Multa de bafômetro: qual o valor? E se recusar?

Em Leis e trânsito por André M. Coelho

Acidentes de trânsito são a segunda principal causa de morte no Brasil, por trás dos homicídios. São centenas de milhares de brasileiros que morrem em acidentes de trânsito todos os anos.

Com o objetivo de reduzir o elevado número de acidentes de trânsito e fatalidades nas estradas do Brasil, o Código de Trânsito Brasileiro (código de tráfego brasileiro) foi alterado em 2012 para aumentar significativamente as penalidades, incluindo penalidades criminais, para aqueles encontrados sob a influência de álcool.

Lei seca e a multa de bafômetro: valor e penalidades

Sob a versão revisada do Lei Seca, aqueles encontrados com um conteúdo de álcool no sangue (BAC) de 0,06 ou superior receberão uma multa muito maior de R$2.934,70 sob a lei atual. O valor tende a aumentar cada ano, enquanto os legisladores tornam cada vez mais severas as punições. Esse nível BAC pode ser facilmente alcançado depois de beber tão pouco quanto três latas de cerveja. Além disso, alguém pegou violando a nova lei pela segunda vez em 12 meses deve pagar uma multa ainda maior por conta da reincidência.

O condutor que se recusar ao teste do bafômetro ou fizer o teste e o nível estiver acima do permitido é penalizado com a suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

Lei Seca e bafômetro

O teste do bafômetro pode te pegar, e resultar na sua prisão se estiver alcoolizado. (Imagem: Tips Make)

Recusa do bafômetro e a jurisprudência

As fatalidades da estrada caíram em 20% após a participação inicial em vigor em 2009. Quando parado por um policial, os motoristas foram convidados a se submeter a um teste de bafômetro. No entanto, muitos pilotos se recusaram a fazer o teste, confiando em seu direito constitucional contra a auto-incriminação.

Sob a versão alterada do Lei Seca que entrou em vigor em dezembro de 2012, os policiais não estão mais limitados a um teste de bafômetro opcional para a aplicação. Eles agora são capazes de usar outras evidências, incluindo fotografias, vídeos e declarações testemunhas para convencer um juiz que alguém estava dirigindo sob a influência do álcool ou outra substância viciante.

Atualmente, a jurisprudência da recusa é a seguinte:

São consideradas válidas as autuações, seja pelo artigo 277, parágrafo 3º, com as penalidades do artigo 165, ambos do Código Brasileiro de Trânsito (CTB), seja do artigo 165-A do mesmo diploma legal, conforme a data do fato, pela recusa do condutor a se submeter ao teste do bafômetro (etilômetro), exame clínico, perícia ou outro exame que permita verificar a embriaguez, previstos no artigo 277, caput, do CTB, pois se trata de infração de mera conduta, dispensando a verificação de sinais de embriaguez ou a disponibilização, no momento da autuação, de outros meios de aferição da embriaguez para aquele que se recuse à realização do teste do bafômetro (etilômetro), com a edição de enunciado neste termos.

Em outras palavras, a autuação continua mesmo se a pessoa se recusar ao bafômetro.

Bafômetro: quanto tempo dura o álcool no sangue?

É importante conhecer seus limites pessoais quando se trata de beber. Seu BAC é a medição da quantidade de álcool em sua corrente sanguínea. Por exemplo, um BAC de 0,06 significa que 0,06% do seu conteúdo total de sangue é o álcool.

Existem muitos fatores que afetam seu BAC. Seu BAC é afetado pelo seu gênero, peso corporal, metabolismo, a quantidade de álcool consumida, a concentração de álcool por bebida, o tempo gasto bebendo, certos medicamentos e vários outros fatores.

Além disso, quanto mais você bebe e mais rápido você bebe, mais provável é experimentar os efeitos depressivos do álcool e um impacto maior em suas habilidades de condução. Seu bac espigava quando você bebe rapidamente. Mas quando você bebe a mesma quantidade de álcool durante um período mais longo, você pode moderar melhor seu BAC com o objetivo de ficar abaixo de 0,06 bac. Como um benefício adicional, você terá maior aproveitando fora de sua bebida.

Conheça seus direitos quanto ao bafômetro

Lembre-se de que, sob a nova lei, os policiais têm mais ferramentas à sua disposição para identificar, bem e prender os motoristas intoxicados. A lei também se aplica aos impulsionadores sob a influência de drogas, como cocaína e maconha. É por isso que é crucial para você procurar imediatamente assistência legal para proteger seus direitos se for acusado de violar a Lei Seca.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

O pai de André já teve alguns carros clássicos antes de falecer, como Diplomata, Chevette e Opala. Após completar 18 anos, tirou carteira de moto e carro, comprando então sua primeira moto, uma Honda Sahara 350. Fez um curso de mecânica de motos para começar uma restauração na moto, e acabou aprendendo também como consertar alguns problemas de carros. Seu primeiro carro foi uma Nissan Grand Livina de 2014 e pretende em breve comprar uma picape diesel. No caminho, vai compartilhando tudo que aprende no site Carro de Garagem.

Deixe um comentário