Mesmo quem gosta e conhece um pouco de veículos pode ter dificuldade para saber quais os significados das siglas nos nomes dos carros. São tantas, e com o tempo elas são renovadas, que não dá para acompanhar.

As siglas ou “sobrenomes” são utilizados para identificar a versão do veículo, o seu posicionamento em relação aos itens inclusos de um mesmo modelo. Algumas marcas utilizam siglas enquanto outras utilizam nomes. No caso das siglas, na maioria da vezes, quanto mais letras mais chique é a versão.

Para se fazer uso das siglas, as marcas realizam um estudo antes de registrá-la. Elas dão preferência às siglas que não foram usadas por outras montadoras e estas não podem possui conotação negativa (relacionada com ética, violência ou religião).

Depois de escolhida a nomenclatura, a empresa entra com uma solicitação que pode levar até 6 meses para ser aprovada e depois registrada. Abaixo, seguem algumas siglas famosas:

GTI

Os diversos significados das nomenclaturas dos veículos

4×4/4WD/AWD: tração nas 4 rodas.

CD (Comford Diamond): era usado pela GM para designar a versão top de linha.

CG (Confort Gold): era usado pela VW para designar a versão intermediária do veículo. Ficava entre o GS e o CD.

CL (Conforto Luxo): considerada a versão de entrada da VW há muitos anos atrás.

CSL (Confort Super Luxe / Coupe Sport Lighweight): era usado pela Fiat para denominar a versão top de linha. Também é utilizada pela BMW para designar cupê esportivo leve.

CRV (Confort Runabout Vehicle): Veículo confortável e versátil.

CS (Confort Silver/Conforto Super): era usada para a versão de entrada dos modelos da VW e versão intermediária da Fiat.

DX (De Luxe): versão de entrada da Honda.

ED (Economis Drive): economia de combustível.

EDX (Economic Drive extra): ainda mais econômico.

ELX (Eletronic Luxe Extra): usado pela Honda para designar a versão top de linha com câmbio automático.

EX (Executive): versão intermediária da Honda, acima da DX e da LX. Abaixo apenas da versão top de linha.

GL (Grand Luxe): sigla utilizada pela Ford para designar a versão de entrada dos carros de preço médio como o Focus.

GLS (Grand Luxe Sport): era utilizada pela GM para designar a versão top de linha dos veículos mais chiques como Vectra e Ômega.

GLX (Grand Luxe Extra): utilizada pela Ford para as versões intermediárias dos veículos de preço médio. Também usada pela Citroën para a versão de entrada do Aircross, C3 e C4.

GT (Gran Turismo): usada para designar versões com design mais esportivo.

GTI (Gran Turismo Injection): usada para designar versões com design mais esportivo e motor mais potente, muitas vezes com turbo.

HGT (High Gran Tourism): foi usada pela Fiat para designar a versão top de linha com acessórios diferenciados e motor mais potente.

i.e (injeção eletrônica): foi muito utilizada pelas montadoras na década de 90 quando essa era novidade, deixou de utilizar carburador.

LS (Luxo Standart): utilizada atualmente pela GM para designar a versão de entrada.

LT (Luxo Touring): versão intermediária. Fica entre a LS e LTZ.

LTZ: versão top de linha. O Z foi escolhido por ser a última letra do alfabeto.

LX (Luxury): versão intermediária da Honda, acima da DX.

LXS (Luxury Standard): versão intermediária da Honda, acima da DX, mas a versão “padrão” (standard).

MPFI (Multipoint Fuel Injection): injeção eletrônica de multiponto.

RL (Ranking Low): versão de entrada da Renault.

RN (Ranking Normal): versão intermediária da Renault.

RT (Ranking Top): versão top de linha da Renault.

RXE (Ranking Extra): versão exclusiva da Renault.

SFI (Sequential Fuel Injection): injeção de combustível sequencial.

SS (Super Sport): utilizada pela GM para designar os carros esportivos como o Camaro.

SUV (Sport Utility Vehicle): veículo esportivo utilitário.

SW (Station Wagon): modelo tipo perua.

SW4: versão perua com tração nas quatro rodas.

SX (Standart Extra): foi usada pela Fiat para designar a versão de entrada de veículos de médio preço como o Brava.

VHC (Very High Compression): motor de alta compressão.

VVTi (Variable Valve Timing Intelligence): Variação Inteligente do tempo de abertura das válvulas que possibilita que o motor tenha melhor resposta em baixas rotações.

XEi (Extra Executive): versão intermediária de alguns veículos da Toyota como o Corolla.

XLi (Extra Luxe): versão de entrada de alguns carros da Toyota.

XLS (Extra Luxe Sport): era utilizada pela Ford para designar versão intermediária do Ecosport.

XLT (Extra Luxe Total): ainda é utilizada pela Ford para as versão top de linha do Ecosport.

XR (Experimental Research): versão intermediária de alguns veículos da Peugeot como o 207.

Ufa! É sigla que não acaba mais e, mesmo assim, várias ficaram de fora. Independente se a montadora utiliza sigla ou nome, a tendência têm sido torná-las mundial como a Chevrolet vem fazendo.

Aproveite e saiba também sobre como solicitar indenização do DPVAT.

2 comentários para “O que significam as siglas nos nomes dos carros?”

  1. Mauricio M.

    Ótima matéria, parabéns…

    Responder
  2. Tiago

    Faltou a LXS da Honda. Teve até a EX e a DX, LX… Mas não vi a mais famosa a LXS que é o que mais tem de New Civic LXS… Kkkkk mesmo assim muito boa a matéria! Obrigado.

    Responder

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)