Ao sair da fábrica, na teoria, o carro está na sua melhor forma possível. Após testes extensivos nas ruas e laboratórios, todas as peças deveriam funcionar perfeitamente. Mas não é o que ocorre sempre. Em alguns casos, algumas partes do veículo apresentam defeitos de fabricação ou de projeto, tornando necessário o recall por parte do fabricante para corrigir esse problema para evitar acidentes ou mesmo evitar dores de cabeça para o proprietário (quando é um defeito que não oferece risco de vida diretamente ao condutor). Entender os direitos do proprietário no recall de um veículo faz toda a diferença!

Recall tem prazo de validade?

A partir do momento em que um carro é chamado para um recall, o consumidor pode aparecer a qualquer momento na concessionária para solicitar o serviço de reparo no veículo. Portanto, não há prazo de validade. Geralmente, basta apenas agendar o reparo.

Direito do consumidor no recall: conserto é gratuito?

O recall não pode gerar qualquer custo para o consumidor. A necessidade de percorrer maiores distâncias ou a perda de um dia de trabalho para o dia de conserto pode ser exigida como compensação na justiça, caso o consumidor se sinta prejudicado ou tenha algum prejuízo.

E problemas no atendimento ou demora no reparo?

Você pode fazer denúncia no Procon de sua cidade, para garantir seus direitos, e pedir reparação na justiça se você tiver qualquer prejuízo, como perder um dia de trabalho.

Funcionamento do recall de um veículo

No recall de um veículo, o proprietário não terá qualquer custo, e a montadora e concessionária é que terão que arcar com todas as peças e serviços para o recall. (Foto: www.appsolutecreations.com)

Guarde os comprovantes do recall

Após o conserto ser efetuado, mesmo sendo o recall de um veículo que é gratuito. O comprovante é um documento legal, que servirá para mostrar a quem comprar o veículo de você que o reparo no veículo foi realizado, e se o mesmo apresentar defeito, poderá ter os direitos exigidos na justiça.

Se eu não levar meu carro no recall, perco a garantia?

Não. Inclusive, a montadora sempre será a responsável pelos problemas que o veículo apresentar, porque ela foi culpada por ter colocado um produto apresentando defeito. Se por exemplo, ocorrer um acidente por conta dessa falha, a montadora poderá ser processada.

Percebi um defeito no carro. Como saber se esse defeito é para recall ou um defeito normal?

Quando o carro começa a apresentar defeitos sistemáticos, e você percebe que muitos outros proprietários relatam o mesmo problema com o veículo, você deve entrar em contato com a montadora para saber se há algum pedido aberto de recall para o veículo. Caso não haja, mas você ache que o problema é algo que é um problema que já vem do projeto original do veículo, é uma boa ideia ir com mais pessoas ao Procon de sua cidade e entrar com uma reclamação, ao mesmo tempo que entra com uma reclamação na justiça.

Carro usado pode ser levado para recall?

Pode sim, se o proprietário anterior não levou o veículo para o recall ou se este foi feito após você adquirir o veículo.

Como saber se um veículo já esteve em um recall?

A melhor fonte de informações é o site oficial da marca do seu veículo, seja um modelo zero km ou modelo usado. Apesar de haver alguns sites do Governo com informações sobre veículos que sofreram recall, as montadoras são mais dinâmicas nessa atualização, e são mais interessadas em fazer essa informação chegar aos seus consumidores mais rápido e com mais precisão sobre quais veículos e modelos foram chamados para o recall.

Preciso levar o carro para um recall?

Você não é obrigado. Porém, postergar o serviço aumenta os riscos que você corre quando o recall é para um problema do veículo em um sistema essencial de segurança, como um airbag ou sistema de freios. Mesmo quando é só um reparo estético, é melhor fazer a troca cedo do que deixar a peça apresentar um defeito, estragando de vez, e podendo afetas peças adjacentes.

Seu veículo já foi chamado para um recall? Como foi? Teve algum problema no recall?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)