Acidentes graves e imprudência são comuns no Anel Rodoviário de Belo Horizonte. Os poucos radares fixos e os 5 radares móveis que a polícia militar rodoviária diz estarem funcionando no anel não são suficientes para coibir os abusos de velocidade e o desrespeito às leis de trânsito.

Numa reportagem do MGTV que passou no dia 09/02/2011, foram exibidas imagens de câmeras que a Rede Globo colocou em pontos estratégicos do anel rodoviário. As câmeras foram estrategicamente posicionadas em pontos com altos índice de acidentes. Ao menos se os acidentes não diminuírem, a emissora terá imagens exclusivas de cada tragédia. Essa observação em nada tira o brilho da atitude da Rede Globo, que se comprometeu a acompanhar diariamente se as ações prometidas pelas autoridades para resolver os problemas do Anel Rodoviário serão mesmo cumpridas. Agora é acompanhar as reportagens diárias sobre este assunto nos telejornais da emissora.

Numa entrevista com um membro da Polícia Militar Rodoviária, no mesmo MGTV, a Rede Globo questionou sobre a fiscalização ser mantida constantemente, e não somente quando ocorrerem acidentes. De acordo com o policial, isto já ocorre e a fiscalização no anel não aumentou depois da última tragédia no bairro Betânia. Eu raramente vejo algum carro da polícia no anel e, pessoalmente, não acredito na afirmação do policial.

Perigo do anel rodoviário em Belo Horizonte

O Anel Rodoviário de Belo Horizonte continua com um alto índice de acidentes, e o Poder Público pouco faz para resolver o problema. (Foto: www.jornalhorizontebh.com.br)

De acordo com um outro especialista entrevistado na mesma reportagem, seriam necessários radares a cada 500 metros de pista para garantir a segurança no anel rodoviário. Acho que radares são importantes, especialmente se a educação dos motoristas e o respeito pela lei não são suficientes para garantir que a velocidade máxima no anel seja respeitada. Nestes casos, mexer no bolso pode ser uma maneira de educar, punindo quem ameaça sua própria segurança e a dos milhares de motoristas que passam pelo Anel todos os dias.

O vídeo abaixo mostra, em 2011, um acidente que resultou na morte de 5 pessoas. A situação, desde então, não melhorou muito, e acidentes continuam a acontecer. Mesmo com mais vídeos e reportagens, o Governo de Minas decidiu por focar investimentos no Metrô de BH e no BRT.

A mídia para ajudar na segurança

Sobre a câmera colocada pela Rede Globo Minas, eles poderiam então identificar também as placas do carros que passassem por ali e ajudar na aplicação de multas. Caminhões trafegando na pista da direita é motivo de multa e isto pode ser facilmente detectado por uma câmera bem posicionada, juntamente com software de reconhecimento de placas. Mesmo que o processo de identificação de placas não fosse automatizado, um policial poderia analisar as imagens constantemente e punir os que desrespeitam as leis. Nem toda infração precisa de um radar caríssimo para ser detectada. Na verdade, isto é algo que a polícia já deveria ter em funcionamento há muito tempo: várias câmeras em pontos estratégicos, a estilo das câmeras do olho vivo que permitem movimentação e aproximação das imagens.

O que você acha de colocar mais radares no Anel Rodoviário de Belo Horizonte? Acha que resolve o problema do perigo em trafegar por lá? Deixe seu comentário!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)