Neste artigo, falaremos sobre a parte da transmissão automática chamada conversor de torque. Após a leitura, você saberá como um conversor de torque funciona, sintomas de um conversor de torque ruim e seu custo médio de reposição. Claro, também falaremos sobre quando o reparo do conversor vale a pena e quando é necessária uma troca.

Antes de ir para a manutenção de conversor de torque, entenda como ele funciona

Ao entender como um conversor de torque funciona, você saberá melhor o que esperar em um reparo em uma oficina. E também, poderá avaliar melhor serviços que estão sendo oferecidos.

Em um conversor de torque, a potência rotacional do torque do motor é transferida para a transmissão do motor usando um conversor de torque. Este conversor é instalado e montado em uma placa flexível entre a transmissão e o motor. O virabrequim gira a placa flexível para criar o efeito de conversão.

Debaixo da tampa do conversor de torque, há uma bomba que contém várias lâminas. Essas pás giram como uma hélice em sincronia com a cambota do motor. Isso faz com que o fluido da transmissão flua para as pás do impulsor.

Este conjunto de lâminas específico está conectado ao eixo de entrada da transmissão. A velocidade e a marcha do veículo são determinadas pela quantidade de pressão hidráulica gerada dentro da transmissão através deste processo.

Sintomas de defeito no conversor de torque

Além de conhecer o conversor de torque, conhecer os sintomas dos defeitos poderá te ajudar na hora de buscar o reparo apropriado para seu veículo.

Problemas com o conversor de torque criam sintomas que muitas vezes são mal interpretados como sendo uma transmissão que está falhando. Como resultado, as pessoas acabam pagando milhares de dólares apenas para substituir sua transmissão ou reconstruí-la.

O que eles não percebem é que o conversor de torque pode estar com defeito. O custo de substituir o conversor de torque é muito menor do que substituir a transmissão.

Quando o conversor de torque fica com defeito, é necessário que o veículo realize mais trabalho apenas para manter os mesmos níveis de velocidade. A operação do motor exigirá mais rotações por minuto, o que diminuirá a pressão do fluido da transmissão e a economia de combustível.

O pior de tudo é que o sistema gera mais calor, o que poderia criar ainda mais problemas em outras áreas.

Aqui está uma lista dos sintomas típicos que você encontrará com um conversor de torque com defeito, e são situações em que o reparo pode ser mais apropriado do que a troca.

Reparo de conversor de torque

O reparo do conversor de torque pode ser realizado em alguns problemas, mas outros podem ser necessários a troca completa. (Foto: AAMCO Blog)

1. Deslizamento da transmissão

Quando um conversor de torque tem problemas, ele se mostra rapidamente porque não consegue gerenciar o fluido adequadamente. Muito fluido ou pouco fluido entrará na transmissão, fazendo com que as engrenagens fiquem escorregadias, o que resulta em uma diminuição na aceleração.

A economia de combustível do veículo também diminuirá. Também pode haver uma baixa quantidade de fluido de transmissão; portanto, você deve primeiro inspecioná-lo assim que perceber que está ocorrendo um deslizamento.

2. Problemas com mudanças de marchas

Qualquer mudança suave ou atrasada pode ser o sintoma da saída de pressão reduzida do conversor de torque. Em vez de as mudanças de transmissão parecerem boas e nítidas, elas serão difíceis e não se envolverão da maneira que deveriam.

A melhor maneira de auxiliar a transmissão para que ela possa mudar corretamente as marchas é aumentar a pressão de saída do conversor de torque. A única maneira de fazer isso é aumentar a rotação do motor.

3. Problemas de velocidade do veículo

Quando a saída do conversor de torque não é consistente, pode resultar na transmissão diminuindo ou aumentando a velocidade do veículo. Enquanto isso, o acelerador não terá alterações simultâneas porque haverá uma pressão hidráulica variável.

As condições de direção podem se tornar perigosas quando isso acontecer, portanto, não opere seu veículo na estrada até que o problema seja reparado.

A variação experimentada pode ter uma sensação de tremor, mas ainda é uma boa idéia inspecionar os suportes da transmissão e apertar ou reparar esses suportes, se necessário, antes da inspeção do conversor de torque.

4. Trepidação

Se você dirige a cerca de 40 km/h a 70 km/h e começa a sentir tremores, trepidações ou vibrações, o motivo pode estar relacionado aos problemas com o conversor de torque. O sentimento geralmente se assemelha ao de passar por uma estrada esburacada, por isso deve ser fácil perceber.

O ato de tremer acontecerá repentinamente sem aviso e depois desaparecerá repentinamente. Mas você definitivamente deve inspecionar sua transmissão por um profissional após a primeira vez em que sentir essas vibrações.

5. Ruído

Quando um conversor de torque fica ruim, existem muitos tipos diferentes de ruídos que podem ser feitos. Primeiro, pode haver um ruído de lamento que soa como uma bomba de direção hidráulica com pouco fluido.

O motor da montagem contém um mecanismo que possui embreagens. Quando esse mecanismo fica ruim, um barulho de chocalho pode ser ouvido. Esse barulho pode não ser tão alto quando o veículo está estacionado.

No entanto, uma vez que a transmissão é acionada, a frequência e o volume do ruído de chocalho aumentam, o que gera problemas para o seu conversor.

E se eu precisar substituir o conversor de torque?

Todos os problemas acima podem ser reparados com a troca de algumas peças. Porém, danos muito graves ou reparos que não consertam os problemas precisam da substituição do conversor de torque.

Se você teve algum dos sintomas mencionados acima e a troca de peças não resolveu, é possível que o seu conversor de torque esteja com defeito. O custo de consertar seu conversor de torque será realmente mais do que apenas substituir o conversor. No entanto, peça a um mecânico ou a um especialista em automóveis que o examine primeiro antes de tomar qualquer decisão.

A maioria das oficinas de reparo de automóveis cobrará a partir de um salário mínimo por um trabalho de substituição do conversor de torque. Se você preferir fazer o trabalho de substituição, um novo conversor de torque variará de preço de acordo com o seu modelo de veículo e o tipo de conversor, se é original, genuíno ou paralelo.

Pelo menos, você cortará os custos de mão-de-obra se fizer isso sozinho.

É um grande trabalho, porque a transmissão terá que ser removida para que o conversor de torque possa ser inspecionado e substituído para que, se você é iniciante, não seja algo que você provavelmente queira abordar.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)