Seu alarme de carro está ligando sozinho e seus vizinhos já estão muito incomodados. Não há ladrões por perto, então por que é que ele dispara? Se o seu alarme de carro está disparando sem nenhum motivo aparente (mesmo que você tenha pressionado o botão de desligar várias vezes) e você não tem tempo ou recursos para levá-lo ao seu revendedor ou instalador para um check-up , aqui estão algumas sugestões de como você pode identificar os motivos do alarme disparar sozinho.

Antes de tudo, verifique se seu veículo está com alguma janela ou porta aberta

Mais comum do que você imagina são os alarmes que disparam por conta do dono do veículo ter deixado uma janela ou porta entreaberta. Pode ser que algum objeto esteja atrapalhando no fechamento total da porta ou a janela não está se fechando corretamente. Seja qual for o motivo, antes de seguir as dicas abaixo, recomendamos uma verificada geral no seu veículo para ver se tudo está realmente fechado.

Portas, porta-malas, capô e/ou janelas empenadas

Alarmes são disparados por sensores espalhados pelo veículo. Estes sensores detectam informações precisas sobre o estado presente de um item do carro, como janelas ou portas. Quando o estado do item é X (por exemplo, porta fechada), o alarme não dispara. Quando o estado é Y (porta aberta), o alarme dispara, muitas vezes respeitando um pequeno tempo antes de começar a barulheira.

Como estamos tratando de sensores, pequenas alterações podem acabar enviando “falsos positivos” a estes sensores. A exemplo, se sua porta está empenada e não fecha direito, há grandes chances do sensor não receber informações corretas e assumir que a porta está aberta. O mesmo vale para vidros, capô e outras portas do veículo.

Este problema pode ser identificado por você mesmo com facilidade. Portas e janelas de veículos são feitas para serem fechadas sem maiores esforços. Se você tiver que fazer força ou “dar um jeitinho” para fechar o vidro ou porta, chances são que você irá precisar levar seu carro para uma funilaria ou martelinho de ouro para reparar o empeno.

Importância da qualidade do alarme

Escolher uma boa marca de alarmes é o primeiro passo em evitar que o sistema ative sozinho. (Foto: www.connectparts.com.br)

Alarme com excesso de sensibilidade

Há um limiar tolerável para o alarme de um veículo ser ligado. Isso garante que pequenas vibrações, como um caminhão passando na rua, não ativem o alarme a toa. Pequenos esbarrões no pára-choque do veículo também não devem ativar o alarme.

Se pequenos esbarrões no seu veículo ativam o alarme ou um caminhão passando na rua dispara seu alarme, é praticamente certeza que seu alarme está muito sensível. Para solucionar o problema, basta levar seu carro no lugar onde você instalou o alarme e pedir uma calibração dos sensores do alarme.

Curto-circuito

Um curto na central de alarme ou em um dos sensores pode ser responsável por estar disparando o alarme. Se as causas físicas acima descritas não foram encontradas, pode ser que alguma parte do circuito de seu alarme esteja com defeito ou tenha “fritado”, sendo necessária a troca feita por um especialista em alarmes.

Falta de manutenção do alarme

Assim como qualquer outra parte de seu veículo, a falta de manutenção pode ser um grande motivo de problemas no alarme. Acúmulo de poeira, uma limpeza do carro feita de qualquer jeito, falta de cuidados básicos com itens essenciais do veículo como a bateria, o circuito elétrico e fusíveis.

Sempre que for ao seu mecânico ou ao técnico que instalou seu alarme, se oriente sofre a frequência de manutenção necessária ao seu alarme.

Fatores climáticos

Poeira, chuva, calor em excesso, uso em condições extremas. Todos estes são fatores que podem influenciar o correto funcionamento do alarme. Para isto, a manutenção preventiva do alarme é necessária, principalmente após o uso em condições climáticas extremas. Uma boa limpeza do veículo também irá ajudar a manter os sensores longe da poeira. O reparo pode ser desde uma simples limpeza dos sensores até a troca deles, caso estejam danificados.

Diagnosticando os problemas

Todos estes problemas são facilmente diagnosticados por um bom técnico em alarmes. Caso os problemas continuem mesmo após a manutenção, o problema pode ser da marca de alarme escolhida ou a instalação incorreta do alarme. Nossa recomendação é sempre que possível, optar pelo alarme de fábrica dos veículos ao invés de alarmes paralelos. Não que os paralelos sejam ruins, pois há muitos de boa qualidade no mercado. É que os alarmes de fábrica são melhores instalados por respeitarem a engenharia original do veículo.

Esperamos ter solucionado suas dúvidas. Mas se ficou alguma, não deixe de usar o espaço de comentários abaixo!

Deixe um comentário

  • (não será divulgado)