Com a tecnologia em constante evolução, é de se esperar que surjam novidades a cada dia. Porém, ela demora a chegar nos produtos com preços mais acessíveis.

É o caso do sistema VVT ou comando variável de válvulas. Apesar de ter sido criado há bastante tempo, só agora a indústria automobilística passou a utilizá-lo com mais frequência em carros de preço médio.

Para entendermos como funciona o comando variável de válvulas é necessário saber antes sobre o funcionamento do comando de válvulas simples.

O comando de válvulas é um eixo composto por cames (ressaltos excêntricos) que se localiza no cabeçote (cabeça do motor). Sua função é empurrar e abrir as válvulas (tanto de admissão quanto de escape) e assim, permitir a entrada de ar e saída dos gases responsáveis pela combustão.

Esse comando é ligado à árvore de manivelas (eixo do motor que conduz movimento às partes mecânicas do motor) e pode ser comandado por correias, correntes ou hastes.

VVT

Motor com sistema de comando variável de válvula, também conhecido como VVT

No comando variável de válvulas comum, independente da rotação, as válvulas abrem sempre do mesmo jeito. Na hora de desenvolver um motor que utiliza esse tipo de comando deve-se optar pelo tipo de motor (econômico ou potente) logo no início, não há possibilidade de adaptação.

Já o sistema VVT (comando variável de válvulas) permite variação no curso e no tempo das válvulas de acordo com a necessidade. Com base nas rotações o sistema opta por uma configuração econômica ou de potência.

O sistema de comando variável de válvulas é desenvolvido por diversas montadoras, o que possibilita cada uma adotar um nome. A Honda utiliza VTEC, a BMW usa Valvetronic e a Toyota, JAC, Hyundai e outras utilizam VVT.

Com o passar do tempo essa sistema foi aprimorado e algumas opções recebem o “i” no nome (i-VTEC, VVTi). Esse sistema possui uma unidade eletrônica de controle.

Com isso, o veículo ganha uma melhor condição de funcionamento que permite economia de combustível, potência e torque ao mesmo tempo, sem necessidade se optar por uma das três opções.

Aproveite e saiba também sobre sonda lambda e limpeza dos bicos injetores.

2 comentários para “Como funciona o comando variável de válvulas?”

  1. Sérgio Trombetta

    Parabéns, prático e objetivo

    Responder
  2. Olair Borges

    Muito bom o comentário, tirou as minhas duvidas claramente.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)