Comprei minha CG Fan 125 2014 no segundo semestre de 2013. Em 2015, completam-se 2 anos com a motocicleta. Tem muita gente no Brasil que acaba ficando por anos com a mesma moto. Mesmo assim análises das motos brasileiras deixam muito a desejar com testes mais longos, compartilhando a experiência com a motocicleta. Sabendo disso, resolvi compartilhar com nossos leitores minha análise desse tempo todo com a motocicleta.

Minhas características físicas

Repassar aos leitores meu biotipo é importante para que a minha opinião dada abaixo seja vista levando isso em consideração. Tenho 95 kg e 1,85 m. São 1,08 m só de pernas. Tenho também duas hérnias de disco na base da coluna, que sismam em continuar doendo, mas raramente me atrapalham a andar ou realizar tarefas simples.

Modificações na moto

As duas únicas mudanças na moto foi o acréscimo de um mata cachorro no motor, original Honda, e um adesivo emborrachado no tanque, também original Honda.

Como eu uso a motocicleta?

Não uso minha CG para trabalho. Uso no dia a dia para transporte, e para pequenas viagens de menos de uma hora. Já fiz uma viagem de 2 horas com ela, mas não faria de novo (falarei sobre isso abaixo). Ando com garupa frequentemente, e não sou de acelerar loucamente a moto. Mantenho a manutenção em dia, checo o óleo semanalmente ou quinzenalmente, lubrifico e estico a corrente com frequência. Uso gasolina aditivada ou gasolina premium, misturadas, e abasteço no mesmo posto. Todas as manutenções, até agora, foram realizadas apenas em oficinas autorizadas Honda.

Como é o conforto da CG Fan 125?

Quem compra uma CG Fan 125 não está buscando qualquer tipo de conforto. Sou alto e pesado, mas a CG Fan não deveria ser tão desconfortável assim. Tanto a suspensão traseira quanto a dianteira não aguentam bem o tranco das ruas e estradas brasileiras, e frequentemente o impacto é transferido diretamente para o condutor ou garupa. Em algumas situações, a vibração da moto também é transferida para as manetes, chegando a incomodar muito quando a moto vai a qualquer velocidade acima de 90 por hora. A posição de pilotagem é muito curvada para qualquer pessoa acima de 1,75 m, além de ser um tanto cansativa. Frequentemente tenho que “esticar” a coluna ou descer da moto para descansar.

Opinião sobre a CG Fan 2014

Uma moto barata, econômica, mas nem um pouco confortável. Essa é a CG Fan 2014. (Foto: www.portalcatalao.com.br)

E os gastos com manutenção e consumo da CG Fan 125?

A Fan 125 tem uma manutenção relativamente barata. Em dois anos, salvo os casos em que tiver que trocar peças por deixar a moto cair, creio ter gasto aproximadamente R$1.500 em manutenção, incluindo serviços e compra de peças. A moto está quase com 14 mil km, e mês que vem terei de trocar o pneu da frente (o traseiro está menos desgastado). O consumo teve uma alta depois de terem aprovado o maior teor de álcool na gasolina (de 25% para 27%), e o carburador dela fica sujo muito rapidamente. O problema foi parcialmente resolvido ao usar uma mistura de gasolina aditivada e premium para limpeza do sistema de alimentação da motocicleta, além da troca do filtro de ar. O kit de corrente, pinhão e coroa foi trocado recentemente, e achei a troca muito cedo e cara.

Problemas da CG Fan 125

O tanque da CG Fan 125 arranha muito facilmente, assim como as carenagens laterais traseiras. O pára lamas dianteiro frequentemente bate no mata cachorro e fica “marcado”, mesmo sendo um acessório original vendido e instalado pela Honda. No mata cachorro, o parafuso usado para sua instalação já está enferrujado. A porca e contraporca do esticador da corrente saem com facilidade devido à vibração da moto, e não há nenhum acessório original para travá-los. A lona dos freios desgasta muito rapidamente, mesmo para quem pilota com mais cuidado. O mesmo pode ser dito sobre a corrente, o pinhão e a coroa, que mesmo com boa manutenção, se desgastam rapidamente.

O carburador da Fan 125 também fica sujo muito facilmente, e isso prejudica um pouco o consumo. Mas aqui eu posso culpar também um pouco a qualidade da gasolina brasileira que, cá entre nós, é péssima.

Os retrovisores originais são baratos de repor, mas a parte plástica arranha com facilidade, eles ficam “bambos” rapidamente, e em qualquer tombo da moto, eles vão arranhar ou quebrar. Talvez uma proteção no guidão poderia ser pensada para a moto cair e essa proteção bater, no lugar dos retrovisores.

A moto também tem uma velocidade final muito ruim, e o torque máximo dela dificulta na hora de subir alguns morros um pouco mais íngremes. Com 90 km/h a moto já está praticamente no máximo da potência. Basta uma mínima inclinação para essa velocidade cair até para 60 km/h. Em morros mais íngremes, é colocar a primeira marcha e acelerar bastante para ela subir. Sei que é uma moto de 125 cc, mas eles poderiam ter feito uma relação torque/potência um pouco melhor.

A frenagem do modelo ES que tenho (freio a tambor) é demorada e ineficiente. O freio traseiro, mesmo com uma pressionada fraca, acaba travando a roda. Essa frenagem ineficiente distribui uma carga muito grande para as suspensões da moto aguentarem. Aliás, já passou da hora da Honda trocar o sistema de amortecimento da CG: as vias brasileiras EXIGEM, pelo menos, um sistema pro link para um mínimo de conforto e estabilidade.

As vantagens da CG Fan 125

A maior vantagem dessa moto é seu preço e o custo para mantê-la. Em 24 meses, a manutenção mensal foi de, aproximadamente, R$62,50. Contando que ela faz 28 km/l a 30 km/l quando usada dentro da cidade, os custos mensais se somam para menos de R$120 com manutenção e gasolina (isso colocando gasolina premium misturada com aditivada).

Aceleração e tempo de reação dela são bons, apesar dos problemas com a velocidade final e o torque. A carenagem dela é também bem resistente à vibrações e impactos, não quebrando facilmente (apesar de ficarem arranhadas com frequência).

Considerações Finais

Assim que eu tiver mais dinheiro, venderei a moto e comprarei outra moto com 150 cc, mas provavelmente vou escolher uma moto 250 cc ou 300 cc. Apesar dos custos da CG Fan 125 serem baixos, o sistema de alimentação dela é bem ineficiente (mesmo para uma moto carburada), e o conforto está prejudicando muito. Talvez se o guidão dela fosse um pouco mais alto, e a posição de pilotagem um pouco mais ereta, eu ficaria mais satisfeito com a motocicleta.

Ela foi ideal para uma época da minha vida onde precisei de um transporte econômico e rápido, mas o momento agora é outro. Como minha vida financeira e profissional está mais estável, hoje prefiro sacrificar um pouco do dinheiro para ter um pouco mais de conforto.

E você, o que acha da CG Fan 125? Tem, já teve ou está planejando comprar uma? Qual sua opinião sobre essa moto?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)