Sempre tem alguém aparecendo com truques infalíveis para reduzir o consumo de combustível de um veículo. São ímãs especiais para ajudar no fluxo de combustível, dispositivos de vácuo, carburadores mágicos, substâncias milagrosas, e os chamado kit de hidrogênio. Mas é o kit de hidrogênio mais uma farsa ou é algo que realmente funciona?

Kit de hidrogênio veicular

A premissa básica é que a injeção de hidrogênio na admissão de um veículo irá deslocar parte da gasolina necessária, reduzindo tanto o consumo de gasolina quanto as emissões de gases poluentes. Como o hidrogênio é mais inflamável do que a gasolina, ele também exige menos do motor, gerando economias de combustível. Essa é a premissa do kit de hidrogênio: mais km/l, e mais economia em combustível. Fácil, não é? Nem tanto.

Kit de hidrogênio funciona?

Quem está vendendo hidrogênio oferece geradores de hidrogênio de pequeno porte, que supostamente fornece hidrogênio suficiente para reduzir o consumo de gasolina em 30% a 40% por cento ou mais. Isto não chega nem perto de ser viável. Nem um pouco, na verdade, e temos até vídeos para provar isso. Trocando em miúdos: o kit de hidrogênio veicular NÃO funciona.

Kits de hidrogênio e seu funcionamento

O kit de hidrogênio veicular supostamente reduz o consumo da gasolina. Entretanto, os kits simplesmente não funcionam ainda, e qualquer ganho de quilometragem por litro é uma mera ilusão. (Foto: www.hhobrazil.com)

Kit de hidrogênio automotivo: golpe barato, que sai caro!

A eletrólise da água, o processo pelo qual o hidrogênio é obtido, é um processo conhecido há séculos. Não é complicado: coloque dois eletrodos na água e faça passar uma corrente através deles. Bolhas de oxigênio serão produzidos por um eléctrodo, e bolhas de hidrogênio serão produzidos pelo outro. Infelizmente, esse processo não tem 100 por cento de eficiência. Uma parte da energia elétrica colocada no sistema é perdida com o calor. O processo melhorou ao longo dos anos, mas tem apenas cerca de 70 por cento de eficácia, na melhor das hipóteses.

Se você converter 4 litros de água em hidrogênio por eletrólise, serão produzidos 420,6 g de hidrogênio. Se a eletrólise é 100% eficiente, serão usados 16.821 kWh de eletricidade para sintetizar todos os 4 litros de água. 420 g de hidrogênio só tem uma densidade de energia de 14 kWh. Fazendo as contas, você precisa de 16% mais energia para quebrar a água do que você obtém dela. Com 70 por cento de eficiência, isso significa que seria necessário cerca de 24 kWh de energia de entrada para produzir hidrogênio com 14 kWh de produção de energia.

Trocando por um exemplo mais prático: é o equivalente a gastar 24 litros de gasolina para, no final, produzir 14 litros. E isso não é nem um pouco econômico para o consumo de combustível no veículo.

Veja o vídeo abaixo, do site tested.com, promovido pelo famoso apresentador Adam Savage, do programa “Os Caçadores de Mitos”:

Kit de hidrogênio para veículos gasta mais energia do que produz!

Para eletrolisar a água,a energia tem de vir do motor através do alternador. A energia elétrica produzida pelo alternador vem da energia mecânica que gira a correia do motor. Isso significa que os 24 kWh de energia necessários para produzir o hidrogênio virão diretamente do motor, enquanto apenas 14 kWh vai ser “devolvido” ao veículo como combustível. Como resultado dessa perda parasitária, a geração de hidrogênio é um processo que vai reduzir a eficiência de combustível total do. veículo porque a carga sobre o motor será aumentada.

A única maneira que o consumo de combustível do veículo pode ser reduzido pela injeção de hidrogênio é se o hidrogênio é produzido fora do veículo e armazená-lo como um gás a bordo, como se fosse um carro GNV. Mesmo a Toyota, que foi a primeira empresa a lançar um carro movido a hidrogênio, fez um sistema híbrido de carro elétrico, com a eletricidade produzida pelo hidrogênio, que é colocado no carro.

Mas eu vi vídeos do kit de hidrogênio funcionando e reduzindo o consumo do veículo…

As empresas que obtém resultados de economia estão usando o hidrogênio armazenado em algum lugar a bordo dos veículos para fazer parecer que seus sistemas são benéficos e funcionais. O professor Fernando Lang, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, fez uma página inteira dedicada a quebrar os argumentos dos vendedores fajutos que querem passar a perna nos proprietários de veículos com o kit de hidrogênio. Vale mais a pena guardar um dinheiro e investir em um curso de direção defensiva, para aprender a economizar combustível dirigindo, ou guardar muito dinheiro e comprar o Toyota Mirai, o primeiro veículo realmente movido a hidrogênio disponível no mercado. Há projetos de ônibus movidos a hidrogênio, no Brasil mesmo. Mas um kit que converte seu veículo para um carro movido a hidrogênio? Ainda falta um bom bocado.

Deixe nos comentários sua opinião e as estórias que já ouviu das pessoas que compraram um kit de hidrogênio!

Um comentário para “Kit de hidrogênio veicular e para moto! Funciona?”

  1. Cláudio Xavier

    Boa noite a todos bom sobre o kts de hidrogênio se funciona ou não, eu pessoalmente uso, num motor a álcool de Chevette, francamente no álcool não tive sucesso, mais em outro motor da mesma marca consegui sucesso de até 70% de economia só que ele era a gasolina, não sei porque que no a álcool não estou tendo sucesso, alguém pode me explicar porque?

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)