Carro e status. Cultura ou influência da mídia?

Escrito na categoria "Automóveis e veículos" por André M. Coelho.

Quando pensamos em carros, não há como não relacioná-los ao status. Um veículo mais sofisticado sempre chama a atenção por onde passa e com ele, seu condutor. São diversos os fatores que tornam o veículo como símbolo de status.

Segundo o dicionário, status é uma situação ou posição hierárquica num grupo ou numa organização e que implica determinados direitos e obrigações. Prestígio ou distinção social.

Com base no significado acima, fica fácil percebemos como a sociedade e o próprio indivíduo usam o automóvel como forma de auto afirmação. Muitas vezes, a pessoa não possui nem casa própria, mas financia em suaves e longas prestações um carro que, muitas vezes, não condiz com a sua situação financeira. E pra quê? Só para passar a imagem de bem-sucedido, ter a sensação de que pertence à uma classe mais alta.

bentley carro luxo

Carro, símbolo de status

Mas por quê isso acontece? Em grande parte se deve à cultura e também à influência da mídia. Não há como separar e falar que é uma ou a outra. De certa forma, as duas andam juntas.

A cultura brasileira foi e ainda é muito influenciada pela cultura americana, o incentivo ao consumo é super estimulado. Quando conseguimos adquirir o tão sonhado bem, passamos a desejar por um melhor. Com o carro a mesma coisa. Depois do primeiro, queremos um segundo mais potente, com mais itens, mais caro, mais confortável, enfim, sempre mais.

Já a mídia, dá ênfase na velocidade, conforto, relaciona o veículo ao sucesso (tanto material quanto emocional) e tem horas que chega até a ser contraditória. Qual a finalidade de um carro potente se no Brasil a velocidade máxima permitida em algumas vias é de 120 km/h, as estradas são de péssima qualidade e a maioria das mortes no país são causadas por acidentes de carro?

Também, deve-se levar em consideração que a maioria das pessoas que utilizam o carro como forma de status são do sexo masculino. Tanto que, de acordo com estudos realizados, a maioria de jovens infratores de trânsito (menores que foram pegos conduzindo carros) são meninos. O número de meninas é quase nulo.

Porém, o sexo feminino é um fator que influencia de maneira direta o carro como status. Segundo pesquisas realizadas, as mulheres dão mais “valor” aos homens que possuem carros novos e mais caros. Já os homens não se importam tanto com o carro das mulheres e sim, com a aparência.

De qualquer forma, apesar da popularização dos veículos, estes continuam sendo uma forma de status e cultuado não só no Brasil como em outras partes do mundo. Independente da idade e do sexo, na sociedade em que vivemos as pessoas são muitas vezes julgadas pela aparência e pelas suas posses e não pelo caráter.

E você, qual a sua opinião sobre esse assunto? Concorda que muitas vezes o carro é uma forma de status?

Veja também sobre os fatores que influenciam os preços dos automóveis no Brasil.

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

O pai de André já teve alguns carros clássicos antes de falecer, como Diplomata, Chevette e Opala. Após completar 18 anos, tirou carteira de moto e carro, comprando então sua primeira moto, uma Honda Sahara 350. Fez um curso de mecânica de motos para começar uma restauração na moto, e acabou aprendendo também como consertar alguns problemas de carros. Seu primeiro carro foi uma Nissan Grand Livina de 2014 e pretende em breve comprar uma picape diesel. No caminho, vai compartilhando tudo que aprende no site Carro de Garagem.

Deixe um comentário