Ultimamente tem havido uma enxurrada d motocicletas elétricas e scooters de fabricantes de motocicletas, designers e empresas de motocicletas não tradicionais. Na verdade, acreditamos que cada fabricante de motocicletas agora tem uma motocicleta elétrica e/ou scooter esperando para ser lançado. Mas temos alguns obstáculos para quem quer uma moto ou scooter elétrica: o silêncio, quilometragem limitada, tempo de carregamento, preço, e o design. Abaixo, destrinchamos cada um dos problemas separadamente.

Uma moto elétrica é muito quieta

Isso pode não ser um problema no futuro, porque há legislações e projetos de leis que limitam o barulho de exaustão de motos novas e de escapamentos no pós venda. Além disso, há uma nova geração de pilotos que estão mais interessados ​​em ouvir a música Bluetooth em seus capacetes do que o escapamento. As motos elétricas podem até ser as salvadoras de muitas pistas de motocross e parques off-road regionais que estão fechando graças à invasão urbana e problemas com barulho incomodando vizinhos.

Uma moto ou scooter elétrica não tem uma boa quilometragem

Uma das melhores motos elétricas (e mais cara) consegue percorrer 320 km com uma única carga. No entanto, deve-se notar que você só pode alcançar essa quilometragem andando lentamente no trânsito urbano, onde a frenagem recarrega a bateria.

A autonomia é significativamente reduzida por fatores como o calor, a aceleração constante (condução em estrada) e o aumento da carga (subida e descida de um motorista e garupa).

Mas o alcance não é realmente um problema quando os pilotos finalmente percebem que grande parte de sua pilotagem urbana é feita em percursos de menos de 100 km. Esse alcance menor não é um impedimento para motos que são usadas nas cidades, mas é um impedimento se seu propósito é viajar em percursos mais longos.

Tempo longo de carregamento para motos e scooters elétricas

Enquanto os tempos de carregamento estão melhorando, ainda são necessárias pelo menos seis horas para carregar uma bateria inteira. Você pode comprar carregadores rápidos caros e/ou ter sua rede elétrica atualizada, o que pode reduzir pela metade o tempo de carregamento. Ainda são três horas para carregar totalmente uma bateria em comparação com um minuto para encher um tanque de combustível.

Mas as fabricantes de motos elétricas afirmam que seus clientes dificilmente compram carregadores rápidos ou optam por modelos com baterias maiores, pois os proprietários vão se acostumando e se adaptando a carregar as motos enquanto as usam, assim como fazem com seus smartphones. Na verdade, baterias modernas na verdade preferem ser recarregadas constantemente, em vez de esgotadas e recarregadas.

Então, se você pode viver com um smartphone, você pode facilmente viver fazendo o mesmo com sua moto. Monte na moto ou scooter para trabalhar, ligue para carregar, chegue em casa, coloque para carregar.

Longe de casa, torna-se mais complicado. Ainda há poucos pontos de carregamento espalhados pelas grandes cidades. Imagine então no interior? Se você carrega sua moto no trabalho, o tempo de carregamento não deve ser um problema. Essa espera de quatro horas pode ser um problema em outro lugar, no entanto.

Motos elétricas

Um dos maiores problemas das motos elétricas é a quilometragem que elas conseguem atingir por carga, que é baixa, o que pode acabar te deixando na mão. (Foto: divulgação)

Scooters e motos elétricas são muito caras

Mais uma vez, com o tempo, os preços cairão. No entanto, o preço extra que você paga por essas motos não pode ser justificado no momento, a menos que você esteja usando-as o tempo todo e planeje manter uma por vários anos.

O custo extra é compensado pela eletricidade muito barata comparada ao combustível e ao fato de que a manutenção é minúscula. Até mesmo as pastilhas de freio duram mais porque a frenagem regenerativa do motor significa que você usa menos os freios.

Mas o grande problema é que as baterias vão morrer em cerca de cinco anos, então você vai ter que ficar comprando uma bateria nova assim que passar esse período. A experiência da Toyota com baterias em seus carros híbridos é que existem poucas falhas e podem durar até mais de cinco anos. Mas a bateria é um dos componentes mais caros de um veículo elétrico, então você pode ter um alto custo.

E se você tentar vender sua moto elétrica dentro de cinco anos, o valor será substancialmente depreciado.

Em cinco anos, uma bateria de reposição pode não custar tanto, mas há outro problema. E se você comprar uma moto elétrica de uma dessas empresas iniciantes, quem dirá que ainda existirão em cinco anos para vender uma bateria de substituição?

E há pouca chance de um fornecedor de pós-venda para baterias de veículos feitos por designers ou empresas start-up. Isso deixa você com uma moto que vale praticamente nada.

No entanto, se você comprar de uma grande empresa de motos elétricas ou uma das empresas tradicionais de motocicletas, é mais provável que elas tenham baterias de reposição. A maioria dos fabricantes tem pelo menos uma moto elétrica em seus catálogos.

Motos elétricas são um pouco feias

Se você olhar para as empresas de motocicletas elétricas, estas são as piores transgressoras. Elas tentam ser criativas demais e acabam criando motos e scooters com um visual péssimo. Eles não têm ideia do que um piloto quer e eles produziram abominações absolutas no design. Embora existam alguns bons exemplos, motos e scooters elétricas ainda são espaço para muita criatividade, nem sempre boa.

Porém, há modelos bonitos, inspirados no design tradicional de muitas motos e scooters históricas. Porém, não espere que sejam baratos esses modelos.

A recepção das motos e scooters elétricos pelo público

Como um modelo de alcance relativamente curto, as motos elétricas têm muito a seu favor, especialmente na forma de scooters. Elas são fáceis e familiares de usar relativamente limpas e baratas para serem executadas. No entanto, devido ao tamanho ocupado pela bateria, seu espaço de bagagem sob o assento é geralmente reduzido, e você precisa levar em conta a facilidade e conveniência de recarga em casa e no trabalho.

Como uma motocicleta mais convencional é mais complicada e uma experiência muito mais estranha. Embora o desempenho seja respeitável, com um bom torque, sem marchas e uma operação silenciosa, a experiência elétrica é muito diferente de motores a combustão. O apelo das motos elétricas, para muitos, no que é um mercado tradicional e entusiasta, tem se mostrado limitado.

A principal exceção a isso são os modelos fora de estrada, que tem ganhado cada vez mais espaço entre os entusiastas.

Vale a pena uma moto ou scooter elétrico?

Os veículos elétricos podem ser o futuro, mas ainda é cedo, particularmente no motociclismo, que está ficando para trás dos carros elétricos, tanto em termos de popularidade quanto de escolha.

Parte disso é porque o mercado geral de motocicletas é muito menor, mas é ainda mais exacerbado porque as vantagens das motos elétricas em relação às convencionais são bem menores do que as vantagens oferecidas pelos carros elétricos em relação aos veículos de quatro rodas.

E se o apelo de uma scooter elétrica sobre uma convencional é limitado, é ainda mais o caso das motocicletas elétricas.

A maioria das motocicletas é comprada por entusiastas que adoram o desempenho da combustão interna. Muitos motociclistas também são tradicionalistas, já agora com 40 ou 50 anos, que querem controles e mecanismos familiares. Se você adicionar o fato de que a maioria das motos elétricas também é cara e/ou excessivamente pesada, é difícil argumentar a favor de seu atrativo, exceto para aqueles que querem esse tipo de inovação.

É provável que esses fatores mudem com o tempo, com as motos elétricas se tornando mais rápidas, mais atraentes, mais práticas e mais baratas, enquanto, ao mesmo tempo, os preços da gasolina continuarão a subir. Até então, no entanto, as motocicletas elétricas mais atraentes são as off-road

O que vocês acham de motos e scooters elétricas? Comprariam uma?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)