Com o aditivo do radiador não se brinca. Por isso, é importante testar o aditivo para saber se é necessária a manutenção, troca, ou só completar o nível de aditivo do líquido de arrefecimento. Vai depender do teste que você fizer, e do resultado desse teste.

Aditivo de radiador: como testar?

O teste de um aditivo começa pela simples inspeção visual. Se o líquido de arrefecimento mantém a mesma cor que tinha quando foi colocado, então as chances são de que você terá de substituir o aditivo e ainda por cima, verificar se o sistema não possui vazamentos. É possível que seja necessário o flush do sistema, ou seja, a limpeza de todo o sistema de arrefecimento do veículo antes de colocar um aditivo novo.

Termodensímetro para testar aditivo (ou “caneta de testes”)

O teste pode continuar então usando um termodensímetro ou uma “caneta” para medir a percentagem de aditivo no líquido de arrefecimento. Se estiver um pouco abaixo, basta completar o nível ou substituir o líquido atual, dependendo do que o manual do seu veículo falar. Se estiver muito abaixo, um flush é recomendado, para garantir que não há vazamentos ou danos ao sistema.

Problemas no aditivo do arrefecimento

O termodensímetro analisa sua necessidade de troca ou de completar o aditivo no radiador a parir da densidade do líquido de arrefecimento. (Foto: Machine Mart)

Teste fácil do aditivo com um multímetro

Remova a tampa do reservatório do radiador. Após removê-la, dê partida no carro. Com o multímetro em mãos, coloque-o no modo voltímetro, escala de 2 volts. Aguarde o veículo acionar o ventilador do radiador.

Coloque a ponta positiva no líquido e a ponta negativa na saída negativa da bateria. Se a leitura for maior do que 0.300 V, significa que o seu líquido de arrefecimento está conduzindo eletricidade e precisa ser trocado.

Acelere o carro até 2 mil RPM e mantenha. Coloque a ponta positiva do voltímetro no líquido de arrefecimento e a ponta negativa na ponta negativa da bateria do veículo, com todos os acessórios elétricos desligados. Leia a voltagem novamente.

Com o motor em 2 mil RPM, ligue e desligue todos os componentes elétricos do veículo, indo do ar condicionado no máximo do frio até o máximo de calor, som no talo e no mínimo, janelas, travas de portas, luzes, tudo. Se você ver alguma alteração de voltagem, há algum problema no seu líquido de arrefecimento. Qualquer aumento acima de 0.300 V significa um problema sério no líquido de arrefecimento. Você também precisa testar a bateria, colocando o positivo do voltímetro no lado positivo da bateria, e o negativo no aditivo, verificando o resultado.

É necessário também pegar o voltímetro e verificar o alternador para carregamento excessivo. Inicie o veículo e conecte as duas pontas de teste nos lados positivo e negativo da bateria e verifique a voltagem na escala de 20 V. É considerado excesso de carga um valor de 14.7 V, pois qualquer valor acima disso a bateria não consegue aceitar e o excesso precisa ser absorvido por algo. Se estiver acima dessa leitura, você precisa reparar o alternador ou o regulador de voltagem, ou talvez os dois.

CUIDADO: quando você trabalhar perto de um motor em funcionamento, use óculos de segurança e camisas de mangas curtas para não ser puxado para as partes móveis.

Por que testar o líquido de arrefecimento?

Se você acha que o único trabalho do líquido de arrefecimento é para resfriar o motor durante o verão, você está errado. O líquido de arrefecimento também desempenha um papel importante na prevenção de corrosão causada por eletrólise. A eletrólise ocorre quando dois metais diferentes começam a trocar elétrons, fazendo com que os metais se corroam (ferrugem). Uma vez que um motor tem ligas de alumínio, cobre, ferro fundido, aço e magnésio, a eletrólise lentamente vai comer as entranhas do veículo. O líquido de arrefecimento tem aditivos para evitar a troca de elétrons. Mas quando ele vai envelhecendo, os aditivos estão esgotados e não conseguem mais fazer o trabalho ao qual se destinam. Na verdade, o líquido de arrefecimento velho torna-se um muito bom condutor elétrico, acelerando a eletrólise interna. A boa notícia é que é muito fácil de verificar a condutividade do seu líquido de arrefecimento com um multímetro digital. Se a condutividade é alta, é hora de fazer um flush do sistema e enchê-lo de novo.

Como você testa o líquido de arrefecimento do seu veículo? Deu problema no seu teste? Verificou que você precisa trocar o líquido de arrefecimento ou estava tudo ok?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)