Muitos proprietários de carros automáticos ou manuais já passaram pela mesma situação, onde a marcha fica dura para passar ou para entrar em algumas marchas específicas. Qual pode ser a causa desse pequeno problema?

Câmbio duro para engatar no manual: diagnóstico

O câmbio duro para engatar é causado geralmente por uma embreagem defeituosa ou gasta, mas há outras áreas que necessitam ser consideradas ao diagnosticar um problema de câmbio duro. Cabos de desgastados, ligações soltas e os trilhos de mudança de marcha torcidos ou danificados são também muito comuns.

Quando os rolamentos estão desgastados e começam a oferecer resistência, ocorre uma mudança brusca. Uma transmissão manual utiliza rolamentos de rolos de agulhas entre as engrenagens accionadas e o eixo principal em que giram. Isto permite que as engrenagens girem livremente quando não estão fixadas ao veio pelo conjunto do cubo do sincronizador. Se houver lubrificação insuficiente, o deslocamento em seco ocorrerá; A engrenagem que deve estar girando livremente arrasta e gira com o eixo, resultando na troca de marcha mais dura.

Cuidados com a marcha do carro

Com trocas mais duras de marchas, o quanto antes o problema for reparado, melhor será para a vida útil da sua transmissão. (Foto: YouTube)

Marcha não engata direito: ligações entre as marchas

A ligação entre as marchas ou uma alavanca de mudança de ligação danificada pode resultar em uma marcha mais dura difícil ou nenhum deslocamento. O mesmo é verdadeiro para os trilhos de mudança localizados dentro de uma transmissão. Estes trilhos de mudança tem molas de retenção e pinos que podem deixar um veículo incapaz de mudar as marchas.

Marcha dura: o que pode ser? Sincronismo

As ranhuras do anel sincronizador e as ranhuras no eixo principal desenvolvem rebarbas que resultam em mudanças de marchas mais duras. Os anéis de devem ser pontiagudos, com sulcos correspondentes afiados, e não arredondados. Os pontos nestes anéis de bloqueio ficam arredondados e terminam na face da engrenagem. Pode-se verificar o desgaste entre o anel de bloqueio e a engrenagem usando um medidor de espessura e verificar a medição de acordo com as especificações no manual do veículo, para saber se é necessária a troca.

Marcha dura no câmbio automático

É fundamental verificar o fluido de transmissão do veículo pelo menos duas vezes por ano. Níveis baixos de fluido podem resultar em trocas de marchas mais duras ou com trancos, que eventualmente levam a danos na transmissão. Verifique se há vazamentos na base do tubo do filtro, no ponto de montagem do sensor de velocidade, entre o motor e a transmissão e no eixo do seletor, se os níveis de fluido estiverem baixos ou se houver um vazamento..

Baixos níveis de fluidos na transmissão normalmente resultam de vazamentos. Os vazamentos ocorrem mais comumente nos eixos de entrada ou de saída da transmissão. Estas peças móveis possuem selos de borracha que desgastam ou quebram ao longo do tempo. As vedações gastas levam a mudanças bruscas, fazendo com que os eixos de entrada e de saída fiquem paralisados. Um vedador de transmissão fornece uma correção adequada para restaurar as vedações e melhorar a passagem de marchas.

O fluido da transmissão também é suscetível à contaminação. Se a transmissão superaquece, o fluido oxida e não lubrifica os componentes da transmissão. O fluido de transmissão antigo, sujo e oxidado provoca os mesmos sintomas de fluidos de transmissão baixos ou com vazamento. O filtro também é vital para o desempenho da transmissão. Os filtros entupidos não expulsam adequadamente a sujeira ou outros poluentes que podem provocar trocas de marchas mais duras ou com trancos.

Se a marcha continua dura mesmo com o fluido no nível correto e não velho, pode ser que algum componente da marcha tenha se danificado, sendo necessária a verificação por uma oficina especializada.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)