Andar a pé simplesmente não é uma opção nos grandes centros. E nós não queremos tomar o ônibus ou ficarmos presos no trânsito quando estamos no caminho para o trabalho, ou nos prender a pagar os altos custos de carros ou motos para poder nos transportar e às nossas famílias. Felizmente, há uma preocupação crescente em oferecer meios de transporte alternativos, e 5 deles se destacaram nos últimos anos. Alguns são apenas uma melhoria na versão tradicional do meio de transporte, adicionando apenas um motor elétrico e outros bônus simples. Outros são mais revolucionários. Veja quais são eles e se eles podem atender às suas necessidades.

Cuidados importantes com transportes elétricos

Muitos transportes elétricos portáteis de empresas desconhecidas ou genéticos, ou mesmo os modelos chineses que sequer marca tem, estão apresentando sérios problemas com suas baterias, que simplesmente explodem ou pegam fogo. É bom pesquisar bastante antes de comprar o seu transporte elétrico para não ter problemas.

As velocidades máximas e autonomia dos veículos são baseadas em médias de testes e de informações das principais empresas fabricantes dos veículos. Deve-se considerar que pode haver variações dependendo do peso da pessoa, biotipo, e até do tipo de terreno onde o transporte será usado.

Skate e longboard elétrico

Um transporte relativamente recente, apesar da tradição do skate e dos longboards ser já bem estabelecida. As versões elétricas estão ganhando popularidade, e algumas incluem até um controle remoto para que você possa orientar sua direção, intensidade, velocidade, e outros aspectos do transporte.

Para quem não conhece, o longboard ou o skate elétrico é basicamente um skate ou longboard normal com um motor elétrico que distribui potência para as 4 rodas do transporte, usando geralmente uma bateria que cobre o espaço abaixo da prancha. Não é possível fazer manobras, mas é possível usar o skate ou longboard usando os pés como propulsão quando a bateria acabar.

Velocidade máxima: 40 km/h

Autonomia: 25 quilômetros

Tempo de recarga: 90 minutos

Peso: 4,6 kg

 

Vantagens de um veículo elétrico

Veículos de transporte elétricos tem se tornado cada vez mais comuns, e essas alternativas são excelentes opções para quem não quer gastar fortunas com gasolina e na manutenção de um veículo. (Foto: link-tec.en.madeinchina.com)

Uniciclo elétrico

Eu achava essa ideia um tanto bizarra até o dia em que eu vi uma pessoa usando em uma cidade do interior de Minas Gerais. Resolvi assistir a alguns vídeos e me surpreendi.

Basicamente, é uma roda com uma prancha passando ao redor dela. Essa roda e a prancha estão recheadas com sensores e motores que equilibram o veículo automaticamente ao mesmo tempo em que giram a roda e direcionam seu movimento. Tudo é controlado através do deslocamento do peso do seu corpo (o veículo sabe para onde você quer ir). A curva de aprendizado para “dirigir” um uniciclo é bem rápida. Existem versões que você anda em pé e outras que você anda sentado, mas é incrível o quão eficiente esse veículo é. Infelizmente, não funciona sem bateria, mas tem a vantagem de ter mais torque para conseguir também carregar pessoas subindo morros e ladeiras.

As informações abaixo são para o uniciclo que é usado em pé,

Velocidade máxima: 24 km/h

Autonomia: 10 a 11 quilômetros

Tempo de recarga: 20 minutos

Peso: 11 kg

Patinete elétrico

Quem é da geração da década de 80 conhece muito bem os patinetes, inclusive os patinetes motorizados. Hoje, estão voltando os patinetes, agora com motor elétrico.

Para quem não conhece ainda, o patinete é basicamente um skate com apenas uma roda na frente e uma roda atrás, e um guidão saindo da base da prancha para orientar a roda da frente. Alguns modelos de patinetes (também chamados de scooters) podem ter 3 ou 4 rodas.

O que é interessante dos patinetes é que como eles são um meio de transporte alternativo que está há bastante tempo experimentando com várias configurações, é também o que tem mais variações em velocidade, autonomia, design, e versões, talvez perdendo apenas para a bicicleta elétrica.

Velocidade máxima: 29 km/h

Autonomia: 40 minutos de uso contínuo.

Tempo de recarga: 10 a 12 horas

Peso: 31 kg

Bicicletas elétricas

A queridinha da nossa lista, a bicicleta elétrica, vem ganhando um volume de popularidade cada vez maior nos últimos anos, merecidamente. Existem tanto bicicletas que já são criadas com o motor elétrico na essência quanto modelos que são adaptados para o motor elétrico depois que são construídos. Em ambos os casos, a eficiência é bem semelhante.

O sistema é de um motor que está diretamente nas rodas da bicicleta ou entregando potência às correntes da bicicleta. O bom das bicicletas é que como é um meio de transporte popular, as tecnologias avançaram muito rapidamente, e já existem sistemas elétricos para bicicletas que se recarregam enquanto você pedala, e até sistemas de frenagem que aproveitam o atrito dos freios para gerar mais energia cinética.

Uma observação importante é lembrar que há limitações de velocidade e configurações de cilindradas para bicicletas elétricas, de forma que elas não sejam categorizadas como ciclomotores.

Velocidade máxima: 50 km/h

Autonomia: 30 km a 40 km

Tempo de recarga: 5 a 7 horas

Peso: 22 kg

Segway

Nosso artigo não poderia ficar completo sem listar o Segway, um dos primeiros veículos elétricos alternativos a realmente causar um impacto e ser um sucesso de vendas.

Alimentado por baterias e com duas rodas laterais, a pessoa fica em pé sobre o veículo, controlando a direção para onde ele vai. Computadores, sensores, e motores elétricos na base do Segway mantém o dispositivo na posição vertical quando ligado, e giroscópios e sensores de nivelamento detectam as mudanças de peso e ângulo do piloto para saber qual direção ele quer ir.

A Segway tem vários modelos, inclusive alguns para uso ao ar livre em terrenos irregulares. É interessante ver como esse transporte evoluiu ao longo dos anos.

Velocidade máxima: 20,1 km/h

Autonomia: 39 km.

Tempo de recarga: 8 a 10 horas

Peso: 47 kg

Vale a pena ter um transporte elétrico alternativo?

Se você mora perto do seu trabalho ou se o ônibus/metrô te deixa perto do trabalho e você não quer andar tanto, com certeza, o transporte elétrico alternativo é uma excelente opção. O desafio hoje é aumentar a autonomia desse tipo de transporte. Geralmente, os testes de autonomia são realizados com pessoas que pesam entre 60 kg e 85 kg. Quem pesa um pouco mais do que isso, pode ter decepções na autonomia do veículo. A mesma coisa vale para quem mora em cidades com terreno muito irregular, ou com muitas lombadas, morros e buracos. Sempre dê uma margem de erro de 10% a 15% para a autonomia dos veículos alternativos, com exceção das marcas mais famosas (Segway, Onewheel, etc), que você pode reduzir essa margem de erro pela metade.

O investimento é alto, mas é um investimento que você não paga IPVA e em alguns casos, como o do patinete, do longboard, e da bicicleta, ainda queima umas calorias pedalando para economizar a bateria. Mas vamos deixar para vocês responderem: vale a pena comprar um veículo de transporte elétrico alternativo? É um investimento que se paga? Por que?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)