Entusiastas de carros tunados gostam de colocar rodas diferentes, deixar a suspensão rebaixada, freios maiores e executar modificações de desempenho para a direção do veículo. Carros tunados a venda, inclusive, tem se tornado mais populares, mesmo que tais carros tunados sejam uma expressão individual da personalidade do dono. Porém, essa mesma expressão individual pode se mostrar, carros tunados brasileiros, algo exagerado e que pode, consideravelmente, atrapalhar a venda ou até o tráfego do veículo pelas vias brasileiras.

Os exageros de alguns carros tunados

Basta olhar carros tunados e imagens de alguns deles no Brasil para você entender a diferença entre o exagero e a personalização. Um exemplo bom de exagero que aparece em muitos carros tunados em vídeos, são as caixas de som com uma potência absurda, muito além do que qualquer ouvido pode escutar. Ou, muito possível também, quando os veículos são modificados até o ponto em que sequer a carroceria original do mesmo pode ser identificada por debaixo de tantos adesivos, pinturas, aerofólios, neons, faróis de xenon. São tantas modificações que o veículo fica mais parecendo um carro alegórico do que algo personalizado.

A desvalorização de um veículo e os perigos com uma “tunada” mal feita

Hoje, você pode achar bonito aquele adesivo colorido no seu carro. Em um ano, ou até menos, esse adesivo já vai ter dado lugar a uma outra moda. Há algum tempo atrás, a moda era o insulfilm colorido. Depois, entraram as luzes de neon nos carros. Uma tunada mal feita, invariavelmente, vai desvalorizar seu veículo, porque o design da personalização do veículo será tão único que só agradará a você.

Em mudanças nas rodas, freios, aerodinâmica e incrementos na performance do motor, o perigo é ainda maior, pois pode influenciar diretamente na segurança do veículo e acabar causando um acidente. Até as caixas de som, infames por conta dos donos que só sabem deixá-las no volume mais alto, podem causar acidentes (falaremos mais sobre isso abaixo).

Tuning tem que ser bem feito por profissionais

Tá vendo esse carro da foto? É assim que a grande maioria das pessoas enxergam os carros tunados mal feitos. (Foto: ledepre.blogspot.com)

Multas por irregularidades

Modificações no seu veículo que não foram devidamente solicitadas ao DETRAN de seu estado, ou de um veículo que não teve devida regularização perante o DETRAN, irá resultar em multa e retenção do veículo até sua regularização. O som alto, quando ligado nas ruas, pode também resultar em uma multa por perturbação do sossego.

Os carros de som alto nas ruas

Um som alto é ensurdecedor, principalmente para os ocupantes do veículo. Isso atrapalha muito na hora de dirigir e se concentrar na rua, nos pedestres, e em outros veículos. Muitos acidentes são causados por distrações no trânsito. Quer distração maior do que um som alto demais? “Ah, mas o carro é meu, eu faço o que eu quiser com ele”. Não é bem assim que funciona.

O som alto do veículo pode atrapalhar também outros motoristas e até pedestres a prestarem atenção no trânsito. A irresponsabilidade e desrespeito do proprietário do veículo que tem o som alto podem causar outros acidentes, inclusive acidentes que não envolvam o veículo que está tocando o som alto. E sabe o que é pior? Pessoas que fazem esse tipo de “tuning”, sem projeto, sem planejamento, e apenas tentam comprar o som mais alto que o dinheiro pode, não investem nada na segurança do veículo e vão, com certeza, prejudicar a mecânica e funcionamento ideal do carro.

E os carros rebaixados…

Incrivelmente, os mesmos proprietários que colocam caixas de som extremamente pesadas em seus veículos são, em sua maioria, os mesmos que rebaixam o carro, “cortando” ou “adaptando” os amortecedores. Física básica de ensino médio: se você tem mais peso no seu veículo, você vai precisar de um amortecedor melhor, não um menor. O resultado de um carro rebaixado, mesmo quando não há o peso extra de caixas de som, é uma conta muito mais cara no mecânico.

Caso o Brasil tivesse estradas regulares, com bom estado de conservação, o carro rebaixado poderia até ser aceitável. Mas não é a realidade do nosso país. Carros rebaixados, no geral, só servem para competições, por conta da melhoria aerodinâmica. Estradas, ruas e avenidas não são pistas de competição para você ficar arrastando seu assoalho à toa. Fica a dica.

Aprenda com os melhores do ramo a tunar seu carro

Mesmo mecânicos e engenheiros com anos de estudos passam horas, talvez dias, estudando como modificar um carro. Já viu o programa “Pimp My Ride”? No primeiro dia que o carro está com eles, eles passam horas planejando as modificações. E isso porque é uma equipe completa, com um especialista para cada parte do veículo, desde a lataria até a parte elétrica. Um entusiasta do tuning, que não é especialista e não tem uma equipe tem duas opções: terceirizar o serviço de tuning ou investir tempo e estudos para ele mesmo fazer o projeto. Em ambos os casos, o dinheiro investido será alto.

Por conta do investimento alto em um tuning, a grande maioria dos especialistas sugere que o entusiasta escolha tunar um veículo clássico ou, pelo menos, um carro a partir de 2.0. Veículos populares, além de ter uma mecânica e engenharia complicada para aceitar modificações, terão uma desvalorização muito rápida, além de dar muitas dores de cabeça por conta da qualidade das peças originais. Afinal, praticamente tudo no carro popular, em um tuning bem feito, terá que ser substituído. Ou você correrá o risco de ter defeitos depois que farão você gastar mais dinheiro, mais uma vez.

Se você quer aprender sobre tuning, compre revistas especializadas. Faça cursos, workshops. Assista a documentários, séries, e filmes sobre as modificações possíveis. Compre livros sobre carros e arte, livros sobre como fazer combinações de cores. Aprendendo o básico, você poderá fazer algo exótico e que terá algum valor. Já vi fuscas e Fiat 147 modificados que ficaram perfeitos, todos equilibrados.

Sobre o som do carro, um conselho: existem encontros específicos para essas paredes de som. Vá até um deles e converse com os profissionais. Muitos dos carros com paredes de som não são autorizados a rodas nas ruas. Outros, sequer ligam o som fora dos eventos. Respeito é bom e todo mundo gosta. Você pode amar seu carro tunado, sem som. Mas ame pra você, pois o resto do mundo, muitas vezes, prefere o silêncio.

O que você acha de carros personalizados? Você compraria um? E carros com som alto, qual sua opinião?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)