Alternador esquentando, o que fazer?

Escrito na categoria "Dúvidas automotivas" por André M. Coelho.

Praticamente todo mundo sabe que há uma bateria sob o capô da maioria dos carros. Como tal, você pode pensar que a bateria do seu carro alimenta seus componentes elétricos. Este é um equívoco comum, entretanto. Depois que seu veículo dá partida, é o alternador que fornece energia elétrica e também mantém a carga da bateria. Se você tem se perguntado: “O que é um alternador?” você deve saber algumas coisas sobre esta parte essencial, ainda mais se ele estiver superaquecendo.

O que é um alternador?

Pode ser útil pensar no alternador do seu veículo como um gerador, porque é essencialmente isso que ele é. Na verdade, os automóveis até a década de 1960 usavam um gerador (que produz eletricidade, mas o faz de maneira diferente com diferentes peças internas) e alguns fabricantes de veículos (muitos na Europa) ainda se referem ao alternador moderno como um gerador. Em termos simples, o motor do seu carro fornece potência às rodas. O motor também gira o alternador por meio de uma correia de transmissão, ou correia de serpentina e sistema de polia. Isso faz com que o alternador crie corrente elétrica que é realimentada no sistema elétrico e na bateria.

Como o alternador funciona?

O alternador converte a energia mecânica rotacional do motor em energia elétrica que os componentes do seu veículo precisam para funcionar. Recebe energia mecânica da polia, que é girada pela correia do motor, e usa magnetismo para gerar corrente alternada. Além disso, ele muda essa corrente alternada (energia CA) em corrente contínua (energia CC) que seu veículo pode usar.

Alternadores de carros modernos têm alguns componentes essenciais que permitem que façam seu trabalho. Se alguma dessas peças se desgastar ou quebrar, o alternador pode falhar. Aqui estão algumas partes principais do alternador do seu veículo:

Estator: o estator é um conjunto de enrolamentos de fio fixos ou estacionários. Vários desses enrolamentos precisamente espaçados trabalham com o rotor para gerar uma corrente alternada.

Rotor: o rotor é a parte do alternador que gira. É apoiado em ambas as extremidades com rolamentos e giros com o auxílio de uma polia e correia de transmissão. O rotor possui um centro de núcleo de ferro que tem um fio de cobre enrolado em torno dele. Energizar o fio com uma corrente elétrica causa o desenvolvimento de um campo magnético com os pólos norte e sul.

Retificador de ponte: o retificador de ponte converte a corrente alternada (CA) do estator em corrente contínua (CC) que seu veículo pode usar. Para realizar esta tarefa, o retificador possui vários diodos. Esses diodos permitem que a corrente flua em uma direção e evitam que ela flua para trás. Isso muda a corrente alternada para corrente contínua.

Regulador de tensão: o regulador de tensão é o centro nervoso de todo o conjunto. É um componente eletrônico e é responsável por manter a tensão do sistema de carregamento dentro de uma faixa especificada.

Esses quatro componentes não são as únicas partes do alternador do seu veículo, mas são componentes que geram eletricidade utilizável para o seu veículo. Você deve perceber, porém, que seu alternador também tem outras peças, incluindo uma carcaça, rolamentos, escovas e buchas.

Alternador superaquecendo

O alternador superaquecendo pode gerar problemas na produção de energia pelo veículo. (Foto: Auto )

Alternador esquentando demais: causas

O alternador apresentou temperatura excessiva durante o uso, então qual é a causa? Como deve ser resolvido?

1. Especificações

O alternador não funciona de acordo com as condições técnicas especificadas. Se a tensão do estator for muito alta, a perda de ferro aumenta; se a corrente de carga for muito grande, a perda de cobre do enrolamento do estator aumenta; se a frequência for muito baixa, a velocidade do ventilador de resfriamento torna-se lenta, afetando o AC. Dissipação de calor do gerador; o fator de potência é muito baixo, de modo que a corrente de excitação do rotor aumenta, fazendo com que o rotor aqueça. A indicação do instrumento de monitoramento deve ser verificada quanto à adequação. Se não estiver normal, devem ser realizados os ajustes e tratamentos necessários para operar o alternador de acordo com as condições técnicas especificadas.

2. Corrente

A corrente de carga trifásica do alternador está desequilibrada e o enrolamento monofásico sobrecarregado sobreaquecerá; se a diferença da corrente trifásica exceder 10% da corrente nominal, é um sério desequilíbrio da corrente 蛄 fase, e o desequilíbrio da corrente trifásica será gerado. Um campo magnético de sequência negativa é gerado, o que aumenta a perda e causa os componentes como o enrolamento do pólo e o ferrolho para gerar calor. A carga trifásica deve ser ajustada para manter as correntes de fase o mais equilibradas possível.

3. Ventilação

O duto de ar está bloqueado por poeira e a ventilação é deficiente, o que dificulta a dissipação de calor do alternador. A poeira e a graxa devem ser removidas do duto de ar e a passagem de ar deve ser desobstruída.

4. Temperatura

Se a temperatura do ar de entrada for muito alta ou a temperatura da água de entrada for muito alta, o refrigerador está bloqueado. A temperatura de entrada ou entrada deve ser reduzida para remover bloqueios do refrigerador. A carga do alternador deve ser limitada para reduzir a temperatura do alternador antes que a falha seja eliminada.

5. Rolamentos

Se o rolamento for muito solto ou pouco solto, a graxa deve ser adicionada de acordo com os regulamentos, geralmente 1/2 a 1/3 da câmara do rolamento (o limite superior da velocidade baixa, o limite inferior da alta velocidade), e não mais do que 70% da câmara do rolamento é adequada.

Se o desgaste não for sério, o rolamento está parcialmente superaquecido; se o desgaste for severo, o estator e o rotor podem ser atritados, fazendo com que o estator e o rotor evitem superaquecimento. O rolamento deve ser inspecionado quanto a ruído. Se o estator e o rotor apresentarem atrito, pare imediatamente para reparar ou substituir o rolamento.

6. Isolamento

O isolamento do núcleo do estator está danificado, causando curto-circuito entre as folhas, fazendo com que a perda de corrente parasita do núcleo aumente e aqueça, e o enrolamento do estator pode ser danificado em casos graves. Deve ser desligado imediatamente para manutenção.

7. Cabos

Os cabos paralelos do enrolamento do estator estão rompidos, fazendo com que a corrente dos outros fios aumente e aqueça. Deve ser desligado imediatamente para manutenção.

Manutenção do alternador do veículo

Se ele falhar, você provavelmente precisará substituir o alternador. Você pode, no entanto, seguir alguns passos para manter esta peça em ótima forma.

Primeiro, mantenha uma boa bateria sob o capô do seu carro. Como as baterias e alternadores de carro andam de mãos dadas, você deve substituir uma bateria velha, danificada, fraca ou ineficaz. Afinal, uma célula danificada dentro da bateria pode arruinar o alternador. Se você tiver um veículo que não é dirigido com frequência, considere usar um carregador lento para manter a bateria em manutenção durante o tempo de inatividade. O oposto também é verdade. Se você tiver um alternador com defeito, mas uma bateria em boas condições, sua bateria pode disfarçar os problemas de desempenho do alternador. Eventualmente, porém, ambos os componentes provavelmente precisarão ser substituídos.

É importante observar que um alternador nunca deve ser usado para carregar uma bateria descarregada. Sempre que houver suspeita de que sua bateria está esgotada ou com pouca carga, use um carregador de bateria para concluir esta tarefa. Carregar uma bateria descarregada por meio do alternador levará à falha do alternador. Muitas vezes, é por isso que as falhas da bateria E do alternador podem ocorrer com semanas de diferença. Primeiro, a bateria falha. Então, depois de frequentes acionamentos de salto e de dirigir por aí com a bateria descarregada, a bateria é substituída, apenas para descobrir que a nova bateria esgota após vários dias, porque o alternador morreu durante esse mesmo tempo. É uma ocorrência frequente.

Se você acha que o alternador ou a bateria do seu veículo podem ser suspeitos, você pode procurar um profissional mecânico especializado em elétrico.

Ao observar os problemas comuns, você sabe quando reparar ou substituir o alternador. Se algo der errado, você precisará de componentes de alta qualidade e das ferramentas certas para ter sucesso. Dê uma olhada em seu alternador hoje. Se você encontrar um problema e precisar de alguma peça ou ferramenta, procure um bom profissional.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

O pai de André já teve alguns carros clássicos antes de falecer, como Diplomata, Chevette e Opala. Após completar 18 anos, tirou carteira de moto e carro, comprando então sua primeira moto, uma Honda Sahara 350. Fez um curso de mecânica de motos para começar uma restauração na moto, e acabou aprendendo também como consertar alguns problemas de carros. Seu primeiro carro foi uma Nissan Grand Livina de 2014 e pretende em breve comprar uma picape diesel. No caminho, vai compartilhando tudo que aprende no site Carro de Garagem.

Deixe um comentário