Já se foi o tempo em que estar grávida era sinônimo de estar doente, com a mulher proibida de fazer atividades, sendo obrigada a ficar quieta e reclusa em casa. Do mesmo modo que hoje em dia as mulheres grávidas continuam trabalhando, elas também continuam dirigindo. Até 1997 o antigo código de trânsito brasileiro colocava a proibição de grávidas ao volante a partir do quinto mês de gestação. O novo código retirou essa proibição, mas a dúvida para muitas grávidas persiste:

Grávidas podem dirigir com segurança? Até que período da gestação? Existe algum cuidado especial que deve ser tomado pelas grávidas ao volante?

Grávida no volante

Cuidados especiais para motoristas grávidas

A maioria dos médicos não proíbe que as grávidas dirijam, mas é consenso que a partir do oitavo mês as precauções devem ser redobradas. Com a barriga muito próxima ao volante, freadas bruscas e batidas podem levar ao descolamento da placenta e ao parto prematuro. Por esse motivo, mesmo que seja incômodo, o cinto de segurança deve continuar sendo usado. Saiba, portanto, quais são os cuidados especiais que devem ser tomados pelas grávidas ao volante:

  • Cinto de segurança: A compressão do cinto pode gerar desconforto para a mãe mas não gera prejuízos ao bebê. Deve continuar sendo usado mesmo com a barriga muito grande, pois é ele que evitará choques com o volante diante de uma freada. O cinto de segurança para grávidas deve ser o de três pontas, a faixa diagonal deve passar pelo ombro e entre os seios e a faixa horizontal deve ficar bem abaixo do útero.
  • Posição da poltrona: Em primeiro lugar deve estar confortável para a mulher, sendo que o conforto geralmente ocorre quando a lombar fica a mais reta possível, formando um ângulo de 90 graus com as coxas. A poltrona deve ser afastada do volante para haver espaço para esticar as pernas e evitar choques com a barriga. O volante deve estar a pelo menos 15 cm de distância do abdômen.
  • Tempo ao volante: A grávida não deve ficar muito tempo ao volante para evitar hipoglicemia, estresse, inchaço das pernas e dificuldade de retorno venoso. O máximo permitido são duas horas ao volante, e mesmo assim com paradas para alongamento e movimentação.
  • Velocidade de direção: A velocidade deve ser reduzida, no máximo a 60 km/h para evitar a todo custo colisões, freadas bruscas e buracos. O comportamento no volante deve ser defensivo e alerta, evitando condições meteorológicas desfavoráveis e horários em que o trânsito fica engarrafado. Evitar o estresse é algo muito importante neste período.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)