Como o proprietário de um veículo é importante que ter muito cuidado e ser bem informados sobre o fluido que você está usando em sua transmissão. Portanto, hoje vamos educá-lo sobre os diferentes tipos de fluido de transmissão utilizados em transmissões clássicas, modernas e automáticas.

O que é o fluido de transmissão/óleo de transmissão?

Fluido de transmissão é para o sistema de transmissão, seja ele automático ou manual, como a água é para um aquário. Algumas pessoas gastam centenas de reais em seu passatempo com peixes tropicais. Se eles não manterem o nível de PH e a temperatura da água nos níveis certos em seu aquário personalizado, isso pode causar danos graves ou morte dos peixes.

A mesma regra aplica-se aos veículos. Um carro é um grande investimento. Sem o tipo correto de fluido/óleo, ou a quantidade adequada, a transmissão não funciona corretamente e, na maioria dos casos, irá se auto-destruir. Fluido de transmissão é utilizado em uma transmissão como um lubrificante para proporcionar à transmissão uma maneira de dispersar calor excessivo e para atuar como um emissor de energia por meio de pressão hidráulica para mover válvulas e aplicar correias e embreagens.

Tipos de fluidos/óleos para transmissão

Há muitos tipos diferentes de fluidos para transmissão no mercado. Cada um tem a sua própria mistura especial de óleos, produtos químicos e sólidos projetados para fornecer as melhores propriedades de lubrificação absolutas e ainda permite que correias e embreagens funcionem sem escorregar.

Fluido de transmissão geralmente vem coloridos com corante vermelho ou verde. Isto é feito para evitar o uso acidental do fluido errado tal como óleo de motor. Algumas transmissões usam uma vareta para ajudá-lo a avaliar a quantidade adequada de fluido da transmissão para funcionar corretamente. Outros usam um orifício visível, semelhante à forma como você gostaria de verificar o nível de fluido em uma transmissão manual. No entanto, outros são completamente selados e não há realmente nenhuma maneira de saber se o nível de fluido está correto, a menos que se use um sensor para transferir dados do nível de fluido para o computador no carro.

A maioria dos fluidos estão disponíveis como orgânico, de base sintética ou uma mistura entre fluidos orgânicos e de base sintética. É recomendado que você siga as orientações do fabricante quanto o tipo de óleo de transmissão usar, só não siga a “dica” das fabricantes que o óleo de transmissão não tem prazo de validade (veremos mais sobre isso abaixo).

Descobrindo o estado do seu fluido de transmissão

Da esquerda para a direita, o estado de uso do fluido de transmissão: novo, bom, ok, limite (planejar troca), queimado (trocar), queimado com pedaços de metal (troca imediata e inspeção do sistema). (Foto: www.lastchanceautorepairs.com)

Fatos e mitos sobre o fluido de transmissão

Muitas pessoas não negligenciaram algo que pode lhes custar milhares de reais. Com transmissões há tanta desinformação por aí que é difícil saber o que fazer. Há uma série de mitos sobre serviço de transmissão. Estes podem custar-lhe bem caro. Aqui estão alguns fatos para esclarecer estes mitos e te ajudar a não ter prejuízos.

Mito: Se eu não ter fazer a manutenção da minha transmissão com 100.000 km, pode ser tarde demais ou pode fazê-la falhar.

Fato: Este mito faz tanto sentido quanto “Já que eu não escovei os dentes durante seis meses, eu não deveria nunca escová-los”. Uma manutenção de transmissão adequada nunca pode prejudicar a sua transmissão e pode muito bem prolongar a vida útil dela, principalmente quando você faz as manutenções preditivas e preventivas. Isto é, a manutenção que prevê problemas com o fluido através de equipamentos apropriados e a que prevê futuros problemas. Você também pode encontrar um problema que uma simples manutenção não pode corrigir e que precise da troca de peças, mesmo que o carro esteja em perfeito estado. Mesmo assim, a ação imediata pode ainda salvar seu veículo de danos maiores e reduzir o custo do reparo.

Mito: Lavar (Flushing) a transmissão irá limpar o filtro.

Fato: Elementos filtrantes da transmissão são construídos muito parecidos com uma meia. Fluido entra neste filtro de transmissão através do topo e flui para fora através do tecido. Detritos que entram em tal filtro não podem sair e acabarão por entupir o filtro. Quando o fluido é restrito, a transmissão não é mais lubrificada. Um serviço adequado inclui a substituição do filtro de transmissão para os veículos que o tem.

Mito: Quando há resíduos no cárter da transmissão, é sinal de que algo está mal.

Fato: Uma pequena quantidade de material em pó do tipo fino é freqüentemente encontrado no cárter da transmissão. Isto é proveniente do desgaste normal e não indica um problema. Peças maiores de metais e quaisquer sinais de água podem indicar um problema grave. As melhores lojas, muitas vezes, dissecam o filtro para encontrar evidências de um problema. Existem equipamentos que podem indicar o nível de contaminação do fluido e até te dizer quais são os materiais contaminantes, indicando até vazamentos de água ou óleo do motor para o sistema de transmissão.

Mito: Fluido de transmissão é tudo igual ou Fluido X é melhor do que o fluido recomendado pela fabricante do veículo.

Fato: Os fabricantes misturam líquidos específicos para lidar com as demandas específicas de um projeto. Existem vários fluidos no mercado e algumas lojas podem usar fluidos universais que estão até mesmo abaixo do padrão. Nunca deixe ninguém substituir o fluido em sua transmissão. Use somente o fluido recomendado pelo fabricante.

Mito: Fluido/Óleo de transmissão não precisa de trocado.

Fato: Isto pode até ser verdade para países onde o clima predominante não é o tropical, como nosso país. Mas no Brasil os veículos são submetidos a temperaturas muito elevadas, o que faz com que os fluidos tenham que dissipar mais calor e acabem se desgastando mais rápido, perdendo a eficiência. Portanto, antes de ter sua transmissão danificada pelas altas temperaturas, faça a manutenção preventiva e preditiva em uma boa oficina com os equipamentos de diagnóstico apropriados.

Considerações Finais

Um serviço de manutenção adequado para a transmissão envolve um test drive, a remoção de um cárter removível e inspecionamento do interior da transmissão. Ajustamento de correias, se forem utilizadas, e também a verificação da válvula do corpo de torque. A substituição do filtro e enchimento com o líquido de substituição exato também faz parte de um serviço adequado.

Se ficou alguma dúvida, não deixe de perguntar nos comentários! Estamos aqui para ajudá-los!

8 comentários para “Fluido de transmissão? Fatos e mitos sobre o óleo da transmissão!”

  1. Ueltth

    Um oleo dentro de sua embalagem (Ford Mercon LV) tem validade?

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Geralmente sim, Uelth, a não ser que na embalagem esteja escrito diferente.

      Responder
  2. Suze

    Olá, eu achei que deveria colocar um pouco de óleo no motor do meu carro e acabei colocando sem querer no lugar errado, na transmissão. Eu não coloquei muito, foi no máximo 250 ml. Isso fará muito mal para a transmissão? Devo trocar todo o fluido da transmissão. Meu carro eh um dodge stratus 2004 automático. Obrigada!

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Olá Suze. Vale a pena fazer um flush do sistema sim. Melhor prevenir do que remediar.

      Responder
  3. Denis

    Boa tarde a troca de óleo do motor ou câmbio por máquina (flushing) funciona melhor que pelo metodo tradicinal de esgotamento?

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Sim, Denis.

      Responder
  4. Ailton

    Coloquei sem querer 180ml de óleo de transmissão no motor tem problema?

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Ailton, não temos certeza. O ideal é conversar com um especialista.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)