Muitas pessoas, principalmente mulheres, só se preocupam em manter o carro limpo e se esquecem de encerá-lo. Se você pretende conservar e manter a pintura do seu carro como nova, a cera automotiva é um item fundamental.

É importante passar a cera no porque porque é ela que protege a pintura contra danos causador pelos raios solares, ferrugem, poluição, dejetos de passáros, resquícios de árvores, entre outros.

Ao manter o carro encerado você mantêm a lataria protegida, brilhante, impermeável e facilita as próximas limpezas já que a sujeira não conseguirá fixar na pintura.

Atualmente há diversos tipos de cera: pastosa, líquida e em spray. A cera pastosa possui aplicação mais trabalhosa e deve ser evitado o contato com as partes plásticas do veículo já que podem causar manchas.

Já as ceras líquidas e em spray são praticamente iguais, oferecem o mesmo acabamento e, em ambas, há necessidade do trabalho mauual (ficar passando a flanela em movimentos circulares). Porém, é bem menos trabalhosa do que a pastosa. A principal diferença entre a cera líquida e em spray é o preço.

Tipos de cera automotiva

Os diferentes tipos de cera automotiva

Para os veículos cuja pintura perdeu o brilho e as ceras comuns não estão fazendo efeito, uma boa opção é a cera cristalizadora. Ela forma uma película à prova d’água e protege a pintura por mais tempo, cerca de 90 dias mesmo após chuvas e lavagens. Já a cera tradicional, segundo especialistas, duram cerca de um mês e já começam a ser elimida já na primeira lavagem. Há opções que variam de R$ 20 a 75 reais sendo que, segundo testes realizados, as mais caras tiveram melhor desempenho (NXT Generation Tech Wax 2.0 e Mothers FX).

Não importa qual o tipo de cera escolhida, o importante é que antes de aplicá-la o veículo deve estar limpo, seco e frio. O ideal também é que a aplicação seja realizada na sombra. A cera deve ser aplicada por partes (porta, capô, teto, etc) e deve-se esperar o tempo de cura que varia de acordo com cada produto.

Se você utlizou cera pastosa e esta manchou algumas partes plásticas do veículo, o melhor a se fazer para recuperar essas partes é aplicar graxa de sapato. Espere secar, escove com um escova macia e depois passe um pano macio. Evite usar silicones ou pretinho porque eles sairão já na primeira lavagem e deixarão as peças grudentas.

Dejetos de pássaros, resquícios de árvores, etc devem ser retirados assim que possível, evite deixar secar. Se houver dificuldade na hora da remoção, uma opção é pingar gotas de limão ou vinagre sobre a mancha e deixar agir. Essa técnica facilita a remoção mas deve ser realizada à sombra e depois é necessário lavar o local.

Aproveite e descubra o que fazer quando o seu carro zero apresentar problemas e quando compensa converter o carro para GNV.

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)