Como vender seu carro com segurança?

Escrito na categoria "Automóveis e veículos" por André M. Coelho.

Vender seu veículo é uma alegria e tanto. Aquele dinheiro que entra para a compra de um novo carro ou mesmo para solucionar uma situação financeira complicada coloca um sorriso no rosto de qualquer um. Até que no dia da venda, acontece alguma coisa e pronto: a venda foi toda pelo brejo. E essa “alguma coisa” pode inclusive te deixar sem carro.

Digamos que você está dirigindo o carro para o local da venda e bata com ele. Se você não tem seguro (já começou errado), terá que arcar com os reparo, tomar um prejuízo e possivelmente, pode até perder sua venda. Alguns vendedores de mau caráter tentam esconder defeitos do veículo, um outro erro gravíssimo. Já ouvi sobre casos de vendedores que foram processados pelos compradores e tiveram que arcar com tanto prejuízo que o lucro na venda não compensou em nada a mentira.

Seja sincero em sua venda e faça todos os reparos necessários no veículo. Caso não queira ou não tenha condições de fazê-lo, repasse as informações em contrato para o comprador, anotando-as com a ajuda de um mecânico e de seu advogado. Seja minucioso nos detalhes e deixe o comprador ciente e seguro, pois assim você estabelece uma relação de negociação muito mais saudável e que irá praticamente garantir sua venda.

Com estes preparativos, é hora de manter a calma e começar o processo de concretização do negócio. O recibo deve ser passado para o nome do comprador, valores tem que ser transferidos entre as partes e finalmente, o comprador tem que ir buscar o veículo.

Dicas para vender um carro

Respeite as etapas e o tempo antes de passar a chave para o comprador. (Foto: maissuperior.com)

Na primeira parte deste processo, o recibo, só faça a transferência assim que o dinheiro estiver em suas mãos. Se vocês já assinaram um contrato e o registraram em um cartório, deixe claro no contrato que o recibo só será assinado mediante pagamento comprovado. Não espere um comprovante, espere o dinheiro NA CONTA ou EM MÃOS. Qualquer outra opção pode ser uma tentativa de golpe. Se o comprador está muito impaciente e faça ameaças, por pior que possa ser, deixa a venda de lado e busque outros compradores, pois este irá te dar dores de cabeça.

Na transferência de valores, tanto no contrato de venda, quanto notas promissórias (para o caso de parcelamentos) devem ser usados para garantir a segurança do recebimento. Ambas as partes estarão seguras e assim, o recibo pode ser transferido de nome.

Por fim, temos a entrega do veículo. Recomendamos que esta seja feita em sua residência ou bem próximo dela, evitando que o mesmo seja roubado ou sofra qualquer tipo de dano antes da concretização do negócio. O novo dono tem que já ser o responsável pelo mesmo e tem que saber que terá que buscar o veículo, para que você não crie um problema após a venda concretizada e deixe o comprador chateado.

Nunca seja apressado nem para a venda, nem para a compra de um veículo. Como já dissemos antes e repetimos: a pressa é a inimiga da perfeição e a melhor amiga do prejuízo. Cuide de sua venda com cuidado e estará evitando dores de cabeça e muitos outros problemas.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

O pai de André já teve alguns carros clássicos antes de falecer, como Diplomata, Chevette e Opala. Após completar 18 anos, tirou carteira de moto e carro, comprando então sua primeira moto, uma Honda Sahara 350. Fez um curso de mecânica de motos para começar uma restauração na moto, e acabou aprendendo também como consertar alguns problemas de carros. Seu primeiro carro foi uma Nissan Grand Livina de 2014 e pretende em breve comprar uma picape diesel. No caminho, vai compartilhando tudo que aprende no site Carro de Garagem.

Deixe um comentário