Depois de se reunir em dezembro passado, em Madrid, Espanha, a Comissão do Grand Prix decidiu novas regras e procedimentos que se tornam ativas nas temporadas compreendidas entre 2013-2015. Três áreas básicas foram abordadas durante as discussões:

  • Um sistema de penalidade de pontos para condução “anti-desportiva”;
  • Implementação de um sistema on-dash flagging/rider-information;
  • Controle ou redução de custos.

O sistema de pontos como punição tem como intenção desencorajar conduções agressivas e que são perigosas não só para o piloto que a executa, mas aos que estão ao seu redor. A Direção de Prova pode penalizar um piloto com determinado número de Pontos de Penalização, entre 1 e 10. Esta penalização pode ser aplicada no lugar de ou em adição a outra penalização. Assim que for aplicada, a pontuação é zerada e inicia-se a contabilização novamente. Os pontos são somados ao longo da temporada e quando se atinge determinados totais, são aplicadas as seguintes penalizações de forma automática:

  • 4 pontos: piloto começa a próxima corrida na parte de trás do grid;
  • 7 pontos: piloto começa a próxima corrida do pit lane;
  • 10 pontos: piloto é desclassificado da próxima corrida;

A inspiração óbvia para isso é a atitude do Campeão do Mundo de Moto2, Marc Marquez e sua bem divulgada manobra sobre Simone Corti ano passado, na prática, em Valência, Espanha. O novo sistema insta pilotos para considerar suas ações e consequências. Talvez, com tais limitações, o Moto GP se torne menos agressivo, mais técnico e mais seguro aos pilotos.

Em 2013 Dorna irá introduzir um transponder de cronometragem novo que terá a capacidade de exibir informações sobre o painel de instrumentos adicionais para o piloto. Mais importante ainda, isso vai incluir a capacidade de duplicar sinais de bandeiras. A utilização de um painel compatível é obrigatória a partir de 2014 e opcional em 2013. Isso proverá ao piloto mais informações sobre a pista. Considerando a decisão já citada acima, teremos mais segurança e pilotos melhores informados.

Novas regras MotoGP

As novas regras do MotoGP vem para trazer maior competitividade e segurança ao esporte. (Foto: twowheelsblog.com)

Outros regulamentos irão definir um procedimento para congelar motores homologados no MotoGP, com o objetivo de prevenir o avanço tecnológico durante a temporada de corridas, tetos de preços em 2015 para a suspensão e os componentes do freio, assim como seus contratos de prestação de serviços e, a ser anunciado em a abertura da temporada no Qatar, os preços máximos para Moto3 motos e chassis Moto2 e componentes principais. Isso é positivo, pois fará com que novas equipes tenham maior competitividade e mais chances de continuarem na categoria.

Rodas de fibra de carbono serão eliminadas e a partir de 2015, apenas rodas homologadas serão permitidas. Motores Moto3 serão distribuídos para as equipes pelos organizadores da série e não serão reconstruídos. A partir de 2014, as motocicletas Moto2 devem usar sensores de oxigênio atualizados.

Sobre o procedimento de largada, a abertura do pit lane será acompanhado de bandeira verde na saída do mesmo, em adição à luz verde. Após a conclusão da volta de apresentação, não será mais apresentada a bandeira vermelha na frente do grid e os aquecedores de pneus têm de ser removidos de imediato assim que a placa de um minuto for apresentada.

Para poder alinhar nas sessões de qualificação, um piloto tem de atingir um tempo melhor que 107% da marca do piloto mais rápido em qualquer uma das quatro sessões de treinos livres. Já não é possível qualificar-se para a corrida com base nos tempos do aquecimento. Os pilotos nomeados como substitutos de um piloto lesionado após a realização de algumas sessões de treinos livres e que não tenham atingido os 107% serão autorizados a participar no Q1, onde têm de atingir um tempo de qualificação.

Técnicas de pilotagem

As novas regras também valorizam mais o trabalho em equipe e a técnica de cada piloto. (Foto: cbc.ca)

Deixa de existir uma multa mínima que a Direção de Corrida pode aplicar. O máximo da multa é agora de 50 000 euros.

Com essas novas regras, vemos um grande esforço na obtenção de um equilíbrio maior entre as equipes mais fortes e ricas e as equipes mais novas e que tem menos recursos. Algo parecido já aconteceu na Fórmula 1, que resultou nas últimas 3 temporadas extremamente competitivas e emocionantes para pilotos e espectadores. Isto valoriza a técnica de um piloto e sua capacidade de trabalhar em equipe, algo muito apreciado em qualquer esporte.

Também vemos um grande esforço em tornar o MotoGP mais seguro, uma vez que os últimos anos não tem sido favoráveis ao esporte e a pilotagem agressiva de alguns pilotos prejudica a imagem da competição, por mais emocionante que possa parecer. Um piloto agora terá de pensar duas vezes antes de fazer uma manobra muito agressiva, precisando muito mais de técnica do que ir fazendo qualquer coisa na pista.

Achamos positivas as mudanças para o esporte, mas ainda precisamos ver como serão estas na prática, uma vez que as equipes tendem a buscar furos nas regras para melhorar seu desempenho em frente aos outros.

E vocês? O que acharam das novas regras? Compartilhem suas opiniões nos comentários!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)