Muitas são as pessoas que viajam para o exterior e desejariam ter um veículo para poder ficar livres do sistema público de transporte ou serem limitados por horários que talvez não atendam suas necessidades em passeios pela cidade destino. Ou talvez, você queira mesmo fazer uma viagem de carro ou moto pelo país de destino, sem saber para onde ir, apenas para curtir o passeio. Mas para isso, você precisa de uma carteira de motorista que seja reconhecida no local de destino.

Uma opção, se você for ficar no país por muito tempo, é tirar a carteira de motorista no próprio país. O caso é que a maior parte dos viajantes passa pouco tempo no país de destino, impossibilitando tal processo para tirar a carteira de motorista. E para este caso, temos a Permissão Internacional para Dirigir (PID).

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) criou a Permissão Internacional para Dirigir (PID) seguindo um padrão estabelecido na Convenção de Viena pela ONU, podendo ser utilizada em mais de cem paises, mas não substituindo a CNH em território nacional.

Para obter a permissão internacional, o condutor deverá possuir a Carteira Nacional de Habilitação (CNH), devendo esta estar vigente. O prazo de validade da PID, a categoria da habilitação e as restrições médicas são os mesmos que estão na CNH do condutor. Os passos burocráticos para retirar sua permissão internacional são:

  1. Procure o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) do seu Estado;
  2. Cheque os endereços dos escritórios autorizados a emitir a Carteira Internacional de Habilitação;
  3. Preencher o formulário e pague a taxa que varia de acordo com cada escritório;
  4. Leve junto os seguintes documentos: duas fotos 3×4 recentes, CNH e comprovante de residência
Carteira Internacional de Motorista

Note que o documento não é válido para todos os países e precisa ser renovado assim como sua CNH nacional. (Foto: geo5.net)

Além da vantagem óbvia de poder conduzir um veículo fora do Brasil de forma legalizada, a PID também permite ao motorista que cometer uma infração de trânsito ou envolver-se em um acidente no exterior tenham a tradução do documento, caso não entendam a língua do país em que estão. A Carteira Internacional de Habilitação tem as informações do motorista em alemão, árabe, chinês, espanhol, francês, inglês, português e russo.

Finalizando, a carteira internacional de habilitação funciona nos seguintes países: África do Sul, Albânia, Alemanha, Anguila (Grã Bretanha), Angola, Argélia, Argentina, Arquipélago de San Andres Providência e Santa Catalina (Colômbia), Austrália, Áustria, Azerbaidjão, Bahamas, Barein, Bielo-Rússia, Bélgica, Bermudas, Bolívia, Bósnia-Herzegóvina, Bulgária, Cabo Verde, Canadá, Cazaquistão, Ceuta e Melilla (Espanha), Chile, Cingapura, Colômbia, Congo, Coréia do Sul, Costa do Marfim, Costa Rica, Croácia, Cuba, Dinamarca, El Salvador, Equador, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estados Unidos, Estônia, Federação Russa, Filipinas, Finlândia, França, Gabão, Gana, Geórgia, Gilbratar (Colônia da Grã Bretanha), Grécia, Groelândia (Dinamarca), Guadalupe (França), Guatemala, Guiana, Guiana Francesa (França), Guiné-Bissau, Haiti, Holanda, Honduras, Hungria, Ilha da Grã-Bretanha (Pitcairn, Cayman, Malvinas e Virgens), Ilhas da Austrália (Cocos, Cook e Norfolk), Ilhas da Finlândia (Aland), Ilhas da Coroa Britânica (Canal), Ilhas da Colômbia (Geórgia e Sandwich do Sul), Ilhas da França (Wallis e Futuna), Indonésia, Irã, Iriã Ocidental, Israel, Itália, Kuweit, Letônia, Líbia, Lituânia, Luxemburgo, Macedônia, Martinica (França), Marrocos, Mayotte (França), México, Moldávia, Mônaco, Mongólia, Montserrat (Grã Bretanha), Namíbia, Nicarágua, Níger, Niue (Nova Zelândia) Noruega, Nova Caledônia (França), Nova Zelândia, Nueva Esparta (Venezuela), Panamá, Paquistão, Paraguai, Peru, Polinésia Francesa (França), Polônia, Porto Rico, Portugal, Reino Unido (Escócia, Inglaterra, Irlanda do Norte e País de Gales), República Centro Africana, República Checa, República Dominicana, Republica Eslovaca, Reunião (França), Romênia, Saara Ocidental, Saint-Pierre e Miquelon (França), San Marino, Santa Helena (Grã Bretanha), São Tomé e Príncipe, Seichelles, Senegal, Sérvia, Suécia, Suíça, Svalbard (Noruega), Tadjiquistão, Terras Austrais e Antártica (Colônia Britânica), Território Britânico no Oceano Índico (Colônia Britânica), Timor, Toquelau (Nova Zelândia), Tunísia, Turcas e Caicos (Colônia Britânica), Turcomenistão, Ucrânia, Uruguai, Uzbequistão, Venezuela e Zimbábue.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)