Muitas pessoas compram seus carros já pensando em fazer modificações. Alguns querem colocar o turbo, outros querem colocar o famoso NOS, também conhecido como sistema de injeção de óxido nitroso. Mas é permitido usar esses sistemas no veículo? Como regularizar?

Vamos começar entendendo um pouco do funcionamento de cada um deles.

O que é o turbo de um carro?

A taxa de compressão é um dos fatores que limita a potência de um carro. Dois elementos básicos influenciam essa taxa de compressão: o combustível e o ar. No caso do combustível, há um limite de saturação para sua utilização, o que impede melhorar a taxa de compressão por injetar mais combustível no motor. A solução então é colocar mais ar na mistura de ar e combustível. Como a maioria dos motores funciona em um sistema de vácuo, “puxando” o ar naturalmente para dentro do motor, a forma para injetar mais ar na câmara de combustão é através do turbo.

Basicamente, o turbo é como se fosse um ventilador jogando mais ar para dentro do seu motor. Em alguns veículos, há dois turbos: um na admissão e um no escape. O objetivo desse turbo duplo é não apenas injetar mais ar no motor, mas também aumentar o fluxo dessa injeção de ar, possibilitando que o motor funcione mais rápido e com maior compressão.

Para usar o turbo, além da preocupação com o funcionamento adequado do sistema e seu resfriamento, o motorista deve adaptar os cabeçotes, cilindros, pistões e bielas do motor para lidar com maiores temperaturas e não reduzir a vida útil dessas peças e outras.

Regularização de NOS e Turbo

O óxido nitroso é um dos componentes que pode ser adicionado a um carro para dar a ele maior potência. Porém, tem que se tomar cuidado com os detalhes para regularizar o veículo e não ter problemas com o DETRAN. (Foto: Car Engine Tune Up)

O que é nitro?

A injeção do óxido nitroso trabalha na outra esfera da melhora do desempenho da compressão de um motor, ou seja, o óxido nitroso trabalha junto com o combustível. O óxido nitroso é um gás que ao ser injetado na câmara de combustão ajuda na queima do combustível. Ele em si não funciona como combustível sozinho. Ele é um reagente para funcionar com o combustível, otimizando sua queima e melhorando a taxa de compressão, frequência de queima do combustível, e aumentamento a potência do motor.

Note que ao contrário do turbo, o NOS não é infinito. Ele está limitado pela quantidade de gás no reservatório do sistema de injeção de óxido nitroso. Quando o gás acabar, o aumento de potência do motor também vai acabar.

Turbo nitro: podem ser usados em conjunto?

Antes de chegar na parte da legislação sobre o uso do turbo e nitro, uma dúvida comum é sobre o uso dos sistemas em conjunto. Não há problema no quesito desempenho do motor. Inclusive, o uso em conjunto dos dois sistemas pode adicionar uma boa dose de potência ao veículo. Com as adaptações certas e a regulagem do motor, o sistema trará a maior potência possível ao veículo. Porém, lembre-se que o nitro só vai adicionar a potência extra por um período X de tempo, de acordo com o tamanho do reservatório e o quanto você estiver exigindo do veículo.

Mas é permitido usar o turbo ou o nitro?

Na teoria, qualquer modificação devidamente autorizada pelo DETRAN e após vistoria do veículo é permitida. Na prática, o que se vê são agentes multando os proprietários de veículos que tenham turbinas, garrafas de nitro, e outros itens esportivos “à mostra”. E por isso é bom andar sempre com a vistoria do seu veículo em mãos, e todos os documentos que comprovam que ele está regularizado, e com o escrito “veículo modificado” no documento. É recomendado também andar com fotos de versões de fábrica do veículo que tenham o turbo, para evitar multas de policiais despreparados.

Sendo mais específico, no caso do turbo, há condicionantes na hora da modificação do veículo porque, basicamente, a forma como o motor é alimentado está sendo modificada. Este condicionante é a inspeção pela vistoria do DETRAN, que quase sempre resulta em aprovação, desde que a adaptação seja feita por uma oficina responsável, preocupada com o desempenho do veículo e todas as medições possíveis. Assim que você colocar o turbo e receber a documentação após a vistoria, não há problema algum.

Para o nitro, é um pouco diferente. O nitro é um aditivo de combustível, e não uma modificação no veículo. Ele não muda a forma como o motor trabalha. O único condicionante é que o tanque tem que ser colocado no porta malas, como seria com o reservatório de GNV. O nitro, então, não pode ser considerado uma modificação no veículo, e se o policial te multar, isso pode até resultar em um processo de abuso de autoridade, pois o oficial está te constrangendo ao aplicar a lei incorretamente.

A nossa recomendação? Faça a modificação de nitro/turbo e leve a uma vistoria do DETRAN, sempre. Com a garantia da vistoria, você evitará dores de cabeça com policiais, e garante que seu veículo estará dentro da lei.

Você já teve problemas com o turbo do seu veículo, mesmo depois de regularizado? E com o kit nitro?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)