Uma coisa é certa, você vai amá-lo ou você vai odiá-lo. Seu primeiro test drive em um Jeep vai ajudar a esclarecer seu gosto por um Jeep. E você deve saber, que enquanto algumas coisas abaixo são listadas como “negativas”, como a aceleração lenta, suspensão dura e direção lenta, estas são precisamente as características que tornam um Jeep um grande veículo off-road, mesmo nos modelos mais urbanos, como o Jeep Renegade. Você não quer, por exemplo, uma direção rápida e responsiva quando você está subindo um morro de terra, lama, ou mesmo apenas vagando por uma trilha fora de estrada.

Na verdade, você pode ser um dos sortudos que tira prazer suficiente de possuir um jipe, e que fazem cada centavo investido no veículo valerem a pena.

Por outro lado, se depois de explorar as melhores coisas e as piores coisas sobre possuir um jipe, e você ainda não pode decidir, você deve fazer a sua própria lista de todas as necessidades de veículos que você tem e destacar quaisquer coisas que o jipe não pode fornecer. Então, faça o test drive novamente.

Faça o que fizer, não compre um Jeep com impulsividade. Em vez disso, faça o dever de casa completamente. Investigue. Faça um teste drive. Teste outros veículos. Converse com outros proprietários de Jeep e (especialmente) antigos proprietários.

Para facilitar na hora de falar de especificações técnicas e outros detalhes de dirigir um Jeep, escolhemos o modelo mais recente da marca: o Jeep Renegade.

Vale a pena dirigir um Jeep

O Renegade é uma SUV que traz consigo as qualidades e os defeitos de dirigir um Jeep. Mas quem gosta, vai sentir todo o prazer de ter um carro desses! (Foto: www.jeep.com.br)

Jeep Renegade: avaliação

Vamos falar das coisas boas do Jeep Renegade, começando pela sua capacidade 4×4, que ajuda a levar o Renegade a qualquer lugar. Sua maior altura em relação ao solo do que um carro normal dá uma posição privilegiada de visibilidade ao motorista. No visual, os traçoes “quadradões” desagradam alguns, mas outros gostam por ser uma referência ao estilo clássico da marca.

Com o lançamento do Renegade, que tenta atingir um público mais jovem, a Jeep também trouxe muitas possibilidades de personalização, que deixam o carro com sua cara, e um visual mais moderno. O Renegade além de SUV pode ser usado como um utilitário, tanto para trabalho quanto para passeios.

É merecido dar um destaque a para a Fiat, que embarcou ótimas tecnologias no Renegade. Um bom sistema de ar condicionado e aquecimento, simplicidade a construção, que barateia bastante a manutenção. A força do motor, muito bem distribuída para as rodas do veículo, merecem também destaque, e com certeza, um ou dois dedos da Fiat. Assim, a Jeep conseguiu equilibrar bem a força do off road com o conforto de dirigir um carro on road.

 

Seu tamanho reduzido, em relação a outras SUVs, torna o Renegade um carro fácil de movimentar em ruas apertadas e congestionamentos, além de facilitar para encontrar estacionamento. Seu tamanho também favorece um balanço, um equilíbrio maior para o veículo, com menos riscos de capotamento. E mesmo compacto, seu interior é grande o suficiente para caberem as malas e uma família de 5 pessoas com folga.

Jeep Renegade: opinião do dono

Conversando com alguns donos de carros da Jeep, incluso aqui o Renegade, eles elencaram algumas qualidades dos veículos da marca. A robustez e a durabilidade foram as primeiras qualidades citadas por todos eles. O Jeep é um carro de manutenção baixa, e dura por muitos anos. A capacidade do veículo de lidar com qualquer tipo de terreno surpreendeu também os donos do Renegade.

Os donos mais jovens ficaram satisfeitos que o Renegade tem traços mais arredondados, sem perder a identidade visual de um Jeep, e um interior embarcado em tecnologia pura. Tudo isso com um preço acessível, algo que não é muito comum entre as SUVs, e um excelente valor de revenda.

Um dos donos também ressaltou a facilidade de encontrar peças, principalmente agora com o suporte da Fiat.

Jeep Renegade: porta malas e outros probleminhas

Mas não é tudo flores no mundo do Renegade. Apesar do amplo espaço interior, o porta malas tem tamanho reduzido por uma escolha estética (bordas arredondadas na traseira). Mais de um dono com quem conversamos relatou que precisou comprar um maleiro extra para colocar em cima do veículo.

Seguindo também as tradições desconfortáveis da marca Jeep, o carro é um pouco desconfortável para entrar, principalmente para quem é mais baixinho. Na estrada, a aceleração é mais lenta, o que torna mais difícil a ultrapassagem principalmente contra veículos maiores.

Outro detalhe é o barulho do Renegade. Apesar de embarcar o conforto de um Fiat, o desconforto da Jeep continua forte. Barulho, vento, ruído dos pneus, aerodinâmica ruim, e um pouco de dureza ao lidar com buracos e irregularidades pista se complementam, apesar do Renegade estar entre os Jeeps mais confortáveis. A suspensão firme proporciona um passeio mais duro, mas que é necessário para pistas off-road.

Como é um veículo mais longo, a visibilidade traseira pode ser um desafio, e sensores de estacionamento são recomendáveis.

Jeep Renegade: ficha técnica

Com chave de ouro, a ficha técnica completa do Renegade:

  • Motor flex, diant., transv., 4 cil., 16V
  • Cilindrada 1747 cm3
  • Diâmetro x curso 80,5 x 85,6 mm
  • Taxa de compressão 12,5:1
  • Potência 132 cv/130 cv a 5250 rpm
  • Torque 19,1/18,6 mkgf a 3750 rpm
  • Câmbio automático, 6 marchas, tr. dianteira
  • Dimensões comprimento, 423,3 cm; largura, 179,8 cm; altura, 168,8 cm; entre-eixos, 257 cm; ângulo de ataque, 21,1º; saída, 30º
  • Peso 1440 kg
  • Peso/potência 10,9 kg/cv
  • Peso/torque 7,5 kg/mkgf
  • Porta-malas/caçamba 260 litros
  • Suspensão dianteira McPherson
  • Suspensão traseira McPherson
  • Freios disco ventilado (diant.) / solido (tras.)
  • Direção elétrica, 10,8 m (diâmetro de giro)
  • Pneus 215/60 R17
  • Consumo urbano 10,2 km/l
  • Consumo rodoviário 12,5 km/l
  • 0 a 100 km/h 15,3 s
  • 0 a 1000 m 36,4 s
  • Retomada 40 a 80 em 3ª (ou D) 6,7 s
  • Retomada 60 a 100 em 4ª (ou D) 8,7 s
  • Retomada 80 a 120 em 5ª (ou D) 11,6 s
  • Velocidade máxima n/d
  • Frenagem 17,7/ 30/ 68,9 m
  • Ruído interno 1ª rpm máx 43,5/ 70,7 dB
  • Ruído interno 80 / 120 km/h 59,2/ 67,2 dB

A ficha técnica detalhada do Renegade versão Diesel:

  • Motorização 2.0
  • Alimentação Diesel common rail
  • Combustível Diesel
  • Potência (cv) 170.0
  • Cilindrada (cm3) 1.956
  • Torque (Kgf.m) 35,7
  • Velocidade Máxima (Km/h) 190
  • Tempo 0-100 (Km/h) 9.9
  • Consumo cidade (Km/L) 12,3 km/l
  • Consumo estrada (Km/L) 15,9 km/l
  • Altura (mm) 1666
  • Largura (mm) 1798
  • Comprimento (mm) 4242

Jeep Renegade: consumo

A versão Diesel do Renegade merece um vídeo inteirinho só pra ela:

Com desvantagens no conforto e dirigibilidade, e destaque para a versatilidade do Jeep Renegade, não poderíamos deixar de falar sobre o consumo de combustível do Renegade, porque ele tem uma série de problemas. O consumo do Renegade pode chegar a míseros 5,4 km/l. Isso acontece principalmente com quem nunca dirigiu um Jeep ou SUV, com o motorista erroneamente acelerando mais para acionar o câmbio automático ou para tentar colocar o grande carro em movimento mais rápido. Com a direção apropriada para um Jeep, o consumo médio fica em 10,2 km/l nas cidades e 12,5 km/l nas estradas, o que é aceitável para um carro com todo o tamanho do Renegade.

 

O Jeep Renegade mostra um pouco do é ter um Jeep. Você teria um Jeep? Por que?

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)