A seguradora pode recusar seu carro em um pedido de seguro. Ao entrar com um pedido de seguro para seu veículo, a seguradora tem 15 para recusar ou aceitar o seu carro, após fazer a chamada análise de risco. Cada seguradora tem regras e critérios diferentes para análise de risco, e você pode usar isso para conseguir um seguro em uma outra seguradora.

Por que a seguradora não aceita meu carro?

Ao fazer uma análise de risco, muitos critérios entram em consideração pela seguradora. Até uns tempos atrás, por exemplo, a cor do carro influenciava no valor do seguro. O gênero entra na análise de risco também, e mulheres pagam seguros mais baratos.

Tais critérios soam como subjetivos, mas eles são baseados no comportamento dos motoristas e estatísticas de acidentes com veículos. O histórico do motorista com a seguradora, bem como o histórico de infrações, multas, etc, também é muitas vezes considerado.

Mas o motivo principal dessas recusas é o risco da seguradora perder dinheiro com o motorista ou carro. O seguro tem que ser lucrativo, tanto para o segurado quanto para a seguradora. A análise evita que qualquer dos lados saia perdendo com um seguro muito caro ou um seguro que vai ser acionado sempre.

Seguro de carro que sofreu perda total

Quando um carro passa por um acidente, teve perda total, mas é recuperável, ele pode receber seguro. Mas se o carro tiver alguma irregularidade, pode ser bem difícil achar uma seguradora. (Foto: www.angrypolicyholders.com)

Motivos para seguradora não aceitar seu carro e como solucionar!

Por isso, muitas vezes o motivo pode ser bem diferentes para dois motoristas que tenham o mesmo carro. Mas geralmente, os motivos para recusa de um sinistro são como se segue:

Veículos que receberam avaliação ruim na vistoria: geralmente veículos que já apresentam problemas, e estão em estado de conservação ruim. Solução? Troque de carro ou faça uma restauração no veículo antes de fazer nova vistoria para o seguro.

Carro ou moto com mais de 15 anos de uso: estão mais propensos a apresentar defeitos, e é mais difícil encontrar peças de reposição. Solução? Troque de carro ou procure um seguro específico para carros antigos e de colecionador. Lembre-se que esse tipo de seguro é mais caro.

Veículos que estão fora de linha: parecido com o motivo acima. Com o veículo fora de linha, é mais difícil encontrar peças de reposição. Solução? Tente o seguro em uma outra seguradora. Se o veículo está fora de linha, mas não tem mais de 10 anos fora de linha, ainda há grandes chances de conseguir um seguro auto a preços razoáveis.

Veículos com chassi remarcado: esses veículos podem ter sido roubados ou adulterados. Solução? Faça um boletim de ocorrência e procure quem vendeu o veículo para você. Reúna provas e pegue seu dinheiro de volta.

Veículos com irregularidades: multas, documentação, emplacamento. Qualquer problema burocrático com o veículo pode atrapalhar na hora de fazer um seguro. Solução? Vá ao DETRAN de seu município, portando todos os problemas relatados pela seguradora. Corrija os problemas, pague tudo que tem de pagar, e assim que estiver regularizado, tente de novo.

Veículos importados ou de luxo: o alto custo das peças e indenizações podem fazer a seguradora recusar o seguro desses veículos. Solução? Para esse tipo de veículo, algumas seguradoras oferecem um tipo de seguro especial, para carros de luxo ou importados. Clientes “premium” de bancos e instituições financeiras, geralmente, tem acesso facilitado e custos mais baixos para esses seguros.

Motoristas com histórico alto de sinistros: o perfil do motorista impossibilita que a seguradora tenha menos riscos a fazer o seguro. Solução? Pagar bem mais caro por um seguro.

Inadimplentes: quem está com o nome sujo não pode ter o veículo segurado. Solução? Limpe seu nome, fazendo uma negociação com a empresa que te colocou no SPC ou Serasa.

Motoristas com carteira de habilitação suspensa ou em processo administrativo: principalmente motoristas que já foram pegos dirigindo embriagados. Solução? Se torne um motorista mais responsável e depois de um ano, tente novamente.

Veiculo sinistrado faz seguro? Carros sinistrados a venda podem fazer seguro?

Se o veículo sofreu um sinistro de perda total, ele não poderá mais ser segurado. Veículos roubados, por exemplo, são dados como perda total.

Porém, em casos de veículo recuperável, como é comum nos leilões do DETRAN, existe a possibilidade de regularizar a situação do veículo e fazer contratação do seguro. Algumas exigências adicionais podem ser feitas, como vistoria com maior frequência, ou um seguro mais caro.

Se ainda ficou alguma dúvida, deixe sua pergunta nos comentários. Estamos aqui para ajudar nossos leitores!

2 comentários para “A seguradora não aceita meu carro! E agora?”

  1. Pedro

    Me envolvi num acidente ano passado e houve perda total. Agora senti que o seguro para qualquer outro carro aumentou. Se eu for para outra seguradora, ela saberá do meu histórico?

    Responder
    • Equipe Carro de Garagem

      Sim, Pedro.

      Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)