Já vimos várias vezes na mídia o quão diferente é o valor de veículos aqui no Brasil e outros veículos fora de nosso país. E essa diferença nos faz até pensar: será que importar estes veículos vale a pena? Além deste motivo, podemos acrescentar também o desejo de muitos de ter carros ou motos que nunca foram fabricados no Brasil, como os clássicos Muscle Cars e motocicletas Harley-Davidson. Agora, como funciona e se vale a pena, temos que ver isso com cuidado.

Cuidados ao importar carros e motos

A burocracia para importar um veículo é muito grande. Junto isso à ineficiência de nossos portos, a grande taxa de corrupção e pessoas de má índole que trabalham nas zonas portuárias do Brasil e você se vê em frente a uma grande zona de caos. Não somos especialistas em importação, mas sabemos que você poderá ter que lidar com muitas dores de cabeça com o envio e chegada de seu veículo. Dito isto, é de extrema importância que você não tente fazer isso sozinho. Além de ficar muito caro, você teria de se tornar expert em muitas áreas para conseguir fazer uma boa importação. Precisamos pensar também que veículos para exportação 0 km podem não ser tão fáceis de achar, pois as concessionárias de lá não vão querer vender para alguém que vai exportar o veículo, havendo um conflito de interesses com as concessionárias daqui.

Por isso, a contratação de uma empresa para intermediar o processo é mais do que recomendada. Existem já algumas opções no mercado através de nossas pesquisas. Você deve pesquisa bastante sobre a idoneidade da empresa, e as experiências que as pessoas tiveram com importação de carros e motos com a empresa. No vídeo abaixo, você conseguirão conhecer um pouco mais sobre uma empresa de importação de carros e motos.

Como importar carros e motos?

Porém, mesmo com o intermediador, é importante que você conheça o processo de importação de veículos para não cair em roubadas e se prepare bem financeiramente para fazer a importação.

O intermédio pela empresa gerará um certo custo para você, que é compensado pelo tempo que você irá economizar, toda  a orientação e suporte dado pela empresa, garantias e muitos outros serviços agregados, incluindo um embarque e armazenamento seguro do veículo. Ao estabelecer a relação com a empresa, eles podem ficar responsáveis por encontrar o veículo que você procura ou você mesmo poderá encontrá-lo para eles, seja ele um veículo zero km ou um mais antigo.

Vale lembrar que quando você verificar o preço de um veículo, ainda não estão inclusos o preço do emplacamento ou imposto da borda. Além disso, a compra só poderá ser feita por alguém que é residente, no caso de importação direta dos EUA.

Além do valor do veículo, são cobrados também o Frete Marítimo e Imposto de importação. O imposto total é calculado sobre o valor do veículo SOMADO ao valor do frete marítimo. O IPI também pode ser cobrado mas já existem liminares na justiça que ajudam a não cobrança do IPI ou ressarcimento do mesmo quando ele é cobrado, sendo que a ajuda de um despachante e/ou um advogado neste momento para legalização e pagamentos dos impostos é uma ótima opção. Incluímos então as despesas com o despachante, a capatazia (que é a movimentação da carga no porto), DL, custos de desova/desembarque, carregamento, entre outros.

Importação de veículos

Importar um veículo sai caro, principalmente porque você terá de pagar à vista. Mas com certeza, vale cada centavo pelas economias que serão feitas. (Foto: contagiros.wordpress.com)

Você irá pagar um opening, que é uma taxa inicial para iniciar a transação/compra do veículo, e um payoff, que é o pagamento total do veículo após 30 dias. Já no primeiro pagamento, os dados do veículo serão liberados para que um despachante legalize o mesmo para circular no Brasil. Toda a transação é feita por Wire-Transder através de um invoice, que é uma ordem de pagamento. O depósito é internacional, aguardando licença de importação e, mesmo que a empresa se situar fora do Brasil, o Invoice como documento internacional dá a segurança e legalidade ao negócio para que qualquer problema seja solucionado com eficácia e rapidez.

Quando comprado o veículo, o comprador é orientado a acompanhar a desova do mesmo no porto, para conferir tudo e evitar que o despachante faça qualquer cobrança indevida e checando por irregularidades no veículo, assim como pelo lacre colocado pelo exportador no país de origem, pos´siveis trocas do lacre, estado do veículo, entre outras coisas. É crucial para uma transação bem sucedida o acompanhamento de todas as etapas para maior tranquilidade de sua parte e garantia de que o veículo chegará intacto em suas mãos.

O que eu preciso para dar início a um processo de importação?

Primeiro, você precisa saber que veículo ou veículos que você procura. Em segundo, você precisará entrar em contato com a exportadora ou intermediadora para saber detalhes de preços cobrados por elas, impostos, entre outros. Além disso, você precisará dos seguintes documentos:

  • 5 cópias autenticadas do RG, CPF e comprovante de residência;
  • 3 últimos IR;
  • Procurações assinadas.

Toda importação é sujeita a Licenciamento e deve ser analisada pelo DECEX, que é o Departamento de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Você deve obter a Licença antes de importar o veículo. Além disso, o pedido de licença de importação deve ser feito no sistema SISCOMEX da Receita Federal por empresas ou despachantes aduaneiros credenciados. Pessoa física cadastrada também é possível, mas lembramos que ter um expert para facilitar este processo pode ser uma grande vantagem.

Exigências administrativas, fiscais, cambiais dos órgãos anuentes, tais como DECEX, BACEN, etc. são disponibilizadas no SISCOMEX. Também é necessária a Declaração de Importação – DI no Siscomex, com o objetivo de dar início aos procedimentos de despacho Aduaneiro junto à Unidade Local da Secretaria da Receita Federal – SRF.

Vale lembrar que apenas veículos com mais de 30 anos de fabricação ou 0 km podem ser importados.

Carros importados

Mesmo carros importados pela própria montadora ficam mais baratos quando importados diretamente pelo comprador. (Foto: nsimporter.com)

Quais impostos incidem sobre a importação de veículos?

A base de cálculo do imposto de importação é o valor aduaneiro, considerando o valor da mercadoria, mais o frete, seguro e outras despesas aduaneiras (as tarifas podem mudar com frequência):

  • II (imposto de importação) 35%;
  • IPI (imposto s/produtos Industrializados) 25%;
  • CMS (pode variar dependendo do Estado) 18%;
  • PIS/PASEP + COFINS 11,6%.

Vale lembrar que aqui não está incluso os custos de embarque, desembarque, licenças e desembaraço aduaneiro.

Qual o valor total de um veículo 0 km em importação direta?

Pegando o vídeo que apresentamos como exemplo, vamos usar o Camaro, que custa R$199 mil reais no Brasil. Na concessionária, o valor do Camaro é de US$28.850. Simulando uma importação direta, o valor aproximado do veículo é de R$57.399 reais. Para cálculo do imposto, ainda incluímos o valor do frete marítimo e não estamos incluindo o IPI. Só de imposto, são R$40.836.

Acrescentando as despesas com despachante, capatazia, DL, desova, carregamento e outros, temos US$35.321 total de impostos e custos, o que gera um custo total de US$63.321 dólares, dando aproximadamente R$122.340,00. Mesmo incidindo o IPI, o valor do veículo por importação direta sai mais barato que sua compra na concessionária.

Observações sobre a importação direta

Vendo assim, pode ser que você fique seduzido a comprar um veículo importado. Contudo, temos de lembrar que a garantia será mais difícil de ser acionada, os custos de manutenção serão mais caros e o pagamento tem que ser à vista para todos os valores. Lógico que os mais espertos poderão pegar um empréstimo no banco para pagar boa parte dos valores. Mas aí cabe pensar bem se o empréstimo vale a pena para comprar o veículo.

Para quem quer realizar o sonho do carro antigo, não precisa pensar duas vezes: com certeza vale a pena fazer a importação direta de veículos. Só vai faltar você pegar o dinheiro para isso.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)