Os motores a diesel usam um injetor de combustível para fornecer combustível aos cilindros. O processo de injeção é diferente dos motores a gás, que usam um carburador ou um sistema de injeção de porta. Enquanto um carburador mistura ar e combustível antes que o anterior chegue ao cilindro, um sistema de injeção de porta mistura o combustível antes do curso de admissão.

Os motores a diesel usam um sistema de injeção direta que insere o combustível diretamente nos cilindros do motor. Um injetor de motor diesel é o componente mais complicado e pode estar em diferentes áreas.

O sistema de injeção eletrônica diesel

Um bom injetor pode suportar a pressão e a temperatura no cilindro, ao mesmo tempo que fornece combustível de maneira eficiente. O diesel fornece uma névoa fina que circula no cilindro do motor para uma distribuição uniforme. Alguns motores usam uma câmara de pré-combustão, válvulas de indução especiais e outros dispositivos para melhorar o processo de ignição e combustão.

O processo de compressão fica comprometido quando o motor diesel fica frio, pois o ar não consegue atingir uma temperatura alta o suficiente para que ocorra a ignição do combustível. Alguns motores a diesel resolvem esse problema com uma vela incandescente – um fio aquecido eletronicamente que aquece a câmara de combustão.

As velas incandescentes fazem um excelente trabalho ao aumentar a temperatura quando o motor está muito frio, o que atinge rapidamente as temperaturas ideais para a ignição.

Injeção diesel de veículo

A injeção diesel funciona de forma diferente da injeção de gasolina de um veículo. (Foto: divulgação)

Tecnologia de bico injetor diesel e injeção

Os injetores de combustível diesel modernos também usam chips de computador, principalmente comunicações ECM. Esses chips regulam a pulverização de combustível, entrada de ar, líquido de arrefecimento do motor, RPM e outras funções dentro do processo. Esses tipos de motores não incluem uma vela de incandescência.

Os chips de computador funcionam com um número elaborado de sensores para medir a temperatura do ar ambiente e atrasar a sincronização do motor em climas frios. Este processo permite que o injetor distribua combustível quando o tempo está mais quente, para uma compressão mais eficiente.

É importante notar que motores menores não usam chips de computador avançados para resolver o problema de partida provocado pelo tempo frio. Os cilindros do motor também têm linhas de suprimento exclusivas do tanque de combustível para passar o diesel para o injetor. Cada cilindro possui um filtro que remove quaisquer impurezas antes do início do processo de injeção.

O processo de largura de pulso e solenoide diesel

Parte integrante dos injetores de óleo diesel é o solenoide, que se abre para passar o combustível vaporizado. O processo é chamado de largura de pulso, e cada cilindro recebe uma quantidade de combustível diferente calculada pela ECU. A ECU também garante que o processo de combustão atinja uma razão estequiométrica apropriada, que é a proporção entre o ar e o combustível na qual a combustão começa.

Parte desse ecossistema é uma pequena bomba que força o ar para dentro do injetor. O ar acaba se misturando ao diesel, então a bomba deve ser capaz de suportar o aumento da pressão e as altas temperaturas.

Um pequeno bico é usado para borrifar diesel na câmara de combustão. O bico apresenta uma sequência de orifícios para garantir uma distribuição uniforme dentro do cilindro.

A segunda válvula suga o ar da câmara de combustão e o mistura com o diesel vaporizado para intensificar ainda mais o processo de combustão. A válvula de escape então canaliza as emissões da câmara de combustão.

O combustível restante flui através da linha de combustível de retorno para o tanque.

Você tem alguma pergunta sobre injetores de combustível diesel ou outras questões relacionadas a diesel? Deixem nos comentários suas dúvidas e iremos responder!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)