Vários avanços em tecnologia de faróis aconteceram desde suas origens como lâmpadas de acetileno em 1880. Enquanto as lâmpadas halógenas ainda são os mais populares e comumente usadas ​​hoje, faróis de xenon estão cada vez mais crescendo em popularidade para veículos de fábrica, enquanto o kit Farol Xenon é proibido para veículos que não tem este em seu projeto original. Como opção, os kits de faróis para automóveis estão cada vez mais começando a diversificar nas tecnologias, usando também os faróis LED. Alguns fabricantes, como a Audi e BMW, estão até começando a fazer experiências com faróis a laser. Hoje, vamos fazer uma comparação entre os diferentes tipos de farol.

Lembrando: todo projeto de veículo modificado deve ser autorizado pelo DETRAN de seu estado, sendo corretamente vistoriado por profissionais.

Faróis de halogêneo

Faróis de halogêneo são os mais utilizados no mundo automotivo. A sua principal vantagem é que eles têm um tempo de vida muito longo. Em condições normais, uma lâmpada de luz halógena tem uma vida útil de, aproximadamente, 1.000 horas. A segunda vantagem do halogêneo é que eles são relativamente baratos de produzir, tornando assim os custos de reposição relativamente muito baixos. Enquanto o halogêneo ainda é o farol mais comumente usado, faróis de halogênio são menos eficientes do que seus concorrentes.

Luzes halógenas contêm um gás, normalmente uma combinação entre azoto e árgon, e um filamento de tungstênio, que são fechados em um tubo de vidro. O vidro é feito para resistir a temperaturas extremamente altas. Quando a lâmpada recebe a corrente elétrica do carro, isso aquece o filamento de tungstênio. O aquecimento do filamento, que chega a 2.500 graus Celsius, começa o processo de incandescência, criando a luz. Este é o lugar onde a ineficiência dos faróis halógenos se expõe: para gerar a luz brilhante, a lâmpada de halogêneo também produz uma grande quantidade de calor. Este calor representa um desperdício de energia, pois não é transformado, necessariamente, em luz.

Importância dos faróis para um veículo

Um kit de farol não é apenas estético: é algo funcional e extremamente importante para a segurança do seu veículo. (Foto: en.wikipedia.org)

Faróis de Xenon

Contém uma combinação de gases e metais raros que são aquecidos para gerar um branco ou azul brilhante. Xenons tem aproximadamente duas a três vezes mais brilho do que lâmpadas de halogêneo tradicionais e algumas pessoas sentem que o seu brilho pode ser uma distração para os outros condutores na estrada. Lâmpadas Xenon do tipo HID (High Intensity Discharge/Descarga de Alta Intensidade), que requerem menos energia para funcionar, tem uma luz ainda mais brilhante. Tanto o xenon normal quando o HID gastam apenas 35 watts de potência, elas geralmente tem vida útil de 2000 horas, fazendo dos faróis de xenônio mais eficiente do que halogênio. Em alguns modelos de automóveis, eles implementam iluminação HID apenas para seus faróis baixos, enquanto a luz de farol alto é fornecida por um conjunto separado de lâmpadas halógenas. Para os veículos com faróis bi-xenon, os faróis de xenon o baixo e alto são iluminados por um kit xenon. Xenon oferece a melhor e maior visibilidade ao motorista, em comparação a outros sistemas.

São mais caros do que o halogênio e podem ter compostos químicos perigosos em sua composição. Além disso, a mesma luminosidade que ajuda o motorista pode prejudicar a visão de outros. Por isso, apenas veículos que vem de fábrica com faróis xenon tem este tipo de farol legalizado. Demais veículos, tais como veículos rurais, quadriciclos, ou que precisam de uma iluminação diferente podem receber autorização do DETRAN para poder funcionar. Porém, deverão também passar por vistoria.

Não instale o kit de farol xênon sem antes ter a autorização do DETRAN, ou você corre o risco de ser multado e ter seu veículo recolhido, além de poder causar um acidente na estrada por ter cegado um outro motorista com a iluminação mais forte.

Faróis de LED

Lâmpadas de faróis LED em carros apareceram pela primeira vez em 2004, e o primeiro carro que ofereceu faróis LED completos foi o Audi R8. Muitos argumentariam que os LEDs parece ser a solução mais ideal para os automóveis produzidos em massa. No entanto, há também vários inconvenientes com a tecnologia.

A maior vantagem para faróis de LED é o fato de que eles precisam de muito pouca energia para funcionar. Esta é uma enorme vantagem, principalmente para carros híbridos e elétricos que precisam economizar o máximo possível de energia. Ao contrário de lâmpadas halógenas, faróis LED não emitem calor durante a criação de luz. No entanto, o que eles fazem é criar uma pequena quantidade de calor para a parte inferior do emissor. Isso cria um risco potencial para partes próximas, como cabos e suportes, exigindo partes mais resistentes – e caras – para todo o equipamento que está ao redor da luz LED.

Como as lâmpadas LED são tão pequenas em tamanho, são altamente personalizáveis, mas os custos de produção ainda são mais caros. É um sistema fácil de instalar mas, assim como os faróis de xenon, é necessária a autorização do DETRAN, caso você esteja modificando o projeto original do seu veículo.

Faróis Laser

Ano BMW foi a primeira a oferecer faróis a laser como uma opção em seu supercarro híbrido i8. Só que é o laser indireto. Como assim? Os feixes de laser são focados em uma nuvem de gás de fósforo amarelo. Quando excitado pelo laser, esse gás emite um poderoso brilho branco, que é então refletido e difundido para iluminar a estrada à frente. Inicialmente, este sistema de luz laser só é usado para o farol alto. Nesse novo sistema, os faróis são menores, mais eficientes em termos energéticos, e podem iluminar a estrada até 600 metros à frente do veículo. Em comparação, faróis LED podem chegar à metade dessa potência.

As grandes desvantagens deste sistema é que ele ainda é muito caro, muito específica para alguns modelos de veículo de luxo e ainda é, relativamente, uma tecnologia nova. Talvez, nos próximos anos, veremos mais sobre os faróis laser sendo popularizados.

Qual o melhor tipo de farol?

Então, agora que temos comparou, qual é o melhor? Esta pergunta não pode ser respondida diretamente. Diferentes aplicações vão exigir diferentes formas de iluminação. Em ambientes rurais, por exemplo, um trator com farol de xenon pode ter o trabalho noturno facilitado. Trilheiros também podem ver vantagem nesse sistema. Agora, carros que rodam muito e ficam com faróis acesos por muito tempo, tais como táxis, ônibus e caminhões, podem se beneficiar dos menores custos das lâmpadas de halogênio. É pesar tudo antes de decidir. Afinal, engenheiros passam anos pensando o melhor custo benefício para o projeto de um veículo. Não vamos desmerecer esse conhecimento, não é?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)