aos tipos de suspensão que seu veículo pode usar.

  • Sistema dependente – Suspensão dianteira

Quando os sistemas de suspensão da roda dianteira são fisicamente ligados. Ele é, basicamente, uma barra sólida sob a parte dianteira do carro, mantida no lugar por molas e amortecedores. Ainda é comum encontrar este sistema em caminhões. É um sistema muito oscilante, pesado e que torna difícil (ou praticamente impossível) alinhar as rodas, caso o eixo sólido entorte. Ou você endireita o eixo todo ou as rodas continuarão tortas.

  • Sistema independente – Suspensão dianteira

A suspensão independente geralmente opera por meio de molas helicoidais, barras de torção e diretos, ou diretamente por duplos amortecedores.

  • Sistema de eixo sólido – Suspensão dianteira

Em uma construção de eixo sólido, os conjuntos de eixo e rodas estão ligados ao carro por molas e amortecedores ao eixo por pontos de articulação, que permitem o movimento e rolamento das rodas.

Partes de um sistema de suspensão por lâminas

Como você pode ver, ainda integra um sistema de suspensão por lâminas um braço em “U”, que dá uma carga inicial às lâminas para seu funcionamento. (Foto: www.4x4brasil.com.br)

  • Molas de lâminas

As molas de lâminas são usadas em conjunto com vigas de eixo sólido na maioria dos caminhões. Feixes de molas traseiras são usados ​​em caminhões e alguns carros de passageiros. São geralmente montadas longitudinalmente sobre a viga do eixo da frente ou sob a carcaça do eixo traseiro. O parafuso central mola prende as lâminas juntas, e seu topo localiza a mola na viga do eixo dianteiro ou sobre a carcaça do eixo traseiro. Parafusos prendem a mola firmemente no lugar evitam qualquer deslocamento.  Em muitos casos, as molas de lâminas são usadas na parte traseira do veículo em combinação com um outro tipo de molas na frente. As lâminas são colocadas em paralelo ao chassi para absorver o torque das rodas motrizes, servindo também como estabilizadora para as laterais do veículo.

Elementos de uma suspensão helicoidal

O tipo de suspensão por molas helicoidais é quase sempre combinado com amortecedores hidráulicos. No centro da foto, estão os amortecedores, e nas laterais, as molas helicoidais. (Foto: kjramortecedoresemolas.com.br)

  • Molas helicoidais

Muitos sistemas de suspensão dianteira independente incorporam molas helicoidais montadas entre o braço oscilante e o coxim, na parte superior. Geralmente, o braço oscilante da roda gira em torno de um conjunto de bucha e o eixo, que está aparafusado ao quadro. Os pivôs do braço mais baixos oscilam em um conjunto de bucha e eixo, ou em um elemento transversal da estrutura. Estabilizadores ou barras estabilizadoras são usados ​​em conjunto com a suspensão dianteira em muitos carros para amortecer choques e minimizar as vibrações da estrada. Estas barras são suportadas pela estrutura frontal do veículo e estendem-se de um braço oscilante até o outro. Quando as molas helicoidais são utilizadas na suspensão dianteira e traseira, três ou quatro braços oscilantes são colocados entre o eixo traseiro e a armação para levar o torque de movimentação e frenagem às rodas.

Partes do sistema de barra de torção

A imagem mostra, na suspensão traseira, o sistema de barra de torção, com o eixo da mesma passando entre as duas rodas. (Foto: www.mecanicaonline.com.br)

  • Barras de torção

Basicamente, barra de torção é um método para utilizar a flexibilidade de uma barra de aço ou tubo de torção no sentido de seu comprimento para proporcionar uma ação de mola. Em vez da ação de flexão de uma mola de lâmina ou helicoidal, a barra de torção se torce para exercer uma resistência contra o movimento ascendente e descendente. Por exemplo, um sistema de suspensão dianteira independente com barras de torção montadas longitudinalmente, teria, uma extremidade das barras ancoradas ao quadro do carro e a outra extremidade ligada aos braços oscilantes inferiores. Com cada subida e descida de uma roda da frente, o braço de controle oscila, torcendo a barra de torção ao longo do seu comprimento para absorver as imperfeições das estradas e amortecer o passeio. Também podem ser usadas lateralmente, com uma ação da mola pra frente, ou nas rodas traseiras, como um sistema de suspensão independente.

Partes de um sistema de suspensão com funcionamento a ar

Existem muitas partes em um sistema de suspensão a ar, pois seu funcionamento depende, diretamente, da pressão no ar dentro do sistema. (Foto: divulgação)

  • Suspensão a ar

O sistema de suspensão a ar é projetado para amortecer o passeio e manter o carro, ônibus ou caminhão em uma altura constante, independentemente da carga. Um sistema de suspensão de ar típico consiste em um compressor de ar acionado pelo motor, o tanque de alimentação, o filtro ou condensador, válvulas, tubulações, os controles e as molas de ar em operação. O compressor de ar mantém uma pressão constante no tanque de fornecimento. O ar é canalizado para as válvulas de controle, que alimentam cada mola de ar, conforme necessário. A pressão é aumentada automaticamente em ambos os lados ou na parte dianteira ou traseira, como requerido, para manter o nível do carro e em qualquer altura desejada a partir da estrada (dentro dos limites do sistema). Vale lembrar que a suspensão a ar é regulamentada no Brasil, e pode ser colocada em seu veículo, desde que você faça a vistoria para regularização. É um sistema moderno, mas você deve saber escolher a melhor suspensão a ar para seu veículo antes de sair comprando qualquer kit por aí.

  • Controle automático de nível

As molas pneumáticas não são usados ​​no sistema de controle automático de nível. O amortecedor traseiro estende-se ou comprime-se para que a traseira e dianteira do carro fiquem no mesmo nível. Este sistema automático utiliza no compressor de ar, sistema de tanque reservatório, regulador de pressão, mangueiras, tubos flexíveis, válvula de controle de altura e amortecedores especiais de choque. Neste sistema, é possível ajustar as molas de acordo com a carga do veículo.

  • <Amortecedores

Uma grande variedade de dispositivos de absorção de choque têm sido utilizada para controlar a ação de mola. Hoje, no entanto, temos vários sistemas onde os amortecedores agem sozinhos, sem as molas. Um amortecedor pode ser hidráulico, preenchido com fluidos, ou até pneumático, preenchido com ar.

Considerações Finais

Podemos ter esquecido um ou outro tipo de suspensão automotiva nesse artigo. Mas se esquecemos, deixe no comentário o tipo e nome da suspensão que esquecemos, e teremos o prazer de acrescentar em nosso artigo!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)