Para entender um pouco as diferenças entre seguros de motos e carros, é necessário entender um pouco sobre seguros antes. Existem dois tipos de apólices no mercado financeiro: a de Valor de Mercado Referenciado e a de Valor Determinado.

No primeiro tipo, a quantia do bem é variável e garantida ao segurado no caso de indenização integral do veículo, fixada em moeda corrente nacional e determinada de acordo com a tabela de preço (FIPE) estipulada na época da contratação do seguro e vigente na data da indenização, em conjunto com a região de taxação do risco e fator de ajuste contratado para cobrir o veículo.

Já na apólice de Valor Determinado, é estabelecida uma quantia fixa garantida ao segurado, no caso de indenização integral do veículo, sendo esta fixada em moeda corrente nacional e estipulada pelas partes no ato da contratação do seguro. Esta modalidade é normalmente usada para veículos que não estão na tabela FIPE.

O que é um seguro?

O seguro é uma forma de garantir um bem qualquer, podendo este ser uma moto, um carro, uma casa e até a vida humana. Ele garante uma certa estabilidade e uma segurança, caso esse bem sofra algum tipo de dano ou perda. O mesmo acontece quando, por resultado do uso desse bem, ele cause dano a terceiros. Você fica então protegido de prejuízos financeiros que possam ser causados ou resultados do uso ou não do bem.

Preservando seus bens

Com um seguro bem feito, você poderá sair com seu veículo tranquilamente e assim, aproveitar os benefícios de possuir um carro. (Foto: cogumelolouco.com)

A análise de risco

Para analisar o risco, são usados dados estatísticos, tais como informações sobre roubos na sua região, média nacional e regional de acidentes com pessoas que tenham o mesmo perfil que você, tipo de local onde o veículo irá ficar durante a noite entre outros fatores que irão definir o valor a ser pago pelo seguro de seu veículo.

O que um seguro cobre?

Normalmente, um seguro cobre danos, danos a terceiros, danos causados por desastres naturais, furtos e roubos e outros adicionais que o contratante pode escolher antes de fechar o contrato, podendo incluir também a cobertura de acessórios do veículo.

Prêmios de um seguro

O prêmio é o valor que a seguradora cobra por assumir um risco. Na verdade, o prêmio não é uma indenização paga ao segurado no caso do pedido de sinistro, ou seja, quando o seguro é acionado para cobrir algum dos problemas para o qual foi contratado. O prêmio é o valor pago à seguradora para assumir um risco e está relacionado com o valor do veículo, o risco de furto ou roubo e danos.

Seguro obrigatório: a primeira diferença entre carros e motos

O seguro obrigatório, o DPVAT, é muito mais caro para motos do que para carros. Isto ocorre principalmente porque o risco relacionado ao DPVAT só está relacionado a danos à vida humana, como invalidez total ou parcial, morte e custos com saúde. Não há um seguro do bem material com o DPVAT. A apólice tem um valor fixo que é pago no caso de sinistro.

O DPVAT é mais caro para motos porque são veículos que correm mais riscos de se envolverem em acidentes e maiores são as chances dos motoristas sofrerem danos físicos. Um carro, como é uma armadura ambulante, protege melhor seu motorista, o que torna o DPVAT mais barato para motoristas de carro.

Seguro para motocicletas

Principalmente para modelos mais caros, o seguro para motocicletas te ajudará com pequenos danos que podem custar fortunas em modelos mais luxuosos. (Foto: www.presupuestosyseguros.com)

Seguro facultativo: protegendo seu investimento

Eles não são obrigatórios, mas todo proprietário de veículos deveria torná-los obrigatórios. Isso porque o investimento em um veículo é um investimento alto e que perde seu valor com o passar dos anos. Se você não garantir que este investimento está segurado, a situação só vai piorar com algum dano ao veículo ou qualquer outro tipo de problema.

Muito poucos motociclistas optam por segurar suas motos. Já no caso de carros, aproximadamente metade dos motoristas fazem o seguro de seus veículos. Isso provavelmente acontece porque os segurados que tem de pagar um prêmio que seja maior do que 20% do bem acabam decidindo que isso não é viável. O preço para motos é mais caro e por isso, menos pessoas pensam em fazer o seguro de suas motocicletas. Já carros, como correm menos riscos, tem um prêmio mais baratos.

Diferenças entre carros e moto

O carro acaba tendo, em relações percentuais, um seguro mais barato que uma motocicleta por ter menos riscos envolvidos com seu uso.  Portanto, é menor a chance de que um motorista de carros solicite a indenização ao seguro. Mas isso é muito relativo.

Realmente o que tem que ser levado em conta é a análise de risco feita para o seu perfil. Se você tem em seu histórico cursos de direção defensiva, não tem muitos acidentes em seu currículo, tem segurança suficiente para seu veículo durante a noite, o seguro vai ficar consideravelmente mais barato, sendo você um motorista de carro ou de motos.

Independente do preço, o que você tem que pensar é nos riscos que corre se ficar sem seu veículo, principalmente se for usado para o trabalho. Neste caso, é importante pensar o que acontece se você ficar sem seu veículo.

Motos e carros caros também tem uma manutenção mais cara. Por isso, é também preciso o seguro. Acima de tudo, o que você deve pensar é: o seu veículo vale todo o investimento?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)