O fluido de freio é um tópico polêmico porque a maioria das pessoas não sabe por que ele deve receber manutenção. Você sabia que o motorista que dirige 16.000 a 24.000 km por ano usa seus freios cerca de 75.000 vezes anualmente? Em uma pesquisa recente, quase metade dos motoristas disseram que o maior medo que tem ao dirigir é uma falha nos freios? Então, é hora de aprender mais sobre o fluido de freio do seu veículo.

Fluido de freio: quando substituir?

Considere o seguinte: após três anos de serviço, o ponto de ebulição médio do fluido de freio caiu para um nível potencialmente perigoso devido à contaminação por umidade e pode não atender aos requisitos mínimos para o fu.

Provavelmente metade de todos os carros e caminhonetes que tem 10 ou mais anos de idade nunca tiveram seu líquido de freio trocado. No entanto, verificações regulares do fluido de freio são necessárias para garantir que o sistema está em bom funcionamento.

O líquido do freio é armazenado no reservatório principal do cilindro do freio. O reservatório é geralmente um recipiente de plástico translúcido em cima do cilindro mestre. Isso permite que você veja o nível de fluido no interior sem ter que remover a tampa de enchimento. Abrir a tampa desnecessariamente deve ser evitado porque permite que o ar úmido entre no reservatório, e a umidade não é boa para fluido de freio.

O fluido de freio é um dos fluidos mais negligenciados nos veículos de hoje, mas é de vital importância para uma condução segura. Conseqüentemente, você deve verificar o nível de fluido regularmente. O nível vai gradualmente cair quando as pastilhas de freio desgastam, mas uma queda repentina no nível de fluido geralmente significa que há um vazamento em seu sistema de freio. O nível de fluido deve ser mantido entre as marcas ADD e FULL, ou as marcas MIN e MAX. Se o nível estiver baixo, adicione o tipo de fluido especificado na tampa de enchimento DOT X, sendo X a numeração adequada para seu veículo. Numerações mais altas são retrocompatíveis com numerações mais baixas, mas é ideal que o fluido antigo seja completamente removido do sistema antes de usar um fluido novo.

Faça a troca também na frequência recomendada no manual do proprietário, o que garante a melhor manutenção possível do seu fluido de freio.

Qual manutenção fazer no fluido de freio

Seu fluido de freio precisa de cuidados especiais para um bom funcionamento. Mantenha a manutenção dele em dia para evitar problemas que podem causar graves acidentes! (Foto: Creditline One)

Manutenção preventiva do fluido de freio

Muitos especialistas recomendam mudar o fluido de freio a cada ano ou dois para manutenção preventiva. Seu raciocínio é baseado no fato de que o líquido de freio a base de glicol começa a absorver a umidade a partir do momento em que é colocado no sistema. O fluido atrai a umidade através de poros microscópicos em mangueiras de borracha, selos e exposição ao ar. O problema é obviamente pior em climas úmidos onde a umidade é alta.

Depois de apenas um ano de serviço, o fluido de freio no veículo médio pode conter tanto quanto 2% de água. Após 18 meses, o nível de contaminação pode ser tão alto quanto 3%. E depois de vários anos de serviço, não é incomum encontrar fluido de freio que contém até 7% a 8% de água.

Conforme a concentração de umidade aumenta, ela causa uma queda acentuada na temperatura de ebulição do fluido. Um fluido de freio novo deve ter um ponto de ebulição seco (sem umidade) de pelo menos 205º C, e um ponto de ebulição molhado (saturado por umidade) de não menos do que 140º C. A maioria dos fluidos excedem estes requisitos e tem um ponto de ebulição seco que varia de 240º C até mais de 260º C.

Apenas 1% de água no fluido pode baixar o ponto de ebulição de um fluido DOT típico para 190º C. 2% de água pode empurrar o ponto de ebulição para cerca de 160º C, e 3% levará todo o caminho até 145º C, o que está ficando perigosamente perto dos requisitos mínimos para fluidos DOT.

Considerando o fato de que os atuais sistemas de freio de tração dianteira com forros semi-metálicos funcionam significativamente mais quentes do que seus equivalentes de tração traseira, temperaturas de freio elevadas exigem que o fluido possa absorver o calor. Mas como dissemos anteriormente, o fluido de freio em muitos dos veículos de hoje não consegue porque é velho e cheio de umidade.

A contaminação da água aumenta o perigo de falha do freio porque bolsas de vapor podem se formar se o líquido começar a ficar muito quente. Vapor desloca fluido e é compressível. Por isso, quando os freios são aplicados. o pedal pode ir todo o caminho para o chão sem sequer acionar os freios.

Além do problema de segurança, o fluido de freio carregado de água promove corrosão em todos os componentes do sistema de frenagem, o que pode resultar em um reparo caro de fazer, sem contar no aumento do risco de acidentes.

Sistema de freio automotivo: as falhas do fluido

De vez em quando ouvimos falar de relatos de falhas de freio “inexplicadas” que causaram acidentes. Quando os freios do veículo são inspecionados, nenhuma falha mecânica aparente pode ser encontrada. O nível do fluido está normal, as pastilhas e discos estão dentro das especificações, o sistema hidráulico parece estar funcionando normalmente e o pedal se sente firme. No entanto, os freios falharam. Por quê? Porque algo fez os freios esquentarem, que por sua vez sobreaqueceu fazendo com que ele ferva. A causa subjacente muitas vezes pode até ser um freio de mão com problemas de regulagem, sobreaquecendo os freios traseiros..

O mesmo tipo de falha súbita do freio devido à ebulição do fluido pode ocorrer em qualquer situação de condução que coloca um estresse indevido nos freios: uma parada repentina seguida por outra, condução em subidas e descidas, condução com reboque, etc..

Recomendações das fabricantes sobre o fluido de freio

O que os fabricantes de automóveis dizem sobre mudanças dos fluidos de freio? Algumas fabricantes não mencionam o fluido de freio em suas recomendações de manutenção programadas. Dizem elas que o líquido de freio contém aditivos que muitos outros fluidos de freio não tem e, portanto, é essencialmente um fluido vitalício. Outras fabricantes alegam que por usarem um tipo de mangueira de freio de borracha com um forro especial e proteção externa, reduzem a penetração de umidade e contaminação do fluido. Outras marcas recomendam substituir o fluido a uma certa quilometragem do veículo, após um período X de anos ou após trocar as pastilhas de freio. Para encontrar a recomendação da fabricante, basta pesquisar no manual do proprietário ou manual de serviços do seu veículo. Não recomendamos, em hipótese alguma, não trocar o fluido de freio, mesmo que a fabricante diga que ele é vitalício. É melhor arcar com os custos do fluido do que sofrer com uma falha dos freios.

Só de seguir as orientações de troca do fluido de freio você pode estender a vida de seu sistema de freio e provavelmente poupar muito dinheiro no longo prazo em reparos do sistema, especialmente se seu veículo é equipado com ABS. Afinal, peças do sistema ABS são muito caras para substituir!

Teste de fluido de freio: como é feito?

Uma vez que você não pode dizer o quão contaminado o líquido de freio está por sua aparência (a menos que o líquido esteja cheio de ferrugem ou é amarronzado), o líquido deve ser testado a menos que você esteja trocando para manutenção preventiva ou como parte de reparo nos freios  Existem três formas de testar o fluido de freio:

Refractômetro ótico: irá mostrar claramente a quantidade de umidade no líquido. Uma pequena gota de líquido é colocado no testador e, em seguida, o testador é mantido até uma luz acender para ler a quantidade de contaminação. Este testador é extremamente preciso e mostra tanto a porcentagem de umidade quanto o ponto de ebulição do fluido.

Tiras de teste químicas do fluido de freio: as tiras de teste químicas podem ser usadas para testar o estado do seu fluido de freio. As tiras de teste mudam de cor para revelar a condição do fluido. Se os testes de fluido derem um resultado ruim ou no limite você deve mudar o fluido.

Medidores eletrônicos: medem a temperatura de ebulição do fluido. O teste leva apenas cerca de um minuto e é bastante preciso. Se a temperatura de ebulição do fluido estiver ficando perigosamente baixa, recomenda-se a substituição para minimizar os riscos de causados pela fervura do fluido.

Troca do fluido de freio

Quando o fluido for trocado, use o tipo de fluido de freio especificado pelo fabricante do veículo ou um tipo de fluido com especificação acima do recomendado. A tampa no reservatório de fluido normalmente indicará que tipo de fluido de freio é necessário. Você também pode encontrar essas informações em seu Manual do Proprietário.

Como qualquer fornecedor de fluido de freio irá confirmar, o fluido de freio não é um produto genérico. Só porque um fluido atende as especificações mínimas de DOT não significa que ele pode tolerar a umidade ou fornecer o mesmo grau de proteção contra a corrosão quanto outra marca de fluido. Os pontos de ebulição úmidos e secos de qualquer marca de fluido de freio dependerão dos aditivos presentes na composição. Vale pesquisar por testes na internet e buscar os fluídos com as maiores temperaturas de ebulição, que são os de melhor qualidade. Sempre verifique com seu mecânico se há a possibilidade de upgrade no seu fluido de freio para um DOT acima do que você tem. É um custo baixo e trará mais segurança para sua frenagem.

Então, da próxima vez que você estiver inspecionando ou fazendo a manutenção de seus freios, certifique-se de verificar o estado do fluido, bem como o nível de fluido no cilindro mestre e os componentes do sistema de freio. Essa manutenção é barata e os resultados de não fazê-la podem sair muito caros, custando até sua vida.

Já teve problemas com o fluido de freio? Como você faz a manutenção do seu fluido de freio?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)