Não pare no preço de venda de um carro zero ao fazer os cálculos de quanto ele realmente custa. Os custos de um carro zero vão muito além do preço de etiqueta. Muitos fatores, tais como seguros, financiamento, emplacamento e outros devem ser considerados antes de você fechar o negócio com o vendedor. Não existe uma técnica definitiva para colocar um número exato sobre os seus custos totais com um carro zero, mas estimá-los vai ajudar a controlar o seu orçamento para o curto e longo prazo. E isso pode mudar sua ideia sobre qual modelo é realmente ideal para você.

Procure por descontos em carro zero

Não se acomode em uma marca e modelo até que você encontre promoções especiais que possam ser oferecidas pelo fabricante ou o seu revendedor local. Algumas montadoras têm oferecido descontos de até US $ 6.000 em alguns modelos, o que deve pesar na sua decisão. Estas ofertas também podem alterar mensalmente. Pode ser que as ofertas sejam emplacamento e IPVA gratuitos, ou o tanque cheio. Quanto mais descontos você obter, menos o carro vai custar no seu cálculo final.

Contabilize os juros

Junto com descontos, revendedores e fabricantes também oferecem incentivos especiais de financiamento em alguns veículos. Você também pode encontrar taxas de juros competitivas de credores externos, tais como bancos ou cooperativas de crédito. Principalmente para quem não tem a opção de pagar à vista, contabilizar os juros é um passo extremamente importante na hora dos custos, já que o carro vai ficar bem mais caro do que o preço na etiqueta. Preferencialmente, só compre um carro zero quando puder pagar à vista, mas se você não pode e não é uma opção comprar um carro usado, compare financiamentos através do Custo Efetivo Total (CET) e das várias calculadoras online disponíveis para comparar empréstimos. Conta como custo do carro zero o valor já com os juros, não o valor da “etiqueta”.

Compare os seguros de veículos

Os custos dos seguros variam muito, dependendo da sua idade, localização e hábitos de condução, mas o tipo de carro que você dirige também altera esses valores. Normalmente, as empresas de seguros baseiam os seus prêmios nas experiências de milhões de outros motoristas. Então você pode pagar mais para segurar um veículo que está envolvido em acidentes com mais frequência, custa muito para reparar ou é freqüentemente roubado. Se você está perto de tomar uma decisão, ligue para a sua seguradora para uma cotação. E NUNCA tenha um carro sem um seguro além do obrigatório. Você vai nos agradecer por este conselho depois do primeiro acidente no trânsito da sua cidade.

Calculando os custos de um carro

Calcule com cuidado os custos de seu carro para não ser iludido e arcar com grandes prejuízos. (Foto: www.thehindu.com)

 

Inclua a depreciação no seu cálculo

A menos que você planeje dirigir seu carro até que as rodas caiam, a depreciação é uma consideração importante no custo total de seu veículo. A depreciação é o valor que o seu carro perde à medida que envelhece e o desgaste ocorre. Nem todos os carros depreciam com a mesma taxa. Um carro com um maior valor de revenda pode custar menos porque você vai ter mais dinheiro quando você vendê-lo. Há várias fontes online com a depreciação dos carros. É basicamente um valor que seu carro zero perde no momento em que sai da concessionária, tornando ele parte do custo do veículo. Adicione o valor da depreciação no custo do seu carro zero.

Contabilize os custos de combustível

Compare o consumo de diversos veículos e quanto cada um é capaz de andar com um tanque cheio. Quanto mais o veículo puder andar com um tanque cheio, mais “barato” ele é e melhor compra ele será. Uma forma de fazer isso com facilidade é obter o consumo dos diferentes carros zero que você está comparando e ver qual vai custar mais barato, ou seja, o que anda mais quilômetros por litro.

Contabilize a manutenção e reparação

Seja as mudanças rotineiras de óleo, um cinto com problemas ou um pneu furado, a manutenção de um carro é inevitável, especialmente após a garantia acabar. Quanto dinheiro você vai gastar depende do carro. Confiabilidade é importante, como um carro que quebra mais vezes vai custar-lhe mais em reparos. E, como regra geral, os carros esportivos de alto desempenho e modelos importados tendem a ter custos mais elevados devido ao conhecimento especializado e peças necessárias para mantê-los. Para contabilizar isso no custo do carro zero, pegue o valor de uma revisão e some com um kit básico de peças (roda, vela, óleo, amortecedores, pneus, disco de freio, filtros, líquido de arrefecimento, correia de transmissão – revistas especializadas tem quase sempre uma lista completa). Adicione o valor ao custo inicial do veículo, já que esse dinheiro tem que estar pronto para emergências com o carro.

IPVA, Licenciamento, DPVAT

Some estes valores para o veículo, caso o desconto negociado não os torne “gratuitos”. Existem tabelas online de acordo com o seu estado, mas você pode obter esses valores com o vendedor do carro. Se você for usar os serviços de um despachante, contabilize esse custo também.

Renovação da carteira de motorista

Muitas pessoas desconsideram, mas quem quer dirigir precisa se preocupar em renovar a carteira de motorista, mesmo que ainda falte algum tempo para a renovação.

Considerações Finais

Mesmo seduzido pelo romance com um carro zero, tente evitar essa sedução. Compare os custos de um carro zero com os custos de um carro usado. Só em depreciação, o carro usado ganhará de lavada, e você vai ver que é um dinheiro muito melhor investido. Lógico, o carro zero pode ser sua única opção, mas não se deixe seduzir por vendedores ou um veículo x ou y sem antes colocar todos os custos no papel.

Quanto custou seu último carro? Você calculou o custo real dele ou comprou sem pensar?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)